sábado, 28 de novembro de 2015

Vídeos da Semana #70


Depois de uma semana de pausa a rubrica dos Vídeos da Semana volta em grande com trabalhos audiovisuais de MMOTHS, Panda BearChastity Belt, PINS e Ducktails.

1 - MMOTHS - "Deu"

2 - Panda Bear - "Crosswords"

3 - Chastity Belt - "Lydia"

4 - PINS - "Got It Bad"

5 - Ducktails - "Don't Want To Let You Know"

+

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Os Mutantes no Hard Club dia 1 de Dezembro





É já no dia 1 de Dezembro que Os Mutantes regressam ao nosso país. A banda brasileira é uma das principais referências da música psicadélica brasileira e internacional, assim como do movimento tropicalista que dominou a música popular brasileira no final dos anos 60. 

A banda, que já contou com Rita Lee e Arnaldo Baptista, conta agora apenas com Sérgio Dias como único membro da formação original.  O concerto decorre na sala 1 do Hard Club, no Porto, e a primeira parte estará a cargo de O Gringo Sou Eu, o projeto de Frankão, membro dos HHY & The Macumbas.   

Este é mais um dos concertos que marca o décimo aniversário da editora portuense Lovers & Lollypops, e os bilhetes custam 18 euros (custo pré-venda) e 20 euros à porta, disponíveis nos locais habituais.






                                      

+

Sufjan Stevens reedita 'Illinois' com nova capa


Para celebrar o 10º aniversário de Illinois, um dos grandes discos influentes de Sufjan Stevens, a Asthmatic Kitty Records vai lançar uma edição especial e limitada de Illinois mas com uma capa diferente. A reedição é limitada a 10.000 exemplares e será apresentada em formato vinil duplo, com um disco azul e outro em branco.

Illinois foi lançado em julho de 2005 e a sua capa original foi motivo de controvérsia pelo facto de destacar a imagem do Superman da DC Comics, sem ter direitos autorais sobre a mesma.

A reedição tem vindo a ser conhecida por "The Blue Marvel Edition" por trazer na capa a personagem The Blue Marvel, um herói relativamente novo cujos poderes são semelhantes aos do Superman, embora este último o tenha derrotado. A reedição é prevista para inícios de 2016.



+

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Hinds atuam em Lisboa e no Porto em fevereiro


O quarteto feminino Hinds, que ainda este ano esteve presente no festival Paredes de Coura, vai regressar a Portugal em função da sua nova tour europeia de apresentação do primeiro álbum de estúdio Leave Me Alone, com lançamento agendado para 8 e janeiro de 2016. A banda anteriormente conhecida por Deers vai atuar no Musicbox, Lisboa, no dia 5 de fevereiro e no Hard Club, Porto, um dia depois a 6 de fevereiro.

"Garden" é um dos temas incluídos no álbum das madrilenas.


+

Mécanosphère lançam 'Scorpio' em dezembro


Dez anos depois da edição da sua trilogia, os Mécanosphère regressam às edições com Scorpio. A ser editado pela Raging Planet, Scorpio apresenta oitos novos temas que são um manifesto polifónico e fragmentário por uma poética da transmissão. A composição do disco esteve entregue a Benjamin Brejon, Adolfo Luxúria Canibal, André Coelho (ex-Sektor304) e Manuel João Neto, contando com as colaborações de Gregory Whitehead, da vocalista alemã Annina, de Henrique Fernandes, de João Pais Filipe e de Rui Leal, entre outros.


Operando nos universos do chaos rock, spoken word, radio art, hip hop industrial, música concreta & kosmische muzik, os Mécanosphère são um coletivo transnacional de música e performance fundado em 1998, cujo trabalho tem cruzado diversas áreas artísticas e promovido o encontro e colaboração com músicos de diferentes proveniências.

Masterizado por James Plotkin (Khanate, O.L.D, Scorn), Scorpio é o resultado de um processo criativo iniciado em 2012 numa residência/concerto no contexto do festival Sonores (Guimarães), e será a primeira de várias edições e acções em diversos formatos (discos, concertos esporádicos, peças sonoras, radio art) planeadas para o futuro próximo.

O disco chega às lojas em inícios de dezembro. As primeiras datas para ouvir Scorpio acontecem a 11 de dezembro, no Cave 45 ( Porto) e a 12 de dezembro, no Musicbox (Lisboa).

