quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Vashti Bunyan a 31 de Outubro na Culturgest


Com apenas três álbuns gravados ao longo de 44 anos, Vashti Bunyan é uma artista de culto da canção britânica, de uma delicadeza única, com uma voz que anda entre a melodia e os sussurros. A fragilidade e a intimidade da música de Bunyan escondem uma admirável história, onde muita da sua inspiração vem das próprias, por vezes duras, experiências e viagens.

Vashti Bunyan foi descoberta quando tinha 20 anos, em meados da década de 60, pelo manager dos Rolling Stones, Andrew Loog Oldham, logo depois de ter abandonado as Belas Artes para se dedicar à música. Assinou contrato com a Decca e o seu primeiro single, "Some Things Just Stick To Your Mind", escrito por Mick Jagger e Keith Richards, foi um sucesso. A crítica falava de “a nova Marianne Faithful” ou de “Bob Dylan no feminino”.

À fama súbita seguiu-se um período complicado – outros singles não foram editados e Bunyan, sentindo-se desiludida com a indústria musical de Londres, desiste do contrato. Depois de um período a viver debaixo de telas nos arbustos por detrás da Ravensboume College of Art, decide comprar um cavalo e uma carroça e partir, em 1968, com o seu namorado para a Escócia, numa sonhadora tentativa de encontrar uma colónia de artistas criada pelo cantautor folk Donovan na Isle of Skye. Nada encontrou, mas foram as experiências vividas ao longo de dois anos de viagem que inspiraram o seu primeiro álbum, Just Another Diamond Day, produzido por Joe Boyd e que conta com a participação de membros dos grupos The Incredible String Band e Fairport Convention. Quando o álbum é lançado, em 1970, já Bunyan tinha abandonado novamente a cidade, indo primeiro viver com a Incredible String Band para as Borders Escocesas, depois para a Irlanda – uma vez mais com cavalos, carroças, cães e crianças – e voltando à Escócia para viver nas Terras Altas.


O álbum foi um fracasso comercial. Vasthi Bunyan desistiu da música e dedicou-se, nas décadas seguintes, à sua família, em especial aos seus três filhos. Só no final dos anos 90, quando resolveu fazer uma busca na internet pelo seu nome, percebeu que Just Another Diamond Day se tinha tornado um álbum de culto, que havia uma vasta plateia de fãs dispostos a pagar milhares de libras por uma cópia original. O álbum acabou por ser reeditado em 2000, influenciando artistas como Devendra Banhart e Joanna Newsom. Bunyan participou depois em discos de Banhart e Animal Collective, até que, em 2005, 35 anos depois do seu primeiro álbum, grava o aclamado Lookaftering com a Fat Cat Records.




Vashti Bunyan despede-se agora dos discos com Heartleap, um álbum subtil mas ao mesmo tempo intenso, que se move entre memórias, sonhos e momentos de uma maravilhosa tranquilidade. Sabemos que ela nos delicia com a sua música apenas quando tem algo para dizer e que a Culturgest Porto vai receber aquele que será, muito provavelmente, o seu último concerto em Portugal pela mão da Filho Único  e os bilhetes têm o custo de 5€. Vashti Bunyan estará na véspera, dia 30 de Outubro, no Teatro Maria Matos, em Lisboa.