sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Reportagem: Jameson Urban Routes, 24 de outubro [Musicbox - Lisboa]


No último sábado, bastante chuvoso por sinal, fomos mais uma vez até ao Musicbox, no Cais do Sodré, assistir a mais uma noite de concerto proporcionados pelo Jameson Urban RoutesInfelizmente não fomos a tempo da actuação de Inga Copeland.


Pouco depois da meia noite entraram em palco os Paus, banda portuguesa de rock experimental e electrónico que se prepara para editar em Fevereiro de 2016 o terceiro disco de estúdio, Mitra, sucessor de Clarão (2014). O concerto começou com "Língua Franca" do primeiro álbum homónimo de 2011, e com a malha "Mudo Surdo", do primeiro EP É uma água, tema que os deu a conhecer ao mundo em 2010. A energia na sala era caótica e o público dançava ao som dos temas interpretados pelo quarteto. Seguiram-se "Malhão" e "Muito Mais Gente", com Hélio a pedir ao público que se soltasse e aproveitasse para dançar. Também houve tempo para a banda tocar temas do segundo álbum como "Clarão", "Primeira", "Corta Vazas" e o single "Bandeira Branca", mostrando uma sonoridade mais dançável e ritualística. O ambiente sonoro criado pela bateria siamesa de Hélio Morais e Joaquim Albergaria, pelo baixo de Makoto Yagyu e pelas teclas e guitarra de Fábio Javelim fazem dos Paus uma banda única em Portugal e das melhores a atuar ao vivo. O concerto terminou da melhor maneira possível, com mais um tema do primeiro EP, o clássico "Pelo Pulso". A banda proporcionou um óptimo concerto, tendo o público estado à altura do acontecimento.


Paus @ Jameson Urban Routes

Por volta da 1h30 Andy Stott, britânico responsável por duas grandes obras da techno dub e minimal - Luxury Problems (2012) e Faith In Strangers (2014) - entrou em palco. O produtor apresenta uma sonoridade negra e fria que mistura componentes de IDM, art pop, ambient techno and pop, dark ambient e trip hop, a qual hipnotizou por completo o público presente. Passando por temas como "Damage", "Science and Industry" e "Violence", todas do último Faith In Strangers, Andy criou a atmosfera dançável e ao mesmo tempo misteriosa. O espéctaculo ficou também marcado pela forte componente visual, fazendo desta a melhor actuação do Jameson Urban Routes até ao momento.

Andy Stott @ Jameson Urban Routes


Texto e fotografia: Rui Gameiro