+

Reverence Valada regressa ao Cartaxo em 2016 a 8, 9 e 10 de setembro



O Reverence Valada vai regressar ao Parque de Merendas de Valada, Cartaxo, para a sua 3ª edição, a 8, 9 e 10 de setembro. 

Os primeiro nomes do cartaz serão anunciados em breve e como é costume a aposta vai recair sobre bandas de géneros heavy psych, space rock e shoegaze, guardando também espaço para outras propostas, como uma seleção de alguns projetos emergentes portugueses.

A edição do próximo ano terá alguma novidades:
-Curadoria do primeiro dia (dia 8) de festival fica a cargo do Black Bass - Évora Psych Fest.
-Atuações mais longas e menos sobreposições entre bandas potenciando a experiência de todos os festivaleiros que se deslocam às margens do Rio Tejo para três dias repletos de música.

No ano passado este foi o cartaz:


Já podem ser adquiridos os bilhete para o evento, pela primeira vez antes do início do ano.


Passe 3 dias:50€ de até dia 31 dezembro
55€ de até dia 30 abril 
60€ até dia 30 de junho
65€ até dia 31 de julho
70€ até dia 31 de agosto
80€ a partir de 1 de setembro

Crianças:
Passe 3 dias:
Crianças até 10 anos inclusive - gratuito
Crianças de 11 a 14 anos inclusive - 50% de desconto

Locais de Venda:
ABEP – Agência de Bilhetes para Espectáculos Públicos, Lojas Fnac, Lojas Worten, El Corte Inglés, Lojas SportZone, Estações de Correio, entre outros mais detalhes em bilheteira online pontos de venda.

+

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

M83 confirmados no Nos Alive 2016



Já é conhecida a primeira confirmação do festival Nos Alive. Os franceses M83 estão de regresso ao nosso país e atuam dia 9 de Julho no palco Nos. A banda de Anthony Gonzalez, que atuou pela última vez em Portugal no antigo Optimus Primavera Sound de 2012, já está a trabalhar no sucessor do aclamado Hurry Up, We're Dreaming, de 2011, não se sabendo ainda pormenores sobre este. A décima edição do festival Nos alive realiza-se durante os dias 7, 8 e 9 de Julho no Passeio Marítimo de Algés, e os bilhetes já se encontram disponíveis.


+

PAUS com novo single


"Pela Boca" é o primeiro avanço para Mitra, o próximo álbum de PAUS, com edição agendada para 12 de Fevereiro com o selo da Universal



Para breve serão anunciadas as datas nacionais de apresentação de Mitra, sabendo-se apenas as datas na Bélgica e Holanda.



+

LiveSessions no Armazém do Chá no dia 27 de Novembro com Les Crazy Coconuts e Surma


A 27 de Novembro, o Armazém do Chá recebe os concertos de duas das pérolas recentes da música feita em Leiria: Les Crazy Coconuts e Surma (1ª parte).

Os Les Crazy Coconuts juntam o sapateado com o rock e a electrónica e nos últimos dois anos passaram por grandes palcos como o Alive, Paredes de Coura ou Indie Music Fest. A banda vai até ao Porto mostrar o seu primeiro álbum editado este ano, muito elogiado tanta cá como lá fora, e recentemente estivemos à conversa com eles.



Surma, é o projecto one-woman-band de Débora Umbelino, onde domina teclas, samplers, cordas, vozes e loop stations em sonoridades que fogem do jazz para o post-rock, da electrónica para o noise e nos levam para paragens mais ou menos incertas, com paisagens desconhecidas e muito prazer na viagem.



As portas abrem às 22h30. O concerto de Surma começa às 23h15 e Les Crazy Coconuts às 00h00. Os bilhetes têm o custo de 5€ ou 10€ (com álbum), com oferta de 2 bebidas pressão.

+

Old Jerusalem atua a 27 de novembro n'O Meu Mercedes Bar


Em jeito de surpresa,Old Jerusalem preenche a data de 27 de Novembro regressando a um dos recintos mais acarinhados da cidade do Porto. 

Old Jerusalem, projecto especial aplaudido pelo público e aclamado pela crítica por mais de uma década, tem como mentor Francisco Silva. Portuense e envolvido numa carreira paralela em economia, Francisco é também um dos compositores portugueses mais determinantes e reconhecidos da actualidade, tendo já realizado colaborações várias com artistas como Carlos Bica, Bernardo Sassetti, Alla Polacca, Mandrágora, Kubik, entre outros.

