segunda-feira, 15 de junho de 2015

Reportagem: Thurston Moore Band - ZDB [Lisboa]


Thurston Moore Band @ Luis Martins

Depois de ter dado um bom concerto no NOS Primavera Sound 2015, Thurston Moore veio à Galeria Zé dos Bois, que já pode ser chamada de casa pelo lendário guitarrista americano. Veio desta vez acompanhado por Steve Shelley, o icónico baterista dos Sonic Youth, por Debbie Googe, a grande baixista dos My Bloody Valentine, e James Sedwards, um guitarrista que é conhecido por se destacar na sua criatividade e técnica. Antes do concerto, pairava uma atmosfera calma na ZDB, as pessoas aproveitavam a noite amena e o espaço agradável para conversar e beber, mas todos bem cientes do que se ia passar dentro do aquário. Quando o lendário líder dos Sonic Youth entrou em palco, o espaço encheu-se de aplausos, mas pouco depois do concerto começar, houve uma falha de electricidade que condenou, por minutos, o começo do concerto. Mas isto não impediu que a banda tenha recebido, de novo, uma enorme ovação quando voltaram a pisar o palco, o público estava ansioso, e sabia muito bem o que queria. 

Thurston Moore Band @ Vera Marmelo
O concerto finalmente começou, de uma maneira perfeita com “Forevermore”, podíamos ouvir os primeiros minutos desta música de olhos fechados, enquanto a banda ia fazendo um jam que era capaz de nos deixar em transe, e quando os primeiros acordes desta musica fizeram-se soar pelo Bairro Alto, o público acordou do transe, e apesar do calor intenso que se fazia sentir dentro do aquário, aproveitaram para dançar e celebrar. Thurston Moore, que apesar dos seus 56 anos mostra uma energia inigualável, seguiu logo com “Speak To The Wild”, outra música muito bem conhecida e ovacionada pelo público. 

Thurston Moore Band @ Luis Martins
Thurston Moore Band @ Luis Martins
Thurston Moore Band @ Vera Marmelo
Thurston Moore Band @ Nuno Martins
Thurston ia falando frequentemente com o público entre os intervalos das músicas, sempre muito bem disposto e alegre, chegando a distribuir água fresca pelos presentes. O ambiente era de festa, e não se podia pedir menos da energia que o quarteto emanava do palco, algumas pessoas dançavam, outras simplesmente olhavam para o palco, e viajavam dentro da sua mente através da música de Thurston Moore, este que foi incansável e não cedeu ao calor que se sentia. E foi assim que o concerto rumou ao fim. As caras das pessoas enquanto saiam da ZDB explicavam tudo: este concerto foi, sem dúvida nenhuma, um dos melhores que por ali passaram. Thurston Moore mais uma vez provou o seu génio, através das suas afinações peculiares e criatividade sem limites, saiu da sombra dos Sonic Youth e afirmou-se a solo de uma maneira incrível, não há dúvidas nenhumas que o guitarrista americano vai ficar gravado para sempre na história como uma lenda do rock.

Reportagem: Tiago Farinha