segunda-feira, 11 de abril de 2016

Reportagem: Favela au Lait #29 [Café Au Lait - Porto]


Na passada quinta feira passamos pelo Café Au Lait, no Porto, para mais um Favela Au Lait, projeto desenvolvido pela editora portuguesa Favela Discos e que já conta com 29 edições realizadas, por onde já passaram diversos projetos nacionais da nova música portuguesa como Pega Monstro, Coelho Radioactivo, Luís Severo e Moxila, para referir alguns. 

Esta 29ª edição contou com a presença dos Bruma, quarteto bracarense de som difícil de categorizar mas que se situa entre o blues e o jazz, e que editou recentemente o seu primeiro EP Pesadelo. A cave do au Lait ainda não se encontrava completamente cheia, como viria a ficar nos concertos seguintes, quando os Bruma subiram ao palco para apresentar um pouco do seu trabalho. 

Há medida que se iam ouvindo os primeiros acordes, o público começou a surgir e notava-se que a sonoridade curiosa deste quarteto estava claramente a agradar quem a ouvia. Passando por temas mais antigos, revelados na sua compilação de demos editada em 2014, os Bruma presentearam-nos com o seu som cheio e rico, onde a comparação a uns BadBadNotGood se torna inevitável, pela sua fusão da música jazz a estilos mais variados e com alguma dose de experimentalismo. 

Neste concerto, foi também possível ouvir algumas das faixas que fazem parte do seu novo EP, um dos mais interessantes lançamentos nacionais do ano até ao momento, tocadas de forma muito convincente e que só provam que os Bruma são, de facto, um dos grupos a ter em atenção, cujo primeiro lançamento traz uma sonoridade muito curiosa e diferente do que se tem feito no país. 

Os Bruma conseguiram, assim, uma presença bastante competente e que agradou claramente o público, que dançava e aplaudia constantemente. Fica então o desejo de um futuro lançamento por parte deste interessante grupo bracarense, que revelou já estar a trabalhar no seu próximo EP. A noite continuou com os concertos de Diogo Jesus Big Band e Innit Bruvv.

Texto: Filipe Costa