Com o sexto disco prestes a ser lançado já no início de 2016, intitulado A rose is a rose is a rose, Old Jerusalem revisita o seu público em casa, acompanhado por Miguel Ramos no baixo, em mais uma sessão intimista, abraçada pelas Festas Productions n' O Meu Mercedes Bar. O concerto tem início às 22h30 e tem o custo de 5€.

+

Galgo e Flying Cages vencem Vodafone Band Scouting e atuam no Mexefest


Os Galgo e os Flying Cages foram as bandas escolhidas para abrirem o palco da Estação Vodafone FM do Vodafone Mexefest, a 27 e 28 de novembro, respetivamente. As bandas foram selecionadas por um júri composto por elementos da Música no Coração, Vodafone FM e pela editora Pontiaq, após as suas prestações no Vodafone Band Scouting, na estação de metro do Cais de Sodré, na última sexta-feira.

De relembrar também que a 2 de Dezembro será anunciada a banda vencedora do Vodafone Band Scouting, a qual terá como prémio a edição de um álbum pela editora Pontiaq.


+

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Wild Nothing lança novo álbum no próximo ano


Wild Nothing tem novo álbum a sair em 2016, sendo que duas das músicas a integrar a tracklist do mesmo já se encontram disponíveis para audição, "To Know You" e "TV Queen". O vídeo para as respetivas canções pode ser visto abaixo, juntamente com a tracklist.

Life of Pause tem data de lançamento prevista para 19 de fevereiro pelos selos via Captured Tracks (US) e Bella Union (UK/EU).


Life of Pause Tracklist:
01 - Reichpop 
02 - Lady Blue 
03 - A Woman’s Wisdom 
04 - Japanese Alice 
05 - Life of Pause 
06 - Alien 
07 - To Know You 
08 - Adore 
09 - TV Queen 
10 - Whenever I 
11 - Love Underneath My Thumb

+

Underwold lançam novo álbum em 2016


Os britânicos Underworld, que passaram este ano pelo Porto para apresentar dubnobasswithmyheadman no NOS Primavera Sound, estão de regresso aos discos com Barbara Barbara, we face a shining future, o primeiro disco desde Barking, de 2010. O novo lançamento está previsto para dia 18 de Março. A banda britânica também revelou a cover art do novo disco, para além de uma pequena preview do que aí vem.


Tracklist:

I Exhale
 If Rah
 Low Burn
 Santiago Cuatro
 Motorhome
 Ova Nova
 Nylon Strung

+

Reportagem: The Sunflowers + Cave Story + Boogarins [Maus Hábitos - Porto]



Domingo, dia 15, fomos ao Maus Hábitos presenciar uma noite de rock e psicadelismo organizada pela Lovers & Lollypops.
A abrir o evento estiveram os Sunflowers, a dar tudo como sempre. "Mama Kim", "I'm a Woman, I'm a Man", "Charlie Don't Surf" e "Zombie" são algumas das malhas simples, mas eficazes que integraram a setlist do concerto do duo portuense. Ao vivo notam-se imperfeições em certos momentos das músicas, mas nada que não seja compensado pela energia transmitida pela banda, que em duas ou três canções foi acompanhada por um baixista. O espectáculo terminou com uma muito boa versão de "I Wanna Be Your Dog", durante a qual os papéis se inverteram e Carlos mudou-se para a bateria e Carolina para a guitarra.

Chegou depois a vez dos também portugueses Cave Story. O seu nome deriva de um videojogo, mas a música é completamente diferente da sua banda sonora. Os Cave Story são uma banda de rock onde a secção rítmica toca normalmente frases repetitivas que servem de base para a voz e para os riffs e solos de guitarra. Apesar de terem como canção mais conhecida o (bastante bom) single "Southern Hype", o maior destaque do concerto foi a última a ser tocada, "Hair", com a sua linha de baixo viciante e cativante. Seguiu-se o concerto mais esperado da noite, o dos brasileiros Boogarins

Enquanto grande parte das bandas psicadélicas da actualidade se limitam a copiar a sonoridade de artistas melhores e mais famosos, não acrescentando nada de novo ao género, os Boogarins têm um som característico e uma identidade própria. O quarteto apresentou canções de As Plantas que Curam e do mais recente Manual e não desiludiu. Todas as músicas soaram tão bem ou melhor que as suas versões de estúdio. 

