sábado, 27 de fevereiro de 2016

Peine Perdue são a primeira confirmação do Monitor


Os franco-germânicos Peine Perdue são o primeiro nome a ingressar o cartaz do Monitor, o rendez-vous internacional que traz até Leiria minimal wave & post-punk em mais um evento da Fade In, aproveitando para se estrearem em Portugal.  A banda apresentará Disparitions, o mais recente disco, editado em março de 2015.

A dupla composta por Coco Gallo e Stephane Argillet Stereovoid encontra a sua inspiração na geometria, poesia e claramente na música e na arte das abstrações frias do século XVIII (Couperin, Pancrace Royer etc). O minimalismo e a synthpop aritmética do início dos anos 80, são igualmente claras influências. 

A primeira edição do Monitor toma lugar no Beat Club, em Leiria, no dia 28 de maio. Ainda não são conhecidos os preços dos bilhetes.


+

Vídeos da Semana #76


Num fim-de-semana marcado por chuva e intenso frio é a altura certa para ficar em casa a ver os vídeos lançados durante a semana. Assim e para quem os perdeu, deixamos abaixo os trabalhos audiovisuais de BjörkWhite LungMassive Attack feat. Young Fathers, The KVB Parquet Courts. Tudinho ali em baixo.

1 - Björk - "Black Lake"

2 - White Lung - "Hungry"

3 - The KVB - "In Deep"

4 - Massive Attack feat. Young Fathers - "Voodoo In My Blood"

5 - Parquet Courts - "Berlin Got Blurry"


+

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

STREAM: Death Index - Death Index


Fãs de Iceage ponham os ouvidos em Death Index, dupla composta por Carson Cox (Merchandise) e Marco Rapisarda que, através deste primeiro álbum de estúdio, mostra o punk nunca esteve tão vivo.  O resultado é um registo do punk grosseiro salpicado pelos sintetizadores e caracterizado nos acordes corroídos. O disco pode ser ouvido na íntegra ali abaixo.

Death Index, álbum de estreia homónimo, está disponível a partir de hoje nas lojas via Deathwish Inc.


+

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Diogo Augusto - Only For The Lonely







Estamos de volta e hoje a faixa é "It´s a lonesome old town".
  Nesta faixa reparamos numa voz mais retorcida e numa guitarra triste, abatida mas que com o avançar da música para ganhar vida passando a estar mais agitada, mas é mesmo sol de pouca dura. 
Esta faixa existe logo algo que é dito no início que fica no ouvido, quando se faz ouvir "I never knew how much I miss you// But now I can plainly see it" está é a frase que fica que nos faz comprovar que é uma música de arrependimento, que nos mostra a solidão após o final do relacionamento, como pode ser cruel viver sozinho após uma relação com alguém que nos era tudo.
   


+

Passatempo: Ganha bilhetes para o concerto de Odd Couple no Musicbox


Os Odd Couple são um duo guitarra e bateria que vem de Berlim mostrar-nos o seu urgente e suado rock’n’roll. A banda vem até ao Musicbox, Lisboa, apresentar o seu disco de estreia, It's a Pressure to Meet You, na próxima terça feira, 1 de Março. A abertura ficará a cargo dos Qer Dier

Os concertos começam por volta das 22h30 e os bilhetes têm o custo de 5€.

Em parceria com o Musicbox, temos 3 bilhetes duplos para oferecer. Por isso se queres ser um dos contemplados só tens de participar neste passatempo e seguir as instruções em baixo:

1- Seguir a Threshold Magazine e o Musicbox no facebook.

2-Gostar do post referente ao passatempo no facebook.

No próxima terça-feira, 1 de março, há Odd Couples no Musicbox. E nós temos bilhetes para oferecer.
Posted by Threshold Magazine on Thursday, 25 February 2016


3- Partilhar este o post acima referido, em modo público, e identificar 3 amigos na publicação. 

