sábado, 9 de abril de 2016

[Review] And Also The Trees - Born Into The Waves


Born Into The Waves // AATT // março de 2016
9.0/10

Os And Also The Trees formaram-se em 1979 na vila Inkberrow em Worcestershire, em Inglaterra por dois pares de irmãos - os atuais vocalista, Simon Huw Jones, e guitarrista, Justin JonesGraham Havas (ex baixista) e Nick Havas (ex baterista). Com um início de carreira marcado pela amizade da banda com os The Cure, em 1981 os And Also The Trees estavam a abrir palco para os concertos da banda de Robert Smith no Reino Unido e o primeiro disco de estúdio, o homónimo And Also The Trees (1983), viria a ser produzido por Laurence TolhurstCuriosamente, a relação com os The Cure não foi episódica. 

Muito aclamados pelas letras poéticas e música evocativa, fortemente influenciadas pelo seu país nativo, os And Also The Trees construíram uma discografia notável em 36 anos de carreira e regressam agora às edições com Born Into The Waves, o décimo quarto disco de estúdio, que vem três anos depois de Hunter Not The Hunted (2012) e trinta e três depois do homónimo. Para trás ficaram grandes marcos na cena do post-punk como o clássico Virus Meadow (1986), Farewell To The Shade (1989) e (Listen for) The Rag and Bone Man (2007).

A presente crítica não se estenderá a comparações no tempo dado que as ideias e os pensamentos de então certamente se encontram bastante diferentes aos de hoje em dia. A compreensão que se tem do mundo e as identidades sofreram alterações com a globalização, sentida nas últimas décadas, e obviamente isso influencia e repercute-se no trabalho de um artista. Para 2016 Born Into The Waves chega com um selo de qualidade semelhante aos dos trabalhos anteriores, face à data de edição, e com uma musicalidade que é apetecida, por se mostrar distinta no seu espírito neo-romântico.

Sem grandes apresentações Born Into The Waves foi anunciado através de um pequeno teaser com "Your Guess" como pano de fundo, música  já apresentada o ano passado, em versão ao vivo, no dia de encerramento do Entremuralhas. É também um dos singles do álbum mais semelhante à linha sonora base dos seus já editados discos. O desenvolvimento lento, com a guitarra dedilhada característica, faz viajar até aos recônditos dos anos 80 e lembrar que ainda há poetas na atualidade que apetrecham o seu trabalho na música.



Simon Jones tem uma voz incrível para a música que os And Also The Trees têm apresentado e isso, explorado afincadamente outrora, abre agora espaço para experimentações no campo instrumental. Embora caso único no disco, "Naito-Shinjuku" é uma belíssima composição que explora toda uma gama de sensações através da sonoridade conjugada entre baixo, guitarra e teclados e se vê imune de voz. Já "The Bells Of St Christopher's" explora um certo ambiente eletrónico instrumental, mas sem dispensar o som vocal. Outro single que se apresenta marcante à primeira audição é "Winter Sea", um colosso instrumental maravilhoso. Há uma exploração e implementação de diversos samples musicais, a guitarra apaixonada e a voz de um homem abandonado aos seus pensamentos num mar de Inverno. Uma música certamente maravilhosa para se ouvir em formato orquestra.

Born Into The Waves é um álbum saudoso. O seu desenvolvimento traz uma melancolia inerte que não escapa ao ouvinte. Mas é uma saudade feliz e que traz uma certa esperança aos amantes da música que se fazia ouvir nas rádios há umas três décadas atrás. Há uma maturidade indiscutível no volver de cada canção e um disco que tem a capacidade de influenciar as próximas bandas na cena do art-rock e as revivalistas do post-punk e subgéneros. Acima de tudo é memorável o facto de, com uma carreira já tão expansiva, os And Also The Trees  ainda produzirem um disco com uma qualidade tamanha como a de Born Into The Waves. Bastante apropriado para os fãs de Nick Cave e Scott Walker.

+

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Meatbodies de regresso a Portugal para dois concertos


Os Meatbodies, projeto a solo de Chad Ubovix (Mikal Cronin e FUZZ) e companhia, estão de regresso a Portugal para dois concertos. A banda apresenta-se ao vivo no Maus Hábitos (Porto) e no Musicbox (Lisboa) a 20 e 21 de abril, respetivamente. 

