sábado, 10 de outubro de 2015

Reportagem: Tomba Lobos + Peach Kelli Pop - Café Au Lait [Porto]

Num concerto organizado pela promotora MATERNIDADE, estrearam-se em Portugal na última quarta-feira as Peach Kelli Pop. Este é o projeto iniciado em 2009 a partir do qual Allie Hanson, baterista dos The White Wires, apresenta as suas canções a solo. A banda, que já lançou três álbuns, apresenta uma sonoridade com características twee pop e garage rock. 

A primeira parte do evento esteve a cargo de Tomba Lobos, cantautor português que lançou no início do ano o álbum Adeus.

Aproximadamente uma hora e um quarto, depois da hora para a qual estava marcado, começou o curto concerto de Tomba Lobos. Sozinho com a guitarra ao colo, o co-fundador da Gentle Records começou com uma música na qual a voz se misturava com a guitarra repleta de delay. Seguiram-se mais três agradáveis e calmas canções nas quais se destacou o uso de loops e efeitos. A última delas foi uma versão mais ambiente e atmosférica de "Fera", que resultou muito bem e foi tão boa ou melhor que a versão presente em Adeus.


Após um curto intervalo começou o concerto mais esperado da noite. As Peach Kelli Pop tocaram para um público ligeiramente maior, mas que não era sequer metade do que devia ser. Bem dispostas e faladoras nas pausas entre as músicas, apresentaram canções curtas e animadas, com uma sonoridade pouco variada mas nunca repetitiva, que puseram as cabeças a abanar. Malhas como "Princess Castle 1987", inspirada por Super Mario, "Eenie Meenie Minie Moe" e "Do the Eggroll" foram alguns dos destaques de um alinhamento que incluiu uma versão da theme song de Sailor Moon.

Várias das músicas beneficiaram de um som de bateria mais destacado e forte do que nas versões de estúdio, mas muitas delas ficaram também a perder devido ao volume da voz demasiado baixo, que em muitos momentos mal se distinguia. Felizmente este ponto negativo pouco afectou a qualidade do espectáculo, que pareceu ter satisfeito todos os presentes.



Texto e Fotografia: Rui Santos