O passatempo acaba no dia 28 de Fevereiro,às 23:59 e os prémios serão sorteados de forma aleatória através da plataforma https://www.random.org/.

Boa sorte.

+

Milhões de Festa anuncia primeiros nomes




      O Festival Milhões de Festa anunciou hoje os seus primeiros nomes. 

      Este ano em Barcelos poderemos então esperar Part Chimp, GOAT, Evil Blizzard, Tomaga, Sons of Kemet e ainda Domenique Dumont 
O Milhões de Festa realizar-se-à então dos dias 21 a 24 de julho, em Barcelos.Os passes gerais  poderão ser comprados nos locais habituais pelo preço de 75€.
                                            

  

 







+

Vira Pop regressa a 18 Junho


O Vira Pop está de volta ao Parque das Termas de Caldelas, Amares (distrito de Braga), Sábado 18 de Junho. O evento, que teve a sua primeira edição em 2015, volta a ser gratuito, conciliando a cultura popular, folclórica, pitoresca, característica da região com a cultura pop urbana. 
Brevemente haverá novidades sobre as bandas que atuarão a 18 de Junho no Parque das Termas de Caldelas.


+

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Black Bombaim & Peter Brötzmann no Hardclub


No próximo dia 27 de fevereiro, os Black Bombaim vão estar, no Hard Club com Peter Brötzmann. A banda de Barcelos, com uma sonoridade que nos mete numa nave espacial e explora sons de outro mundo, junta-se ao saxofonista alemão de 74 anos, o que pode tornar a noite ainda mais curiosa.

Os Black Bombaim surgiram em 2007, já tendo acuado em grande palcos e tendo já o seu próprio carimbo no panorama stoner, psicadélico português. Do outro lado, Peter, é um dos saxofonistas mais prestigiados do continente europeu. Embora seja uma colaboração improvável, a expectativa é alta e a noite vai ser única. Os bilhetes custam 10 euros.



+

Programação por dias do NOS Primavera Sound


O festival portuense NOS Primavera Sound, que vai decorrer nos dias 9 a 11 de junho no habitual Parque da Cidade, já disponibilizou a sua programação por dias, assim como o preço dos bilhetes diários. O cartaz que foi anunciado no passado dia 4 de fevereiro, que conta com nomes como Animal Colective, Sigur Rós e Brian Wilson tem agora os seus dias definidos, só faltando os horários das actuações, o que só deve ser disponibilizado em maio. Os bilhetes diários vão ter o preço de 55 euros, e o passe custa agora 105 euros.

Quinta, dia 09 de Junho:
Animal Collective
Deerhunter
Julia Holter
Parquet Courts
Sensible Soccers
Sigur Rós
U.S. Girls
Wild Nothing

Sexta, dia 10 de Junho:
Beach House
BEAK>
Black Madonna
Brian Wilson performing Pet Sounds
Cass McCombs
Destroyer
Dinosaur Jr.
Empress Of
Floating Points (live)
Freddie Gibbs
Holly Herndon
Kiasmos
Mudhoney
Mueran Humanos
PJ Harvey
Protomartyr
Roosevelt
Savages
Tortoise
White Haus

Sábado, dia 11 de Junho:
Air
Algiers
Autolux
Bardo Pond
Battles
Car Seat Headrest
Chairlift
Drive Like Jehu
Explosions In The Sky
Fort Romeau
Linda Martini
Loop
Manel
Moderat
Neil Michael Hagerty & the Howling Hex
Royal Headache
Shellac
Titus Andronicus
Ty Segall and The Muggers
Unsane

+

Medeiros/Lucas com novo disco em abril


Medeiros/Lucas, o projeto que junta Pedro Lucas e Carlos Medeiros na construção de uma nova topografia da música popular portuguesa dá agora continuação ao trabalho iniciado em Mar Aberto(2015) com Terra do Corpo, disco que explora o corpo físico e os humanismos mais táteis.

