quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Reverence Valada: "Os pedidos especiais de Satanás" - dia 9


Depois do aquecimento ao campista, o dia 9 de setembro promete trazer grandes concertos ao Reverence Valada. Um dos mais esperados vai acontecer neste dia, e sim, estou a falar de Brian Jonestown Massacre. A banda de Anton Newcombe promete fazer um dos mais memoráveis concertos da curta historia deste festival.

Para além deles, ainda vamos assistir a uma enorme vaga de shoegazers em cima dos palcos, nos concertos de A Place to Bury Strangers e The Raveonettes, que prometem encher os ouvidos dos fãs e o chão do palco com pedais.

Uma banda que tem dado muito que falar devido ao seu comportamento são os jovens Fat White Family, que prometem dar um concerto inesquecível, marcado pela sua energia e comportamento obsceno. 

Podemos contar ainda com a presença de bandas portuguesas como Black Wizards, Correia e Fast Eddie Nelson que para além de conquistarem cada vez mais o coração do publico, é sempre um prazer assistir ao seu talento com os próprios olhos.

Brian Jonestown Massacre


Após na edição passada, o festival ter contado com a presença de Joel Gion, percussionista e segundo no controlo criativo da banda, é a vez de esta edição contar com a alcateia toda, incluindo Anton Newcombe, mentor da banda.

Um forte candidato a concerto do ano, os sets da banda são conhecidos por visitarem grande parte da sua (longa) discografia, desde os primeiros álbuns, Methodrone e Spacegirl and Other Favorites, até aos Take It From The Man! e Their Satanic Majesties’ Second Request que contem as icónicas 'Straight Up and Down' e 'Anemone' (respetivamente). Sem esquecer também os álbuns mais recentes, o Mini Album Thingy Wingy, e o Musique de Film Imaginé, que é uma soundtrack de um filme imaginário mas também vem apresentar musicas que figuram no álbum que ainda vai ser lançado este ano, como por exemplo 'Fingertips'.

Certamente aquele concerto que não deixar ninguém indiferente, para o bem ou para o mal.



Fat White Family


Um concerto que tem levantado muita curiosidade e expectativas é certamente o dos ingleses Fat White Family.

Estes são conhecidos não só pelo espírito de animais de festa e pela sua energia demolidora, mas também por serem o oposto do politicamente correto, podemos esperar um concerto imprevisível e selvagem (e com votos que haja pelo menos um strip por parte do vocalista Elias).

Com dois álbuns debaixo do braço, sendo o ultimo, Songs For Our Mothers, lançado ainda este ano é certo que vamos ouvir hinos como 'Whitest Boy on the Beach' ou 'We Must Learn to Rise'.

Os irreverentes britânicos podem não ser os mais brilhantes músicos, mas destes pode-se esperar um espectáculo único e memorável, e se não for pelas canções, então é mesmo pela festa.



Dead Meadow


Não é bem stoner rock.
Não é bem rock psicadélico.
Não é certamente indie rock.

Esta banda de Washington D.C. tem um som bastante próprio e fácil de identificar como uma musica dos Dead Meadow, tornando-a assim uma das mais únicas bandas na cena psicadélica ou stoner.

Uma vez que eles não tem nenhum lançamento novo nos seus planos é de esperar que estes visitem toda a sua discografia.

Este é o concerto certo para todos os fãs de bandas como Led Zeppelin ou Blue Cheer, que enchem as suas musicas com riffs de guitarra capazes de fazer a cara de uma audiência derreter.

A banda de Jason Simon, Steve Kille e Juan Londono vão apresentar algumas das malhas mais interessantes do festival.



Yawning Man


Uma das bandas mais lendárias e que não tem levado a cobertura que merece nesta edição do Reverence é sem duvida Yawning Man.

Esta banda formada em 1986 em La Quinta, Califórnia, é considerada por muitos a primeira banda de Desert Rock, sem eles não existia Kyuss, nem Queens of the Stone Age, nem grande parte do movimento que surgiu no deserto de California.

Yawining Man ganhou notoriedade pelos concertos em formato de jam que faziam no deserto, alimentando os instrumentos apenas com geradores e muitas drogas. Actualmente, é de esperar o mesmo no concerto que vai acontecer em Valada, só que desta vez não são precisos geradores, mas podemos esperar que os californianos nos tragam o calor, o espírito e a experiência do deserto até ao seu palco.



A Place To Bury Strangers


A Place To Bury Strangers já não é uma banda estranha ao Reverence, esta é a segunda vez que estes se deslocam ao festival de Valada depois de terem tocado na primeira edição de 2014.

O trio americano é conhecido pela sua música barulhenta e pelas atmosferas psicadélicas, eles foram considerados por vários blogs e revistas como a “a banda mais barulhenta de Nova Iorque”. Contudo, apesar do volume capaz de fazer sangrar os ouvidos, esta banda utiliza nas suas melodias uma beleza que contrasta com a violência do som que estes criam com os seus instrumentos.

Se tiverem curiosidade para realmente descobrirem se os vossos tímpanos explodem ou não, apareçam lá pelo concerto dia 9 e tirem conclusões por vocês próprios.