quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Reportagem: Unknown Mortal Orchestra [Hard Club - Porto]


Depois já terem estado no Super Bock Super Rock deste ano, os Unknown Mortal Orchestra voltaram ao Porto, onde tinham tocado em 2014, e nós fomos ao Hard Club assistir a este concerto promovido pela Everything Is New. A banda americana e neozelandesa tem feito visitas anuais a Portugal desde 2013, ano em que actuou no Festival Paredes de Coura.

A primeira parte foi da autoria dos Youthless, a banda do londrino Sebastiano Ferranti e do nova yorkino Alex Klimovitsky, que, nas suas actuações ao vivo fazem-se acompanhar por Francisco Ferreira, mais conhecido por ser teclista dos Capitão Fausto. Entraram com as caras pintadas e Alex e Francisco vinham com cabeleiras. Começaram a todo o vapor com "Golden Spoon", provavelmente a música mais conhecida da banda, que, infelizmente, não pareceu cativar o público. Seguiu-se "Drugs" também com bastante energia e tocada de maneira excelente mas apesar da sala se encontrar cheia poucos se mexiam. Como era espectável a maior parte do concerto foram músicas novas pois a banda está a preparar o seu primeiro longa duração, This Glorious No Age. Mais para o final, em Skull and Bones, já havia um maior movimento por parte do público, Francisco e Alex trocam de intrumentos e este decide fazer crowdsurfing, no fim, iniciou um mosh pit mas ninguém se juntou a ele.Antes de acabar falaram um pouco do atentado do dia 13 de Novembro em Paris, o dia antes deste concerto, e tocam "Monsta".

Gostávamos também de ter ouvido mais alguns singles antigos como por exemplo “La Moustache” ou “Good Hunters” e de um concerto mais longo (foi pouco mais de meia hora). Como as duas bandas da noite pouco tinham em comum não houve grande adesão por parte do público consideramos, assim, que talvez Youthless, apesar de uma excelente banda (que consegue dar concertos fenomenais como por exemplo o do NOS D'Bandada em que toda a sala do plano B ficou maravilhada), tenha sido uma má escolha para banda de abertura para um concerto de Unknown Mortal Orchestra

Setlist
Golden Spoon
Drugs
Attention
High Places
Black Keys
Lightning Bolt
Skull and Bones

Monsta

Às nove da noite entra a banda que fez esgotar a sala 1 do Hard Club, a banda que todos tinham vindo ver os Unknown Mortal Orchestra. Começaram o concerto com “Like Acid Rain”, uma das músicas do novo álbum, Multi-Love, que, apesar de uma desilusão, ao vivo consegue funcionar bem. Mal se ouviu os primeiros acordes de “From The Sun” foi possível perceber a felicidade do público e ocorreu o primeiro momento em que a sala cantou em uníssono. A maior parte das pessoas sabia as letras todas das músicas e todos dançavam bem animados. “Ur Life One Night” agradou-nos imenso e “The World Is Crowded” talvez tenha sido a melhor música que se ouviu a noite toda. O tema mais esperado era, sem dúvida, “So Good At Being In Trouble”, do álbum II e a música mais conhecida da banda, teve um efeito enorme nos espectadores e acabou com um excelente solo de Ruban. Em “Stage Or Screen”, Ruban, decide descer do palco e juntar-se aos seus fãs tendo cantado toda a música do lado do público. Perto do fim temos um bom solo pela parte da nova “aquisição” da banda, Quincy McCrary, que mostrou, claramente, o seu domínio das teclas. O concerto acaba com “Multi-Love” mas era mais que obvio que teria um encore pois os singles mais conhecidos do novo álbum, “Necessary Evil” e “Can’t Keep Checking My Phone” ainda não tinham sido tocados.

Deram um concerto bastante competente e, felizmente, conseguiram fazer com que as músicas do novo álbum fossem muito mais interessantes. Apesar disso não deviam ter tocado Multi-Love quase na íntegra mas já que o estavam a fazer, na nossa opinião, não incluir “Puzzles” foi um erro grave. Gostamos bastante dos momentos em que se revisitou os trabalhos anteriores, especialmente o álbum II.

Setlist:
Like Acid Rain
From the Sun
How Can You Luv Me
Ur Life One Night
Thought Ballune
The World Is Crowded
So Good at Being in Trouble
Swim and Sleep (Like A Shark)
Stage or Screen
Ffunny Ffrends
Multi-Love

Encore:
Necessary Evil
Can’t Keep Checking My Phone

Unknown Mortal Orchestra @ Hardclub, Porto

Fotografia: Mário Jader
Texto: Francisco Lobo de Ávila