Terra do Corpo foi gravado e misturado por Eduardo Vinhas (Golden Pony) e masterizado por Harris Newman (Grey Market Mastering). Além de Ian Carlo Mendonza (Tigrala) e Augusto Macedo (Selma Uamusse), músicos residentes do projecto, este disco conta ainda com as participações especiais do contrabaixista Carlos Barretto, de um duo de guitarras com Tó Trips (Dead Combo) e Rui Carvalho (Filho da Mãe), e com os vocalistas Selma Uamusse e António Costa (Ermo).

Terra do Corpo é editado a 5 de abril via Lovers&Lollypops.

Terra do Corpo Tracklist:
1. Sede 
2. Safra de Gente 
3. Sístole Perdida 
4. Transparência 
5. Corpo Vazio 
6. Asas 
7. Azougo 
8. Sina Saudade 
9. Pulmão 
10. Fome de Vento

+

Mundo Quesadilla #8 com The Sunflowers e NOOJ


É já no próximo sábado, dia 27 de fevereiro, que se faz o regresso dos The Sunflowers a Lisboa, desta vez para tocar na oitava edição do Mundo Quesadilla, evento organizado pelo próprio DJ Quesadilla. A acompanhar os portuenses Sunflowers vão estar os NOOJ, duo lisboeta formado por membros dos Old Yellow Jack, que vão ficar encarregues de abrir este evento no Damas Bar.

Os concertos têm começo marcado por volta das 22h, as entradas são grátis.


The Sunflowers



NOOJ

+

[Review] Tomorrows Tulips - iNdy rock royalty comb EP


iNdy rock royalty comb // Burger Records // janeiro de 2016
7.0 / 10

Os Tomorrows Tulips estão de regresso aos discos com um novo EP pintado em tons lo-fi, e dentro dos conformes tendo em conta os seus três antecessores - Eternally Teenage(2011), Experimental Jelly(2013) e When(2014) - só que com nova formação. Depois de Christina Kee e Jamie Dutcher, quem toma conta da bateria de iNdy rock royalty comb é Jennifer Agnew, que se apresentará ao vivo juntamente com Alex Knost e Ford Archbold nos concertos que a banda tem agendados em Portugal para fins de maio. Sem muito marketing envolto, o trio anunciou o lançamento do presente EP, disponibilizado unicamente em cassete ou vinil de 12'', via Burger Records. A tour europeia foi apresentada através do primeiro single de avanço, o já conhecido "Check Me Out", que integrou inicialmente a compilação All​-​American Edition, juntamente com outros 15 singles não editados de bandas DIY.


iNdy rock royalty comb traz oito canções, tratando-se de um EP devido à sua duração exata de 20 minutos; já o seu conteúdo, traz uma mistura de coisas interessantes com coisas desnecessárias. Isto é essencialmente notório ao longo das reproduções do disco, onde se encontra, a título de exemplo, o mini-teaser
"Calvin's Mic Check" que funciona como representação artística do que Alex Knost diz anteriormente em "Why I Didn't Like August 93", ao afirmar "I've got a drug problem". É interessante na medida em que dá continuidade ao EP, fazendo com que os "oito" singles funcionem como uma só obra, bastante coesa. É desnecessário na medida em que aqueles 21 segundos de duração poderiam ser poupados ao ouvinte porque, mesmo a funcionar como abertura para "Ballad Of Abandoned Style", são prescindíveis. 

No entanto há coisas muito positivas, e estas encontram-se logo na abertura do presente EP em "Quiet Riot Grrrl", single que ficou a ser conhecido recentemente pela performance para mais uma edição do "A Take Away Show" da La Blogothèque (ver aqui). Embora tenha surgido como um single, a mostrar uma banda mais noise que propriamente lo-fi, a sua versão final traz uma melodia que se mantém fiel aos trabalhos que os Tomorrows Tulips produziram até então. "Convertible PCH", apesar de um ritmo muito similar ao que já é conhecido, traz os riffs de guitarra que fizeram muitos adolescentes sonhar quando Eternally Teenage e Experimental Jelly andavam na berra. É interessante ver como, tendencialmente, as músicas do trio da Costa Mesa - Califórnia fazem voltar à memória de qualquer um uma imagem mental do verão, e a estratégia de lançar o álbum num final de inverno acaba por levar à audição consecutiva dos seus trabalhos.

