sábado, 31 de janeiro de 2015

'Besides The Abyss' é o novo LP dos Lebanon Hanover


Os Lebanon Hanover têm novo álbum a sair em Março e, embora já não seja novidade, foram revelados recentemente novos pormenores sobre o quarto trabalho de estúdio da banda. O álbum é composto por dez música tendo sido escrito e gravado por Larissa Iceglass e William Maybelline em Atenas, em Maio de 2013. Segundo a nota de imprensa, "o álbum reflecte um processo de amadurecimento musical e auto-conhecimento, que embora introspectivo e intimista, não tem dificuldades a entrar no mundo emocional do ouvinte, de forma profunda". 

Besides The Abyss tem data de lançamento prevista para 5 de Março pelo selo Fabrika Records.

Besides The Abyss Tracklist: 

1. Hollow Sky 
2. The Crater 
3. Fall Industrial Wall 
4. The Chamber 
5. The Well 
6. Moor 
7. Broken Characters 
8. Chimerical 
9. Dark Hill 
10. Spirals

Reedição: Já é possível ouvir o novo single de avanço, "Hollow Sky", juntamente com o seu trabalho audiovisual, com assinatura de Larissa Iceglass.


+

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

[Review] Sleater-Kinney - No Cities To Love



Sleater-Kinney // Sub Pop // Janeiro 2015
8.0/10

Depois de praticamente uma década separadas (sendo que cada membro da banda preferiu investir nas suas carreiras a solo) as Sleater-Kinney anunciaram em Outubro de 2014 que se tinham reunido e, sem demoras, revelaram que haveria novo álbum no inicio de 2015; deixando o panorama musical em alvoroço e à espera do oitavo longa-duração da “melhor banda do mundo”.

Para quem esperava um sucessor directo do The Woods (onde reinava uma sonoridade mais próxima do prog, e onde as guitarras facilmente se alongavam faixa adentro), prepare-se; em No Cities To Love, as Sleater-Kinney abraçam a pop e fazem-se munir de canções curtas e carregadas do punk que lhes é característico.

É este sentimento de “quase” redescoberta que podemos ver infundido em praticamente todas as faixas de No Cities To Love: “We speak in circles/We dance in code” canta Corin Tucker em “Bury Our Friends”, referenciando a ligação quase que transcendental que une este trio de Olympia; em “Surface Envy” a mensagem continua presente, mas desta vez, deixando-a transparecer através da instrumentalização e do refrão onde entoam: We win, we lose/ Only together do we break the rules / We win, we lose / Only together do we make the rules



São 10 faixas em que se vai do sussurro ao grito, de um rock etéreo ao punk puro, da precisão suíça de Janet Weiss na bateria às guitarradas desenfreadas Carrie Brownstein; sendo que tudo isto culmina em uns brilhantes 32 minutos de perder o folgo.

Numa entrevista dada por Brownstein, esta afirmava que neste novo trabalho pretendiam escrever “sem olhar para trás, como se estivéssemos começado agora a banda”; e No Cities To Love é isso mesmo: um showcase do seu passado, tentando mostrar de onde vêm, no entanto, a olhar para o futuro e a quererem trilhar um novo caminho ; uma tentativa de explorar a idade, a experiência e criatividade, sem perder o cunho pessoal que as trouxe até aqui.


As Sleater-Kinney não se reinventaram, mas não faz mal; para mim continuam a ser “the best in the world”.

+

Slow Magic no MusicBox a 6 de Fevereiro

 O produtor conhecido por Slow Magic vai actuar no MusicBox, Lisboa, a 6 de Fevereiro, num concerto de apresentação do seu mais recente álbum How To Run Away, editado em 2014 com selo Downtown Records. 

Após o lançamento de 2012 do aclamado Triangle , Slow Magic tornou-se um fenómeno internacional tendo percorrido o mundo ao lado de nomes como Gold Panda e XXYYXX. 

Slow Magic representa a música electrónica cósmica desenhada a partir do éter, mas esculpida com mãos humanas. É arte alegre, escapista e multidisciplinar. Em Fevereiro, é o nome que dá força à mensalidade dedicada à música urbana de hoje, que contará ainda com a presença de Rui Maia, em modo, MIRROR PEOPLE e MÁRIO VALENTE. 
Os bilhetes já se encontram disponíveis na bilheteira online e locais habituais, por 12 euros. O concerto de Slow Magic começa à uma e meia da manhã.