As excelentes melodias vocais de "Avalanche" puseram o público a cantar e a abanar a cabeça. As pausas em "Tempo" tornaram-se mais longas e os seus finais ainda mais satisfatórios do que na versão original, com o som dos acordes a saber cada vez melhor de todas as vezes que se voltava a ouvir. "Lucifernandis", uma das melhores e mais viciantes canções do álbum de estreia, fez o público recuar no tempo e regressar a 2013, quando os Boogarins começaram a alcançar o seu muito merecido sucesso. "6000 Dias" e "Benzin" também soaram melhor que nunca, destacando-se a linha de baixo da segunda, extremamente catchy e agradável. Uma espectacular versão alongada de "Doce", no encore, marcou o final de um concerto que foi muito bom de uma ponta a outra, sem nenhum momento aborrecido ou cansativo.

Todos os músicos fizeram um trabalho excelente e tocaram de maneira exímia todas as músicas, e não podemos deixar de referir que o vocalista Dinho Almeida é por vezes impressionante de tão bem que a sua voz soa ao vivo. Os Boogarins sabem o que fazem e esperemos que voltem a Portugal em breve. Estamos prontos para mais!


The Sunflowers + Cave Story + Boogarins @ Maus Hábitos, Porto Texto: Rui Santos
Fotografia: Mário Jader

+

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Reportagem: B Fachada + Pega Monstro [Maus Hábitos - Porto]


No dia 20 de Novembro fomos ao Maus Hábitos ver os concertos de B Fachada e Pega Monstro, que se encontram numa pequena digressão pelo país e que lançaram, recentemente, um pequeno split colaborativo em que cada um interpreta temas do outro.

A noite começou com uma primeira parte de B Fachada, que acolheu o público durante cerca de 20 minutos com algumas músicas tocadas com a braguesa, num registo mais intimista e acústico passando por temas como “Joana Transmontana” e “Mana”, terminando este pequeno aquecimento com uma interpretação de “Pall Mall”, das Pega Monstro, e que pertence ao novo split referido anteriormente. Terminada esta bela canção, a fazer lembrar o som dos Flamingos, era a vez das irmãs Reis subirem ao palco. B Fachada voltaria mais uma vez no fim do concerto das Pega Monstro.

O concerto da dupla lisboeta começou ao som das duas primeiras faixas do excelente Alfarroba, "Branca" e "Braço de Ferro". O som destas duas grandes canções, abrasivo e explosivo, acompanhado de um volume sempre no máximo e repleto de distorção , não foi correspondido pelo público, que apesar dos aplausos não se demonstrava muito animado. O concerto prosseguiu com “Não Consegues”, uma bela faixa com um registo mais dreamy e também pertencente a Alfarroba, passando ainda por alguns temas do álbum homónimo como “Afta”, mas o momento alto do concerto foi para, mais uma vez, “Amêndoa Amarga”, uma música que demonstra aquele que é, provavelmente, o melhor rock feito em Portugal, com um som cheio de energia punk e raiva merecedor de um bom moche.

Terminado o concerto, era a vez de B Fachada voltar ao palco, desta vez sem a guitarra, fazendo-se acompanhar do seu teclado para uma sala cheia. A abrir com “Afro-Xula”, o público demonstrou-se mais animado e dançante. Sempre comunicativo e com sentido de humor, B Fachada ia tocando algumas das faixas favoritas dos seus fãs como “Está na Hora da Passa” e “Não Pratico Habilidades”, mas é em “Camuflado” que finalmente se ouvem vozes em uníssono. “Crus”, mais uma das faixas do último disco de Fachada, foi introduzida ironicamente como sendo uma música sentida para abraçar o parceiro do lado, contrariamente ao seu som cheio de ritmo e influências africanas. Seguiu-se a famosa “Quem Quer Fumar Com o B Fachada”, que pôs novamente o público a cantar em conjunto. Houve ainda tempo para mais uma reinterpretação de uma música das Pega Monstro, desta vez para “Branca”, tocada de uma forma bastante animada e extravagante. B Fachada anunciava o fim do concerto, relembrando que havia cartazes e discos lá fora à venda. “Capitalismo!”, dizia um membro do público, mas a vida é assim e já dizia B fachada sempre com humor: “a vida não está fácil e eu já tenho dois filhos”, merecendo uma grande ovação do público. “Dá Mais Música à Bófia” foi a canção escolhida para terminar o concerto, encerrando de forma animada uma bela noite composta por dois dos melhores nomes da nova música nacional.