A finalizar iNdy rock royalty comb apresenta, na sua duração, uma banda com ideias diferentes, talvez por isso seja só um EP para ver como os fãs o recebem. Por aqui ouviu-se bem. Com Alex Knost ocupado com seu projeto paralelo com Kim Gordon (ex Sonic Youth) - Glitterdust, será difícil ter um novo álbum de estúdio dos Tomorrows Tulips brevemente, portanto é aproveitar os dois concertos em Portugal que ingressam o cartaz da tour europeia. Até lá e se a curiosidade persistir o EP pode ser adquirido aqui.

+

Fade In anuncia MONITOR - Minimal Wave & Post-Punk International Rendez-Vous

Warren Suicide ao vivo no Fade In Festival 2007 - Beat Club

A Fade In, associação cultural sediada em Leiria que é responsável anualmente pela realização do festival Entremuralhas, anunciou a realização de mais um evento de cariz único em Portugal - o MONITOR. Sem grandes informações envoltas para já sabe-se que será um evento de data única a realizar-se a 28 de maio, no Beat Club, em Leiria e trará nomes que não são desconhecidos àqueles que todos os domingos acompanham a emissão do programa Unidade 304.

Portanto no MONITOR, que ficará a ser conhecido por um rendez-vous internacional, não faltará Minimal Wave e Post-Punk para acalmar a ansiedade que se sofre nestes até ao último fim de semana de agosto em que acontece o grande evento do Castelo de Leiria. Quanto a nomes, a organização ainda não avançou com nenhum mas avançará com o cartaz completo brevemente. Podendo, é ficar atento aqui


+

Gold Panda com novo álbum em maio


Gold Panda está de regresso aos discos três anos após a edição de Half of Where You LiveGood Luck And Do Your Best é o novo disco de estúdio do produtor Derwin Schlecker e segue com "Time Eater" como primeiro avanço, cujo vídeo recebe assinatura do artista visual Ronni Shendar, a ver abaixo.

O álbum, influenciado por viagens do produtor ao Japão em 2014, foi gravado por Gold Panda na sua casa em Chelmsford, e masterizado no estúdio Luke Abbott.

Good Luck And Do Your Best tem data de lançamento prevista para 27 de maio via City Slang.


Good Luck And Do Your Best Tracklist: 

1. Metal Bird 
2. In My Car 
3. Chiba Nights 
4. Pink And Green 
5. Song For A Dead Friend 
6. I Am Real Punk 
7. Autumn Fall 
8. Halyards 
9. Time Eater 
10. Unthank 
11. Your Good Times Are Just Beginning

+

Marissa Nadler anuncia novo disco


A americana Marissa Nadler anunciou ontem a edição do sucessor de July(2014) que segue sob o nome de Strangers e vê para já revelada a cover-art, tracklist e o primeiro avanço oficial, "Janie In Love" que pode ser ouvido abaixo. Strangers é o sétimo trabalho longa duração da cantora e foi gravado com o produtor Randall Dunn, que também ficou encarregue de July.

Strangers tem data de lançamento prevista para 20 de maio pelo selo Sacred Bones Records/ Bella Union.


Strangers Tracklist:
01. Divers of the Dust 
02. Katie I Know 
03. Skyscraper 
04. Hungry Is the Ghost 
05. All the Colors of the Dark 
06. Strangers 
07. Janie In Love 
08. Waking
 09. Shadow Show Diane 
10. Nothing Feels the Same 
11. Dissolve

+

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Massive Attack e Young Fathers confirmados no Super Bock Super Rock


Os Massive Attack e os Young Father são as mais recentes confirmações da 22ª edição do Super Bock Super Rock, que decorre nos dias 14, 15 e 16 de julho, no Parque das Nações. 