+

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Courtney Barnett anuncia novo álbum "Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit"

A fofinha Courtney Barnett, que em 2014 actuou no NOS Primavera Sound, vai editar o um novo álbum. Intitulado Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit, sucede a The Double EP: A Sea of Split Peas, editado em 2013. Com lançamento agendado para 24 de Março via Mom+Pop, já é conhecido o tema "Pedestrian At Best", primeiro single deste novo trabalho.

O álbum foi gravado no Head Gap Studio, em Melbourne, Australia. Segundo a artista "as suas músicas seguem-na como se fossem humanos com as suas emoções normais. Daí existirem musicas mais alegres e outras mais tristes. Elas representam a minha vida."

Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit:
01 Elevator Operator
02 Pedestrian at Best
03 An Illustration of Loneliness (Sleepless in NY)
04 Small Poppies
05 Depreston
06 Aqua Profunda!
07 Dead Fox
08 Nobody Really Cares if You Don't Go to the Party
09 Debbie Downer
10 Kim's Caravan
11 Boxing Day Blues 

+

Flume confirmado no NOS Alive


O australiano Flume é a mais recente confirmação para a próxima edição do NOS Alive, onde irá atuar no dia 9 de julho. O produtor, que já se apresentou no mesmo festival na edição de 2013, junta-se assim aos Muse, Alt-J, Metronomy, Jessie Ware, Young Fathers e The Wombats na lista de nomes que tocarão no dia 9.

Já confirmados:
9 de julho: Muse, Alt-J, Metronomy, Jessie Ware, Young Fathers, The Wombats, Flume; 
10 de julho: Future Islands, The Ting Tings, Kodaline, Sheppard; 
11 de julho: Dead Combo, Jesus and Mary Chain.

Preços:
Bilhetes diários: 55 euros. 
Passes Gerais: 109 euros.


+

Os Föllakzoid lançam "III"

Os Föllakzoid, a instituição chilena do psych rock que o ano passado nos visitou voltam às edições com o LP III.
O vindouro LP terá quarto faixas e tem a assinatura da conceituada Sacred Bones

III tem data de lançamento prevista para dia 31 de Março.

Entretanto, fiquem com o single "Electric", retirado de III.




+

Oiçam: SLUG


SLUG é Ian Black, músico de Sunderland, que anunciou há cerca de uma semana, o seu álbum de estreia, o homónimo SLUG. O músico, que se estreou em palcos em Setembro do ano passado, é aqui motivo de escuta pelo resultado do seu single de estreia, e de primeiro avanço deste novo trabalho, "Running To Get Past Your Heart". 

Este novo single traz uma indefinição concreta num estilo próprio, mas perceba-se que resultante de uma mistura de estilos da moda a fim de criar uma sonoridade mais que única, mas bastante viciante. E foi esse resultado que nos prendeu, essa bonita linha de baixo. Apesar de apresentar um início muito à Temples, "Running To Get Past Your Heart" tem uma percussão start-stop bastante interessante, adjuvante dos arranjos electrónicos ao minuto e 50 de avanço. É ouvir.



SLUG tem data de lançamento prevista para 13 de abril pelo selo Memphies Industries.

+

Panda Bear and Sonic Boom - Greeting The Reaper [Mini-Doc]


O novo álbum de Panda Bear - Panda Bear Meets the Grim Reaper - marca o segundo registo do vocalista dos Animal Collective com o co-produtor Pete Kember (Spacemen 3) aka Sonic Boom. Os dois voltaram a reunir-se desta vez para um mini documentário de cerca de 15 minutos onde vemos os dois a trabalhar neste segundo álbum, em Lisboa, cidade onde mora Panda Bear. No documentário é ainda possível ver os dois no Zoo.


+

Twin Shadow oficializa lançamento de 'Eclipse'


Twin Shadow anunciou recentemente os pormenores oficiais do seu novo trabalho já pré intitulado de Eclipse. Assim, e depois do single "Turn Me Up", para além da cover art (acima) o músico revelou também a tracklist do álbum juntamente com uma preview do mesmo, a ver abaixo. 

Ecipse tem data de lançamento prevista para 17 de Março via Warner Bros.


