terça-feira, 6 de outubro de 2015

[Review] Suuns and Jerusalem In My Heart - Suuns and Jerusalem In My Heart


Suuns and Jerusalem In My Heart // Secretly Canadian // abril de 2015
7.4/10

Suuns and Jerusalem In My Heart é um LP que surge da colaboração dos Suuns com o Jerusalem In My HeartFalemos primeiro dos Suuns

Os canadianos Suuns são um dos bastiões do circuito do rock alternativo atual. No ano de 2013 lançaram Images du Futur, o seu mais recente trabalho. Em Images du Futur, os Suuns continuaram a explorar o filão de experimentalismo que funde a EDM com o rock. O mesmo filão que tinham aberto com Zeroes GQ


O malhão do disco, na opinião do autor desta crítica.

Agora, em 2015, lançaram Suuns and Jerusalem In My Heart em colaboração com o Jerusalem In My HeartEm que medida este álbum constitui um digno sucessor de Images du Futur?
Não constitui. Suuns and Jerusalem In My Heart procura ocupar o seu próprio espaço. Um espaço distante dos universos distópicos criados pelos Suuns, aproximando-se um pouco mais das paisagens quentes do médio oriente, de onde Jerusalem In My Heart é nativo. 
Mas quem é, exactamente, Jerusalem In My Heart?

Jerusalem In My Heart é Radwan Ghazi Moumneh, um artista multimédia libanês radicado em Montreal. A sonoridade de Moumneh enquanto Jerusalem In My Heart é caracterizada por um denso manto de cordas, vocais, foleys e outros elementos sonoros que dão vida a uma atmosfera rica e exótica, digna de uma qualquer paisagem luxuriante do médio oriente. Uma paisagem exótica para nós — gente do ocidente — mas que faz parte das raízes de Moumneh. E é esta paisagem à qual Moumneh procura dar vida no seu trabalho enquanto Jerusalem In My Heart.


Jerusalem In My Heart é o produtor de Suuns and Jerusalem In My Heart. É natural que se notem traços dessa paisagem ao longo de todo o álbum. No entanto, a paisagem descrita em Suuns and Jerusalem In My Heart uma versão mais conturbada das paisagens criadas por Jerusalem In My Heart nos seus trabalhos a título individual. Os foleys e cordas foram catalisados por electricidade, kraut e motorik. O resultado final é uma sonoridade exótica e quente — com a influência da produção de Jerusalem In My Heart — enclausurada numa qualquer distopia, corrompida por guitarras elétricas e pela dominância de elementos da EDM.


O anúncio da colaboração entre os Suuns e o Jerusalem In My Heart surgiu na primavera de 2015. Quando Suuns and Jerusalem In My Heart foi anunciado, ficámos surpreendidos. De que forma iria o rock frio dos Suuns conviver com a electrónica quente de Jerusalem In My Heart? A “Gazelles In Flight” — a primeira faixa do álbum a ser divulgada — deixou-nos curiosos por mais. As diferenças entre os traços sonoros dos canadianos Suuns e do libanês Jerusalem In My Heart eram, na altura evidentes, mas o resultado denunciava uma espécie simbiose entre os dois traços sonoros. O tempo veio a provar que aquilo que escutámos na “Gazelles in Flight” se viria a repetir ao longo de todo o disco.


Não são visíveis quaisquer semelhanças entre Suuns and Jerusalem In My Heart e os trabalhos que ambos os artistas desenvolvem a título individual. A atmosfera que se sente no álbum não é própria dos Suuns. A futurista e fria linha de montagem sonora, na qual são encaixados os instrumentais de uma banda rock “normal” — guitarra, baixo e bateria — com elementos EDM e lírica delirante foi parcialmente abolida. A atmosfera é quente. Sente-se o calor da primavera árabe, ainda que este álbum tenha sido gravado no quase-inverno de 2012. Mas apesar deste calor exótico, a sonoridade de Suuns and Jerusalem In My Heart distancia-se daquela criada por Jerusalem in My Heart a título individual. Os elementos eléctricos e maquinais — nomeadamente o drone e o motorik — são, em Suuns and Jerusalem In My Heart, demasiado proeminentes para uma paisagem que se imporia como harmoniosa caso se este álbum se tratasse de um trabalho a título individual de Jerusalem In My Heart.


Como dissemos antes, Suuns and Jerusalem In My Heart foi gravado no quase-inverno do ano de 2012, mais precisamente no mês de Novembro. No entanto, o seu lançamento foi adiado, porque cada uma das partes envolvidas no álbum estavam prestes a lançar discos — os Suuns o Images du Futur e Jerusalem In My Heart o Mo7it Al-Mo7it. E o curioso é que, apesar de todos os trabalhos terem sido editados sensivelmente na mesma altura, Suuns and Jerusalem In My Heart reserva uma grande distância dos discos lançados a título individual pelos seus respetivos autores. 
Cremos, portanto, que Suuns and Jerusalem In My Heart nasceu da livre expressão de ambos as partes envolvidas dos seus respectivos géneros musicais. Esta livre expressão foi gradualmente alimentada por um processo de feedback contínuo, no qual os Suuns e o Jerusalem In My Heart trabalharam de forma intensiva em perfeita sinergia simbiótica. O resultado final — Suuns and Jerusalem In My Heart — reclama o seu próprio espaço. Um espaço bastante distante do seu ponto de partida, no qual não podemos afirmar que uma das partes se sobrepõe à outra. Se faixas como a “In Touch” destacam a veia eletrónica dos Suuns, na “3attam Babey” e na “2amoutu I7tirakan” é proeminente a atmosfera e o traço de Jerusalem In My Heart, visível inclusive no título das faixas. Mas em todas as etapas de Suuns and Jerusalem In My Heart há um contributo mútuo. Sejam os vocais e foleys de Jerusalem In My Heart ou as cordas e o drone da instrumentação dos Suuns, ambas estas influências convergem em Suuns and Jerusalem In My Heart. E, em última instância, é atingido o ponto de equilíbrio. Não há sobreposição de nenhuma das partes nesta relação simbiótica que são os Suuns and Jerusalem In My Heart.


Desta colaboração pontual resultou este LP, Suuns and Jerusalem In My Heart. Falta saber se o eixo Montreal-Beirute continuará ativo para mais edições no futuro ou se este trabalho é um fim em si mesmo. Caso a colaboração dos Suuns and Jerusalem In My Heart acabe com este Suuns and Jerusalem In My Heart, é uma lástima. Há aqui ideias muito boas e percurso muito viável de se explorar. Caso a colaboração perdure, aguardamos por mais.

A edição deste ano do Jameson Urban Routes oferece-nos uma montra privilegiada para este projeto, ao ter agendado uma atuação dos Suuns and Jerusalem In My Heart para o dia 31 de outubro deste ano.

Os Suuns and Jerusalem In My Heart.


Ao que parece, as performances ao vivo dos Suuns and Jerusalem In My Heart não são centradas na reprodução das faixas de Suuns and Jerusalem In My Heart, mas sim na recriação emotiva das várias etapas que formaram a composição do álbum — com a devida margem para experimentações e derivações sonoras. Caso o projeto Suuns and Jerusalem In My Heart continue, serão presenteados com uma estreia do coletivo em Portugal. Caso os Suuns and Jerusalem In My Heart desapareçam a seguir à tour, serão presenteados com um momento único e irrepetível.