Os Massive Attack, que em 2014 passaram pelo SBSR, estão de regresso a Portugal para apresentar os novos EPs,  Ritual Spirit e outro com edição prevista para a primavera. Quanto ao sucessor de Heligoland (2010), esse virá mais para o final do ano. A banda de Bristol vai atuar a 15 de julho no Palco Super Bock, fazendo-se acompanhar nesta tour pelos Young Fathers.

Já confirmados:

14 de julho

Palco Super Bock - Disclosure, The National
Palco EDP - Jamie XX, Kurt Vile, Villagers 

15 de julho

Palco Super Bock - Massive Attack & Young Fathers, Bloc Party
Palco EDP - Mac DeMarco, Kwabs, Petite Noir 

16 de julho

Palco Super Bock - Kendrick Lamar
Palco EDP - FIDLAR

+

Diogo Augusto - Only For The Lonely


Como começar?

Quando me fizeram chegar o interesse para escrever acerca deste novo projecto do Diogo Augusto fiquei claro entusiasmado. 

Mas surgiram-me logo várias memórias do Diogo Augusto em termos de musicalidade: The Jack Shits, Los Saguaros entre outras bandas. E fiquei a pensar que iria ser algo de Frank Sinatra com um toque mas pesado, mais agressivo.

Quando recebo o álbum e abro fico maravilhado, era tudo algo pré-concebido, tudo bem que um gajo pode fazer umas malhas sujas com as suas bandas mas isto era um álbum de Sinatra, o Diogo conseguiu com a sua guitarra transmitir serenidade, calma e conseguiu fazer uma melodia bonita, sempre com o seu toque especial, mais mexido claro.

Hoje então, apresentamos a terceira faixa "Whats New", uma música que nos fala do cantor a observar um amor já passado, dizendo-lhe que não mudou, que nada mudou, o cantor ainda ama apesar do tempo ter passado e muito ter mudado.Neste caso, foi o intérprete que mudou, mudar de ares faz a diferença apesar do espírito do garage rock estar sempre presente no Diogo Augusto.



+

[Review] Filho da Mãe & Ricardo Martins - Tormenta


Tormenta // Revolve // fevereiro de 2016
7.3/10

Foi em maio do ano passado que dois grandes nomes do panorama musical português se juntaram para gravar um álbum colaborativo. Estamos pois a falar de Rui Carvalho, exímio guitarrista português que fez parte dos If Lucy Fell e I Had Plans, dedicando-se mais tarde a solo sob o nome de Filho da Mãe, responsável pelos tão aclamados Palácio (2011) e Cabeça (2013), e do incansável Ricardo Martins, um dos melhores percussionistas portugueses, parte integrante de projetos como Lobster, Cangarra, Papaya, NOZ2 e mais recentemente colaborador de Jibóia em Masala

O single “Tormenta”, tema de ritmos ferozes e impetuosos, foi a primeira amostra desta união e deu o título ao álbum colaborativo, mas lamentavelmente não está presente neste trabalho. Rui Carvalho trocou a guitarra clássica, tão presente em Filho da Mãepela guitarra eléctrica e com a ajuda de Ricardo Martins, criaram um álbum de atmosfera mais negra, densa e enérgica, que bebe de influências do post-rock progressivo e experimental  

Tormenta é constituído por seis temas exclusivamente instrumentais, criados em sessões de improviso, segundo uma entrevista do duo à radio RadarHá duas grandes malhas neste LP, "Estrela Acabada" e a surpreendente "A Tia Dela". A primeira consegue explorar, em cerca de sete minutos de duração, um jogo calmo de guitarra e bateria que nos faz recordar uma versão mais post-rock dos Dead ComboA segunda foge ao resto da sonoridade apresentada, assemelhando-se a uns Battles, tanto na percussão como na experimentação.