Eclipse's Tracklist:
01 - Flatliners 
02 - When The Lights Turn Out 
03 - To The Top 
04 - Alone Feat. Lily Elise 
05 - Eclipse 
06 - Turn Me Up 
07 - I’m Ready 
08 - Old Love/New Love Feat. D’Angelo Lacy 
09 - Half Life 
10 - Watch Me Go 
11 - Locked & Loaded

+

Basorexia Army no Estaleiro Teatral em Aveiro


Os Basorexia Army são um projeto nascido em 2012 e estão neste momento a estrear o  seu trabalho de estreia, EP001, pelo selo Music in my Soul. A banda, que se encontra em apresentação do trabalho de estreia, dirige-se no próximo dia 14 de Fevereiro até ao Estaleiro Teatral em Aveiro para um concerto com início às 22.30H. 

Os preços de entrada rondam os 6€ dos quais 1€ reverte para a instituição Florinhas do Vouga. Informações adicionais poderão ser consultadas aqui.

+

Mais de 100 singles inéditos de Aphex Twin disponíveis online


Estará Aphex Twin a leakar os seus singles inéditos produzidos no último ano, agora? Segundo o site Consequences of Sound, Richard D. James, ou alguém próximo a ele, tem postado secretamente as suas demos no soundcloud. 

Esse utilizador anónimo - user48736353001 - publicou nos últimos dias mais de 100 tracks, que segundo fãs têm muita semelhança com as sonoridades dos primeiros trabalhos do produtor. Embora Aphex Twin não tenho confirmado a sua autenticidade, parecem haver provas favoráveis à teoria: O fundador da Planet Mu, que já se unira previamente com Aphex Twin para lançar Expert Knob Twiddlers(1996), diz que "reconheceu algumas faixas de fitas antigas de James."

A somar a isto, também o primeiro upload do utilizador, "8 Utopia", traz o tagg #likeearlyaphex juntamente com a descrição "like early aphex but I’d never heard of him when I wrote all these tracks im going to be uploading".



Podem ouvir todos os singles disponibilizados até ao momento aqui dentro.


+

Banda do Mar no Super Bock Super Rock


Banda do Mar é o novo nome a juntar-se à 21ª edição do Super Bock Super Rock. O colectivo que junta Marcelo Camelo, Mallu Magalhães e Fred Ferreira, apresentará assim o seu álbum de estreia homónimo, disco lançado em 2014. Depois de uma longa tourné no Brasil, os três esgotaram duas datas em Lisboa esta semana e estarão no próximo dia 18 de Julho ao vivo, no Palco EDP em mais uma edição do Super Bock Super Rock.

Já confirmados: 
Dia 16 
Palco Super Bock – Sting, Milky Chance 
Palco EDP – Little Dragon 
Dia 17 
Palco EDP – Kindness 
Dia 18 
Palco Super Bock – Florence and the Machine 
Palco EDP – Banda do Mar, Modernos

