terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Reportagem: Os Capitães da Areia [Musicbox - Lisboa]


Foi neste último sábado que se fez ouvir no Musicbox Lisboa a pop espacial dos Capitães da Areia. Pouco antes das portas abrirem, os fãs mais devotos começavam a agrupar-se pela entrada para ouvir ao vivo o mais recente álbum da banda de Cascais, A viagem dos Capitães da Areia a bordo do Apolo 70. Dentro do Musicbox sentia-se cada vez mais ansiedade no ar, à medida que o espaço se ia preenchendo. Minutos depois da hora prevista para o começo do concerto, e depois de umas palavras de introdução, os Capitães da Areia, compostos por Pedro de Tróia, Tiago Brito, António Moura e Inês Franco entraram em palco sob uma enorme ovação dos fãs, e assim que começaram com o tema “Arco das Portas do Mar” do novo álbum: o público rebentou em saltos e cânticos eufóricos, o ambiente era agora de festa. 


O concerto prosseguiu com uma mistura de velhos e novos temas, com principal destaque para “Partida Para o Espaço“, onde se ouviu bem o público a entoar da letra “quero pão com marmelada”, “Grécia Revista e Aumentada”, um velho clássico do primeiro álbum O Verão Eterno d'Os Capitães da Areia, e uma cover da Lena d’Água, “Sempre que o amor me quiser”, em que o vocalista Pedro de Tróia saltou para a plateia e cantou no meio do público, onde acabou por fazer uma espécie de serenata a uma fã sortuda. Foi depois desta ultima música que Pedro chamou ao palco o antigo membro-fundador dos Capitães da Areia, Vasco Ramalho, para tocar dois temas do primeiro álbum, “Raparigas da Minha Idade” e “Dezassete Anos”. Os fãs gritavam histéricos “Ramalho Ramalho!!” felizes pela aparição, e, mal a banda começou a tocar, o público explodiu, em saltos e cânticos com direito a uma espécie de moshpitcrowdsurfing por parte de Vasco, estas duas músicas foram certamente o momento mais alto da noite. 


Depois da despedida do ex-membro dos Capitães da Areia, o concerto foi rumo ao final, as músicas que se seguiram foram unicamente do novo álbum, Pedro de Tróia ia fazendo intervenções tímidas e alegres nos intervalos das músicas, cantava em cima de uma coluna e fazia crowdsurfing, a festa ainda perdurava. A banda despediu-se do público com “Ájax”, mas, minutos depois, devido aos inúmeros pedidos em coro, a banda voltou para um encore de duas músicas, com destaque para a repetição de “Arco das Portas do Mar”, enormemente aplaudido e celebrado, concluindo assim, um concerto que, para os maiores fãs dos Capitães da Areia, vai certamente ficar na memória com muito carinho.


Texto: Tiago Farinha
Fotografia: Pedro Guerra

0 comentários:

Enviar um comentário