"Pessoal Beto Em Sítios Chungas" é a faixa do disco que mais se parece com o single "Tormenta", pesada e densa, espelhando bem a sonoridade do álbum. A faixa final "Truta Salmonada", que apresenta uma faceta mais virada para o math rock dos Shellac, funcionaria melhor como um interlúdio para o single "Tormenta", o qual seria um ótimo complemento às restantes seis faixas, permitindo deste modo um final não tão abrupto.


Tormenta trata-se de um trabalho facilmente audível em que a guitarra e a bateria se encontram em equilíbrio, com igual protagonismo no resultado final, no entanto, não representa nenhuma inovação no panorama musical atual. Certamente que ouvir Tormenta ao vivo será uma experiência mais emocionante.

+

Minta & The Brook Trout apresenta "Slow" no CCB a 26 de fevereiro

©Vera Marmelo
Francisca Cortesão está de regresso com o seu projeto Minta & The Brook Trout, trazendo como novidade o sucessor de Olympia (2012). Slow é o terceiro álbum da banda lisboeta e é editado a 26 de fevereiro. 
Curiosamente, a data coincide com o primeiro concerto de apresentação deste novo trabalho no pequeno auditório do CCB, assim como da renovada formação da banda.

O concerto começa às 21h e os bilhetes custam entre 12,5 e 15€. 

+

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Daily Misconceptions com novo single


Os Daily Misconceptions vão lançar o seu primeiro disco de estúdio, Our Little Sequence of Dreams, em março e para celebrar disponibilizaram recentemente o primeiro single de avanço, "Little Grains of Rice Running Away From A Plate In Fear Of The Chopsticks". O single, que sucede o disco colaborativo com O Manipulador - LOP, conta com reinterpretações e remisturas de artistas como Homem em Catarse, Twisted Freak, Blac Koyote, entre outros.

 Our Little Sequence of Dreams será editado pela Zigur Artists e o primeiro single de avanço, bem como respetivas remisturas, poderão ser descarregadas gratuitamente no bandcamp oficial.


+

Kim Gordon (ex-Sonic Youth) com novo álbum de Glitterbust


Os Glitterbust, duo formado pela baixista dos extintos Sonic Youth, Kim Gordon, e Alex Knost dos Tomorrows Tulips, anunciou hoje o seu álbum homónimo de estreia, que vai sair no dia 4 de março via Burger Records. O primeiro single de avanço desta nova banda, "The Highline", já está disponível para audição, o qual podem ouvir aqui em baixo. Glitterbust vai ser editado sob o formato de LP duplo e cassete, cuja tracklist também podem verificar neste artigo.

Glitterbust:
01 Soft Landing
02 Repetitive Differ
03 Erotic Resume
04 The Highline
05 Nude Economics

+

Hey Colossus regressam a Portugal em Abril

Hey Colossus @ Milhões de Festa © Renato Cruz Santos
Os londrinos Hey Colossus estão de regresso ao nosso país depois sua atuação na edição do ano passado do Milhões de Festa. A banda que compreende uma sonoridade que vai desde o sludge metal, presente nos seus riffs poderosos e violentos, até ao rock psicadélico, vem até ao Cave 45 no dia 27 de Abril apresentar o seu álbum mais recente Radio Static High, editado em 2015. 


Os bilhetes estarão disponíveis em breve na Bilheteira Online e nos locais habituais, ao preço de 8€. O concerto tem o selo da Lovers & Lollypops.

+

Bat For Lashes regressa em 2016 com "I Do"


Natasha Khan está de volta com o seu projeto Bat For Lashes, 4 anos após o álbum The Haunted Man. Natasha, que em 2015 esteve envolvida no projeto Sexwitch, mostrou o novo tema "I Do", o qual se faz acompanhar pela mensagem "Save the Date, 1st July 2016, Til death do us part,".