Preços: 
Passe 3 dias: 95€
Bilhete Diário: 50€


+

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Oiçam: Body Count

Eu sempre gostei de música pesada. Hardcore, thrash, slugde, doom…aqueles arranjos, ora lentos ora rápidos, mas sempre vigorosos e pesados comunicam de uma forma mais profunda comigo. Coloco os fones e à libertação de endrominas sucede-se a vociferação das letras (muitas vezes imperceptíveis) em silêncio, o que me permite libertar parte da minha raiva contida.
Raiva por não conseguir arranjar um emprego digno.
Raiva por saber que isto não vai mudar tão cedo.
Raiva porque vejo que quem mais faz neste mundo menos merece e vice-versa.
Raiva porque parece que este mundo é demasiado grande para nós.
E eu acho que não estou sozinho. Acho que, pelo menos, uma boa parte das pessoas que ouvem música pesada o fazem pelos mesmos motivos. Sei que alguém, algures por ai, ouve música pesada porque acha que isso, de alguma maneira, nos liberta um pouco. Há algo de extremamente primitivo que apela a cada um de nós na música pesada, que nos aproxima dos primórdios do nosso ser, libertando a nossa mente destes problemas, nem que seja momentaneamente.
De entre todas a bandas que vos poderia sugerir dentro do género, desta vez, o destaque vai para os Body Count, o colectivo norte-americano de hardcore,
liderado pelo mítico Ice-T.
Esta banda surgiu na crista de uma onda provocada pelo advento de um outro movimento: o gangsta rap. O gangsta rap apresenta algumas semelhanças com a sonoridade hardcore dos Body Count: a língua aguçada para a crítica social e o número de vezes que ouvimos a palavra “muthafucka” numa única faixa.
E apesar da sua marca incontornável no mundo do Hardcore, convém recordar que Ice-T começou a sua carreia musical no rap. E foi com o tema “O.G. Original Gangster” (tema que integra o longa duração homónimo, tido com um dos álbuns que definiu o Gangsta Rap) que surgiu a primeira colaboração entre Ice-T e os Body Count. Este tema representa a convergência entre os dois estilos — o hardcore e o gangsta rap — e tornou-se assinatura sonora dos Body Count desde então.
Eu já conhecia os Body Count e, apesar de não ser dos fás mais acérrimos da banda, sempre acompanhei mais ou menos de perto os trabalhos do colectivo. E sempre fui um fã do Ice-T, seja pelas suas prestações musicais, seja pela sua aparição no grande ecrã. No entanto, esta crónica torna-se pertinente desde o momento em que o tema “Institutionalized” ganhou um videoclip. 
Para quem não conhece o tema, este narra a história de um homem que enlouquece gradualmente face aos obstáculos que diante si se colocam, prejudicando a sua rotina diária e colocando em cheque a sua própria sanidade mental. Este tema é uma cover de uma música original dos Suicidal Tendencies, e sofreu um update para melhor se adequar à realidade do século XXI. 
"My best interest?! How can you know what's my best interest is?How can you say what my best interest is? What are you trying to say, I'm crazy?When I went to your schools, I went to your churches,I went to your institutional learning facilities?! So how can you say I'm crazy?"


Desde jogar xbox na net, a ligar ao gajo de suporte técnico do nosso pc que parece que é indiano ou o c#####o ou mandar f###r a Oprah, tudo no vídeo e na faixa me fez rir.
E além de me fazer rir, fez-me pensar na quantidade de situações do género da qual nós somos vítimas diariamente: não podes comer o que te apetece porque faz mal, a máquina do metro não aceita notas por isso tens que andar 1km até à próxima máquina porque as outras estão todas avariadas, os professores não te respondem aos emails nem querem saber de ti apesar de tu lhes pagares o ordenado, o teu patrão pede-te tudo e mais alguma coisa e na hora de receberes és igual à empregada da limpeza.
Cenários de um quotidiano dantesco. O nosso quotidiano.Tão ridículo quanto o quotidiano hiperbolizado de Ice-T no videoclip e não menos real. Faz-me pensar que um dia, quando eu for grande, também eu vou poder mandar f###r quem me apetecer, quando me apetecer. Até lá, vou-me rindo.
Faço tudo o que está ao meu alcance para mudar o que posso e rio-me para não chorar daquilo que não posso mudar. De nada adianta a tristeza, afinal de contas. As coisas não mudam só porque nós queremos. Por vezes, mais factores para além do nosso suor e da nossa têm que convergir para as coisas nos correrem como desejamos.
Até lá, rimo-nos desta m###a de vida e ouvimos bandas do c######o!
E até que tudo vos corra de feição, deixo-vos com a recomendação para ouvirem o LP lançado pelo colectivo no ano passado, o Manslaughter, e com o desejo que eles façam a sua estreia por cá.


Manslaughter's Tracklist:

1. Talk Shit, Get Shot
2. Pray For Death
3. 99 Problems BC
4. Back To Rehab
5. Manslaughter
6. Get A Job
7. Institutionalized
8. Pop Bubble
9. Enter The Dark Side
10. Bitch In The Pit
11. Black Voodoo Sex
12. Wanna Be A Gangsta
13. I Will Always Love You
14. 99 Problems BC (Rock Mix)

+

Os Atomic Bitchwax anunciam "Gravitron"

O sexto álbum de originais dos Atomic Bitchwax, um dos grupos veteranos do stoner norte-americano, já está na calha e chama-se Gravitron.
Quatro anos depois do The Local Fuzz, os Atomic Bitchwax voltam às edições com este novo LP.  É de relembrar ainda que a banda esteve o ano passado no norte do nosso país, integrados no cartaz do SonicBlast Modelo.
Gravitron sai no dia 21 de Abril, irá ter 10 faixas conta com edição da Tee Pee Records e AQUI fica um link a partir do qual podem fazer download do tema "Sexecutioner" que integra o vindouro LP.