B Fachada + Pega Monstro @ Maus Hábitos

Texto: Filipe Costa
Fotografia: Ana Carvalho Dos Santos

+

Oiçam: Janrik



João Henrique ou Janrik é o jovem madeirense de 18 anos que acaba de lançar o single "Cavalinhos".
Uma música que transporta a Madeira até às noites da cidade lisboeta com guitarradas fortes e emotivas do início ao fim, um artista a não perder de vista. 

+

The Underground Youth e Chicos de Nazca tocam no Lisbon Psych Fest


Depois de uma primeira edição que trouxe até ao Teatro do Bairro nomes como Tess ParksBlack Market KarmaDreamweapon, entre outros, o Lisbon Psych Fest está agora de regresso à capital com os ingleses The Underground Youth e Gnod, os Chicos de Nazca, que estiveram recentemente em Portugal na segunda edição do Reverence Valada  e a fechar, os portugueses 10.000 Russos nesta primeira vaga de confirmações. 

Os bilhetes para a segunda edição, que decorre este ano entre 15 e 16 de abril, estarão disponíveis para venda brevemente.


Cartaz já conhecido:

Dia 15/04 - The Underground Youth (UK) e Chicos de Nazca (CL) 
Dia 16/04 - Gnod (UK) e 10 000 Russos (PT)

+

Circuit Des Yeux tem novo single


Depois de ter lançado no presente ano In Plain Speech, Circuit des Yeux tem agora novo single, independente, que surge com o nome de "Stranger". Lançado há uns dias, "Stranger" é apresentado como single integrante do projeto WV (Weathervane) - que recrutou vários artistas a fim de produzir diversas curtas-metragens que documentam o processo da composição das músicas, exclusivamente elaboradas para a presente colaboração. O single pode agora ser ouvido abaixo.


+

The Cure em Portugal em 2016


Os The Cure vão regressar a Portugal em 2016, para um concerto em Lisboa, na MEO Arena. A banda, que em 2012 tocou no Optimus Alive, vai actuar no dia 22 de Novembro.

A primeira parte do evento estará a cargo dos The Twilight Sad.

Os bilhetes vão ser vendidos a partir do próximo Sábado, dia 28, com preços a variarem entre 35 (balcão 2 e mobilidade condicionada), 45 (plateia em pé) e 55 euros (balcão 1).

+

Ianva são a primeira confirmação do Entremuralhas 2016


Foi ontem anunciado o primeiro nome a ingressar o cartaz da edição de 2016 do Festival Gótico Entremuralhas. À sétima edição, o festival a ter lugar no Castelo de Leiria, irá receber a presença de oito músicos que dão corpo aos italianos IANVA ( “ya-noo-ah”), colectivo que chega de Génova e que se estreia finalmente, em Portugal. 

O grupo, onde pontificam elementos oriundos de diferentes quadrantes estéticos, é detentor de um universo musical facilmente identificável, o que lhes confere personalidade e um território sonoro próprio. As suas composições, repletas de arranjos que tanto nos remetem para a música popular italiana como para as vielas pecaminosas do pigalle parisiense, toca-nos pelo apelo poético que permanentemente as percorre.

Ainda sem dia de atuação confirmado, os IANVA estrear-se-ão em Portugal no habitual último fim-de-semana do mês de férias, entre 25 a 27 agosto.

+

domingo, 22 de novembro de 2015

Reportagem: The Underground Youth + Kim And The Created [Bad Bonn, Suíça]


No passado dia cinco de Novembro, a Threshold Magazine foi mais uma vez ao Bad Bonn. Desta vez, as bandas a apresentarem-me foram os Kim And The Created, e os The Underground Youth que vieram apresentar o novo álbum "Haunted".

Apesar de ser a primeira digressão do grupo pela Europa e de andaram a tocar com um baixista "emprestado", os Kim And The Created roubaram completamente o protagonismo aos cabeças de cartaz da noite. Apesar do garage-rock da banda não ter nada de inovador, têm temas divertidos e a presença em palco de Kim House é incrível, fazendo por vezes lembrar o energético Iggy Pop.



Mas, pelo contrário, o concerto dos Underground Youth não foi assim tão bom.

A banda oriunda de Manchester deu um concerto de quase hora e meia que mais pareceu durar umas quatro. As influências da banda são demasiado óbvias e a maior parte dos temas que tocaram soavam demasiado a bandas como os Brian Jonestown Massacre, os Jesus and Mary Chain, os Joy Division e os Velvet Underground. Infelizmente, o concerto tornou-se rapidamente aborrecido e não houve nenhum momento que se destacasse do resto.

+