segunda-feira, 20 de junho de 2016

Reportagem: Kamasi Washington [Casa da Música - Porto]


Na passada segunda feira passamos pela Casa da Música, no Porto, para assistir à aguardada estreia de Kamasi Washington em palcos portugueses. O saxofonista sensação tem vindo a dar que falar depois do lançamento do aclamado The Epic, editado em 2015, e depois de várias colaborações com grandes artistas como Flying Lotus e Kendrick Lamar em To Pimp a Butterfly.

Na sala Suggia o ambiente era de entusiasmo e os lugares iam se ocupando até às últimas filas. Sala cheia, portanto, para ver Kamasi e companhia apresentar aquele que já é considerado, para alguns, um dos clássicos da música jazz deste século. No palco podia-se observar vários instrumentos distribuídos, pelo que se esperava que o saxofonista viesse bem acompanhado. Assim o foi, contando com mais 6 membros inicialmente para o assistir. Abrindo o concerto com “Change  Of The Guard”, faixa que também inicia The Epic, podia-se esperar um momento memorável e de grande qualidade. 

Um discípulo dos grandes nomes da história do jazz apresentava-se pela primeira vez em Portugal, mostrando que a música jazz está viva e de boa saúde. À terceira faixa, junta-se ao palco o pai de Kamasi Washington na flauta transeversal para uma bela interpretação de “Henrietta Our Hero”, acompanhada da incrível voz da conjugue do saxofonista, Patrice Quinn. Em “Abraham”, uma nova faixa que poderá vir a fazer parte de um possível novo disco, o contrabaixista Miles Mosley assume-se como o líder do grupo, falando em português e puxando pelo público com fulgor.



Entre as músicas do novo disco, houve tempo para uma “conversa de baterias”, como denominou o saxofonista, entre os dois excelentes bateristas que o acompanharam, proporcionando um momento de grande intensidade e brilhantismo técnico.

Antes do encore, houve ainda tempo para a interpretação de “The Rythim Changes”, mais uma das grandes faixas que compõem o excelente disco do saxofonista. Depois de uma grande ovação por parte do público e de muitos aplausos, a banda regressou ao palco para mais uma música de sonoridade épica e ritmos intensos, culminando num concerto que durou quase duas horas onde o jazz reinou.

Foi a estreia de um saxofonista exímio que se fez acompanhado de uma banda igualmente brilhante e que prova que Kamasi Washington é um dos nomes mais interessantes dentro do género, proporcionando um concerto de proporções que roçaram o épico e o brilhante, numa performance de grande qualidade e que ficará com certeza na memória dos que a assistiram.


Kamasi Washington @ Casa da Música


Texto: Filipe Costa
Fotografia: Mário Jader