+

Lapalux anuncia novo álbum

Stuart Howard AKA Lapalux é um dos segredos mais bem escondidos da IDM. 
Após o longa duração Nostalchic, Lapalux lança o seu segundo álbum, de nome Lustmore.
Este vai contar com a habitual edição da prestigiada Brainfeeder, label onde Flying Lotus é rei e senhor. Portanto, o selo de qualidade está garantido. Lustmore tem data de lançamento prevista para dia 7 de Abril e aqui deixamo-vos com a faixa “Closure”, retirada do vindouro LP.

+

Shlohmo tem um novo álbum

Henry Laufer AKA Shlohmo tornou-se conhecido por explorar o lado mais instrumental do hip hop. Com o lançamento deste novo LP, de nome Dark Red, ele promete uma mudança nesse rumo.
Este prevê-se mais pesado em termos de sonoridade que os anteriores.
Talvez possamos encontrar o motivo para isto neste extracto de entrevista a Shlohmo via The 405.
When I started working on Dark Red about two and a half years ago, I had just moved back to LA and built a small studio in my apartment, mostly with my dad's old gear from the 80s. I had just lost some people close to me and was dealing with another loved one's health issues. I was all over the place mentally, and I think it reflects in this record whether I like it or not.The only thing I did know going into it, was that I wanted this one to be loud, and not just loud but really really f***ing loud. I wanted the sound of the thing to be devastating and violent. Recordings that force you to feel something even if that something isn't good. I'm proud to have made something polarizing, a record that's strong and undeniable even in its moments of pure anxiety and confusion. It's tragic and painful at times, but that's all part of it and I want that to be heard and felt. You don't have to like it, just listen to it.
Dark Red tem data de lançamento prevista para o dia 7 de Abril, via a label True Panther

Ouçam o tema “Buried”, que consta no vindouro LP.


+

Os Drenge vão lançar um álbum novo

O colectivo de post grunge, até então formado pelos irmãos Loveless, conta agora com Rob Graham no baixo em três temas deste novo álbum, chamado Undertow
A par do anúncio do disco, eles lançaram ainda um single, “We Can Do What We Want”, anunciaram a tracklist do vindouro LP e agendaram uma bateria de concertos para Abril de 2015, todos na Europa.
Undertow tem data de lançamento prevista dia 6 de Abril via a label Infectious.
Abaixo deixamo-vos com a tracklist de Undertow, assim como o tema “We Can Do What We Want” e abaixo da tracklist deixamo-vos as datas da sua digressão europeia.
Undertow's Tracklist:

1. Introduction
2. Running Wild
3. Never Awake
4. We Can Do What We Want
5. Favorite Son
6. The Snake
7. Side By Side
8. The Woods
9. Undertow
10. Standing In The Cold
11. Have You Forgotten My Name?


10 - Nottingham, Rescue Rooms
11t - Birmingham, The Library
13 - Gateshead, The Sage
14 - Glasgow, Classic Grand
15 - Liverpool, Kazimier
17 - Sheffield, Leadmill
18 - Norwich, Waterfront
20 - Bristol, The Trinity Centre
21 - London, Electric Ballroom

+

Simian Mobile Disco no Plano B a 13 de Fevereiro

A dupla formada por Jas Shaw e James Ford está de regresso ao Porto já em Fevereiro para mais um dj set imperdível no Plano B.

Os Simian Mobile Disco são um dos mais determinantes produtores da música electrónica actual.
Formados inicialmente como side project da banda Simian, a dupla ganhou destaque remixando artistas como The Kills, Ladytron, Muse, Klaxons, The Go! Team, Peaches, The Presets, Air, entre outros.

Trazem na mala um novo disco de originais, "Whorl" onde se esbatem as fronteiras entre a composição em estúdio e as apresentações ao vivo, tanto quanto possível. O álbum foi gravado ao vivo, em Pionneerville, na Califórnia. Um novo capitulo na carreira artística dos britânicos, que explora vertentes mais orgânicas e uma fracção mais ambiental da techno music.  

O concerto custa 10 euros (5 consumíveis) e vai decorrer na Sala Cubo Heineken, com ínicio marcado para as 01h00.

