terça-feira, 9 de agosto de 2016

OUT.FEST apresenta primeiros nomes da 13ª edição


O OUT.FEST - Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro está de regresso entre 6 e 9 de Outubro para a sua 13ª edição e na semana passada foram anunciados os primeiros nomes que vão compor o seu cartaz, dando prioridade àqueles que apresentam um trabalho musical de bravura, criatividade, progressismo e coerência artística

O trio Evan Parkert, Barry Guy e Paul Lytton uma das bandas fundamentais da história do jazz - não só o free, como todo ele - nas últimas décadas, está de regresso a Portugal para o seu primeiro concerto em 15 anos. Do Japão vêm os Acid Mothers Temple com o seu heavy rock psicadélico, como sempre liderados pelo virtuoso Hendrixiano Makoto Kawabata.


Quem está também de regresso é Peter Kember aka Sonic Boom, apresentando aqui o seu projecto E.A.R. (Experimental Audio Research), pouco tempo depois de mudar de residência para o nosso país - o Sr. Kember irá ainda apresentar um projecto de workshop a divulgar mais à frente. O lendário Lê Quan Ninh, percussionista, compositor e improvisado francês, vem também apresentado um show a solo bem como um trabalho de workshop.

Foodman, vindo de Yokohama/Tokyo, vem estrear-se em Portugal na sua primeira digressão pela Europa, depois de se ter tornado revelação de uma electrónica que cruza e distila concretistamente todos os estilos (em potência) ao alcance deste compositor neo-renascentista e futurista. A Tropa Macaca, que lançou este Verão pela editora britânica The Trilogy Tapes o álbum Vida, composto por 4 ritos com a sua singular densidade e respiração psicodinâmica, novo episódio desta música rica em texturas harmónicas e tremor e balanço mediúnico, uma balada techno infinita composta por frases graciosas em guitarra e uma paisagem aural tocada por um sistema de electrónica original. 

Ondness é o heterónimo mais activo em tempos de recentes de Bruno Silva, incansável músico com percurso amplamente editado internacionalmente nos últimos anos, aqui particularmente concentrado num paisagismo húmido e vagamente tóxico, que processa e distila inúmeras referências da composição, da improvisação, da electrónica e da música ambient. 

O festival, conforme é seu cunho identitário, desenvolver-se-á em diferentes palcos e locais do Barreiro, sendo que os passes globais já estão à venda na Bilheteira Online e locais habituais, com preço especial de 20€ válido até dia 9 de Setembro.