+

Salón Fuzz #14 no Lounge com Pega Monstro


Pouco depois da ultima data da sua tour europeia na ZDB, as Pega Monstro voltam para passar uns discos em Lisboa, na próxima quinta-feira, para celebrar o quarto aniversário do Salón Fuzz. Também a acrescentar a este dj set, vai haver Lovers & Lollypops Soundsystem, e um set do próprio organizador deste evento, Mário Valente, o que vai encerrar esta noite no Lounge.

O evento começa pelas 23h no dia 25 de fevereiro, e as entradas são gratuitas.

+

[Review] Conan - Revengeance


Revengeance // Napalm Records // janeiro de 2016
8.0/10

Janeiro de 2016 esteve repleto de lançamentos interessantes e diferentes, mas apesar da diversidade, nenhum deixou tantos fãs surdos como o quarto álbum do trio inglês Conan. Depois dos fortíssimos lançamentos de Monnos e de Blood Eagles, eis mais um lançamento para deixar água na boca a todos os fãs de Doom metal, stoner rock e musica drone.

Apesar de terem passado por várias mudanças no núcleo da banda, sendo a mais recente a mudança de baterista (saiu Paul O'Neil, que contribuiu nos dois primeiros álbuns da banda, e entrou Rich Lewis, que introduziu elementos diferentes e inovadores no género, como a utilização de blast beats no tema título deste trabalho), Conan regressam aos álbuns, optando mais uma vez pelos temas épicos sobre guerra e influências de ficção cientifica.

O álbum abre com “Throne of Fire”, que serve como aviso para preparar o ouvinte do que lhe espera, isto é, Conan não perdoa nas suas introduções. Para anunciar a guerra que se aproxima libertam uma fera em cima de uma bateria. É com uma enorme rapidez e ferocidade que somos introduzidos ao novo álbum da banda.

Depois desta faixa os ritmos abrandam, mas nunca o volume. “Thunderhoof” e “Wrath Gauntlet” mostram os riffs lentos e repletos de fuzz que a banda nos tem habituado. A acompanhar o denso som da guitarra temos a sempre fiável secção rítmica da banda, o baixo e a bateria, e a intimidante voz de Jon Davis a contar as suas histórias de guerra como se ele próprio as tivesse assistido. As músicas são lentas mas não chegam ao nível de, por exemplo, Sunn O))) ou Earth, assinando assim cada vez mais uma identidade própria.

Passando esses sons mais lentos e densos chegamos a “Revengeance”, música que partilha o nome com o álbum, e sem dúvida, o elemento que mais se destaca das seis músicas, objectivo e direto. A bateria volta a ser martelada com uma fúria incrível, os riffs continuam a perfurar ouvidos enquanto ouvimos Jon Davis profetizar “We are all nothing/You are nothing/All this is infinite”.

“Every Man is An Enemy”, que possui aquele que é, discutivelmente, um dos melhores nomes para uma música de metal, é uma incrível marcha e um exemplo perfeito do que se esperar desta banda, onde apenas demonstram o quão bem aperfeiçoaram a sua arte e o seu estilo. “Earthenguard” é o ponto final do nosso álbum, tratando-se de uma incrível ode ao Doom Metal, uma poderosa e barulhenta jam de 11 minutos, que em nenhum momento perde o seu foco ou intensidade.

Conan prova mais uma vez neste álbum porque é um alicerce da música extrema e pesada e porque são um nome com cada vez mais importância dentro do seu estilo. Apesar de por vezes pecarem devido à sua previsibilidade, Revengenance é dos álbuns mais pesados que podemos encontrar, mas que nunca perde a noção de qualidade.

Texto: Hugo Geada

+

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Vídeos da Semana #75


Esta semana reunimos vídeos de Lust For Youth, Protomartyr, TRAAMS, Moderat e Tim Hecker, todos para ver ali em baixo.

1 - Protomartyr - "Dope Cloud"

2 - TRAAMS - "Neckbrace"

3 - Moderat - "Reminder"

4 - Tim Hecker - "Castrati Strack"

5 - Lust For Youth - "Sudden Ambitions"

+