+

The Vacant Lots e PAUW são os primeiros nomes da 1ª Edição do Lisbon Psych Fest 2015

O Lisbon Psych Fest (LPF ‘15), produzido pela Killer Mathilda, tem como objectivo
trazer à capital portuguesa a música alternativa emergente de diversos países, ao mesmo
tempo que visa promover bandas nacionais. O LPF ‘15 pretende explorar fronteiras,
trazendo novas paisagens sonoras caracterizadas por influências diferentes assim como
formatos alternativos.

O LPF ‘15 irá abranger artistas que se caracterizam por diversas tendências musicais:
passando por fuzzy beats, sitaras hipnotizantes, heavy drones, sintetizadores e guitarras
cintilantes com ecos de reverb, ritmo e rock n’ roll – tudo isto no contexto do crescente
fenómeno de revivalismo psicadélico.

O festival irá decorrer ao longo de dois dias (10 e 11 de Abril), com quatro concertos
por noite a ter lugar no Teatro do Bairro - um espaço de dimensão média que outrora
servira como a instalação de uma imprensa gráfica no coração do Bairro Alto. O evento
contará também com uma forte componente de artes visuais, bancas de venda de vinil
e merchandise, bem como a atuação, ao longo da noite, de DJs de referência da noite
Lisboeta.

Entre as bandas confirmadas já se encontram nomes como The Vacant Lots e PAUW.
Assim, como um novo festival europeu e com a cidade de Lisboa como um centro cultural
cada vez mais relevante, o LPF ‘15 espera colocar a capital no mapa do movimento
psych – um conceito que engloba vários subgéneros e que tem vindo a alastrar-se pela
Europa e além.

Para mais informações sobre Lisboa Psych Fest 2015 visite:
https://www.facebook.com/lisbonpsychfest
Para mais informações sobre a Killer Mathilda visite:
www.facebook.com/killermathilda

+

Calexico editam nono álbum em Abril

Os Calexico anunciaram hoje o lançamento do seu nono álbum de estúdio Edge of the Sun (capa em cima). Com lançamento agendado para 13 de Abril via City Slang, o novo álbum foi gravado na cidade do México e conta com vários convidados como Ben Bridwell (Band Of Horses), Nick Urata (Devotchka), Carla Morrison, Gaby Moreno, Amparo Sanchez, Sam Beam (Iron and Wine) e Neko Case.

Sobre o novo álbum, Joey Burns, membro dos Calexico, afirmou: " Going to another city to jumpstart the creative process helped us to know what this record is about and where we are as a band, like an open canvas with few ties to normal routines when recording and writing... The ‘edge of the sun’ could be coming from the direction of darkness seeking light, or riding the line between both."

"Cumbia de Donde" é o primeiro single a ser conhecido de Edge of the Sun e podem ouvi-lo aqui:

+

Metz revelam trailer do seu segundo álbum

A banda oriunda de Toronto, Metz, lançou hoje o teaser para o seu segundo trabalho de estúdio.

 Segundo a editora Sub Pop, o álbum será editado na Primavera, sendo que esta é a única informação disponível até ao momento do sucessor do primeiro álbum homónimo. A banda está em tour com os Death From Above 1979 e tem aproveitado para tocar temas novos que possivelmente estarão presentes neste segundo trabalho. Com o novo álbum, era de valor uma nova visita a Portugal,depois das visitas de 2013 no Plano B e na ZDB, assim como no Optimus Primavera Sound.

Fiquem aqui com o trailer:

+

Babes In Toyland anunciam tour de reunião


Babes In Toyland - banda de punk-rock dos anos 90 - anunciaram uma tour Europeia de reunião, a primeira actividade desde a sua separação em cerca de uma década. Sobre os concertos anunciados, estes não contemplam Portugal, mas dado que visitam o país vizinho para mais uma edição do Primavera Sound, pode ser que Junho traga estas meninas a palcos portugueses. 

