segunda-feira, 6 de junho de 2016

[Review] KESO - KSX2016


KSX2016 // Biruta Records/Paga-lhe O Quarto // maio de 2016
9.0/10

Quando se fala ou escreve sobre KESO, a frase ‘’Um dos tesouros mais bem escondidos do hip-hop português’’ vem inevitavelmente sempre à baila. E com razão. O artista portuense é realmente uma das joias da música portuguesa, e o seu novo álbum KSX2016, lançado no passado mês de maio pela Biruta e Paga-lhe O Quarto, vem mais uma vez confirmar isso.

Depois de Raios Te Partam (2003) e do grande O Revólver Entre As Flores (2011), KESO, ou Marco Ferreira, traz-nos outro álbum cheio de beats cativantes, guitarras, e do seu habitual e mordaz sarcasmo. O uso inteligente de samples de Almada Negreiros ou Agostinho da Silva provoca o pensamento introspetivo do ouvinte, pois este é, para além de muitas outras coisas, um álbum crítico, tanto do próprio artista, como do país.

Rico no uso da eletrónica, num soul já esperado, mas ao mesmo tempo único, e rico em excelentes colaborações, como a de Kapataz em “Manobras no Outono” ou Minus em “Escritor de Interiores”, uma das grandes músicas deste trabalho, KESO relembra-nos que ‘’sempre fiz isto pelo gosto e não pelo posto’’, e faz-nos apreciar o que temos cá dentro e ignorar todos os KDot’s lá de fora.

Excelente contador de histórias, rapper e surpreendentemente bom cantor, irónico, sombrio, direto e cru, sem intenções de ser likeable e com sotaque da Invicta, KESO apresenta-nos possivelmente um dos melhores álbuns do género dos últimos anos.

Um trabalho sem dúvida para ouvir vezes sem conta e para guardar para anos vindouros, porque, afinal, “he’s a clássico, fodei-vos!”


Texto: Márcia Boaventura