Maio:
 24 - Bristol, Trinity Centre 
25 - Southampton, Engine Rooms 
26 - London, O2 Shepherd's Bush Empire 
27 - Manchester, Gorilla 28 - Glasgow, Oran Mor 
29 - Barcelona, Spain Primavera Sound Festival 

June 
3 - Ravenna, Italy Beaches Brew festival


+

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Live Low e Fujako apresentam-se ao vivo no Passos Manuel

Esta sexta feira, vai ter lugar no Passos Manuel um serão de música experimental, IDM e dub.
Numa noite que conta com actuações do Live Low, dos Fujako, Dj Lynce e Phantasma, o destaque vai, invariavelmente, para os dois primeiros. 
Live Low é o novo projeto de Pedro Augusto AKA Ghana X.
Live Low percorre os caminhos mais introspectivos e experimentais da IDM e é a mais recente adição à colectânea da Tesla Tapes.

Os Fujako surgiram no meio do Portugal rural e debatem-se com universos tão complexos como o hip hop, o dub e a transformação e conjugação de graves numa única parede sonora.
Jonathan Saldanha e Nyko Esterie são os dois elementos que compõem os Fujako.

Este evento tem assinatura da Lovers & Lollipops, tem lugar no Passos Manuel 6ªFeira dia 30 de Janeiro e fica AQUI o link para o evento.

+

Modernos com três concertos em Fevereiro


Os Modernos, trio composto por membros dos Capitão Fausto, vão actuar três vezes no início de Fevereiro. 

Dia 5 vão fazer a primeira parte do concerto dos Salto, no Salão Brazil (Coimbra), dia 6 vão estrear-se no Porto, no Plano B, e dia 7 tocam na casazul, em Barcelos. Dia 6 e dia 7 serão acompanhados pelos BISPO e pelo Pedro Lucas, que irão abrir os concertos.

Os bilhetes custam 5€ em Coimbra, 7€ no Porto e 4€ em Barcelos.

A banda lisboeta lançou este Domingo o seu segundo EP, #2.

+

Torres anuncia novo álbum


Mackenzie Scott, mais conhecida por Torres, anunciou hoje Sprinter, o seu segundo álbum de estúdio. O LP será lançado dia 5 de maio e o primeiro single já pode ser ouvido aqui:


Sprinter'sTracklist:


 Strange Hellos

New Skin
Son, You Are No Island
A Proper Polish Welcome
Sprinter
Cowboy Guilt
Ferris Wheel
The Harshest Light
The Exchange

+

Planetary Assault Systems edita um novo EP

Luke Slater — um dos nomes mais sonantes do movimento techno — vai lançar um novo EP sobre o seu pseudónimo Planetary Assault Systems.

Este trabalho, de nome The Eyes Themselves, vai contar com a edição da sua label — a Mote-Evolver — e tem data de lançamento prevista para o dia 23 de Fevereiro. 
Deixamo-vos abaixo com a tracklist do mesmo.

The Eyes Themselves Tracklist:

01. The Eyes Themselves
02. Strange Attractor
03. Arc


+

Orenda Fink e Thayer Sarrano em Bragança a 7 de Fevereiro

Orenda Fink, artista reconhecida por pertencer à banda Azure Ray, publicou o seu primeiro disco a solo Invisible Ones em 2005 e Ask the Night em 2009, onde reflete as suas experiências vividas em viagens através dos mais pobres países do mundo como a Índia, Cambodja ou Haiti.

Regressa agora com Blue Dream, um disco que soa intenso, sonhador, como uma canção de embalar que amornece e estende os braços acolhendo a quem a escuta. Considerado pela maioria da imprensa Norte Americana como um dos melhores discos independentes de 2014.

Orenda Fink apresenta o seu novo disco na Europa em formato banda e normalmente faz-se acompanhar por nada mais nada menos que o seu marido, Todd Fink líder dos aclamados The Faint, por um dos bateristas mais reputados do mundo Bill Rieflin (Ministry, Swans, R.E.M. King Crimson, Nine Inch Nails), e pela belíssima Thayer Sarrano nas teclas que também se encarregará de fazer a primeira parte.
Thayer Sarrano é uma singer-songwriter, multi-instrumentista e artista-visual. Além do seu trabalho a solo colabora com inúmeras bandas. Conta já com dois maravilhosos álbuns ambos com críticas positivas sendo a sua musica referencia como shoegaze, psychedelic folk ou southern gothic rock.
Este evento tem assinatura da Dedos Biónicos, tem lugar lugar no Museu do Abade de Baçal, em Bragança, no dia 7 de Fevereiro, às 22h, com um custo de 6€.

+