Chad Ubovich rasgou a cena rock em 2011, como guitarrista de Mikal Cronin e baixista de FUZZ. Entre as tours com estes projetos começou por se apresentar em Los Angeles sob a insígnia Chad and the Meatbodies. Daí até dar o salto para a GOD?, editora indie de Ty Segall, por onde editou a sua primeira cassete foi um rápido passo. O artista e banda trazem até Portugal o disco homónimo, editado em 2014.


Os bilhetes já se encontram à venda em bol.pt e locais habituais por €8 (Porto) e €10 (Lisboa). O concerto no Musicbox contará com a primeira parte dos 800 Gondomar.

+

IndieLisboa apresenta documentários sobre Janis Joplin, Parkinsons e Sharon Jones


O IndieLisboa tem uma programação bastante apelativa para os fãs da música. Trata-se do IndieMusic que este ano explora temas sobre música, juventude, resistência, drogas, alucinações, doença, caos e morte com documentários de artistas como Janis Joplin, The Parkinsons e Sharon Jones.

O caos selvagem dos The Parkinsons, que os levou tão rápido até à ribalta quanto os devorou por dentro, chega-nos em imagens e sons inéditos reunidos no documentário de Caroline Richards - A Long Way to Nowhere que é exibido a 22 de abril, sexta-feira, às 21h15, no Cinema São Jorge. A realizadora estará presente na sessão. Os The Parkinsons - banda punk de Coimbra - atuam depois da sessão no âmbito do IndiebyNight, a partir das 23h00, na Taberna das Almas.

Janis Joplin revela-se, além-túmulo, num conjunto de cartas que enviou a pais, amigos e colaboradores. Em Janis: Little Girl Blue a ser exibido às 21h30 do dia 22, no Cinema São Jorge. As palavras secretas de Joplin são lidas por Cat Power sobre imagens da “rainha do rock and roll”. 


Miss Sharon Shones, a ser exibido dia 26, às 21h45, é o documentário mais recente da oscarizada Barbara Kopple. Trata-se da história inspiradora da vocalista dos The Dap-Kings - Sharon Jones - que luta contra um cancro no pâncreas enquanto procura usufruir do sucesso que lhe escapou ao longo da vida.

A pop electrónica portuguesa é olhada (e ouvida) em Tecla Tónica dia 30 de abril, sábado, às 21h30, na Culturgest, o mais recente filme de Eduardo Morais. Este filme alicerça-se em intervenções preciosas de alguns notáveis, tais como DJ Vibe, Vítor Rua ou José Cid. A festa de encerramento do festival, que regressa à garagem da Culturgest, às 24h00 do mesmo dia traz Ghost Hunt, W.A.S.T.E. Club, Nunchuck DJ set e Lena Huracán VJ set no cartaz.

A programação completa do IndieMusic encontra-se aqui; a do  IndiebyNight pode ser consultada aqui.

+

Entremuralhas 2016: As últimas informações



Já se encontram à venda os bilhetes para o Festival Entremuralhas 2016 com uma campanha especial que dá acesso gratuito ao primeiro dia do festival. Além da disponibilização dos bilhetes (que só são disponibilizados fisicamente a 8 de maio) a Fade In avançou com a programação das bandas por dia e ainda com mais um nome a juntar-se ao cartaz quase completo desta sétima edição, os alemães Die Krupps que se estreiam em Portugal com 36 anos de carreira.


Das treze bandas já conhecidas, contam-se nove estreias em território nacional e a Fade In cumpre mais uma vez o seu selo de qualidade e a garantia de novos projetos em estreia nacional. A programação completa com horários de atuação pode ser consultada abaixo.

Relativamente aos bilhetes, encontra-se para já só disponível o passe para os três dias a um preço super especial de 60€. Este preço fica em suma até ao próximo dia 8 de maio, o que significa que quem adquirir o bilhete até à referida data, tem acesso gratuito garantido para o primeiro dia de festival. [Os bilhetes adquiridos até dia 8 de maio serão certificados de presença, personalizados com o nome de cada visitante e estarão disponíveis para levantamento no dia 25 de agosto na bilheteira do Entremuralhas.] Todas as informações adicionais encontram-se disponíveis aqui.

 25 de agosto: 
TBA - 00h00 - Palco Corpo
Karin Park - 23h00 - Palco Corpo
Silent Runners - 22h00 - Palco Corpo

26 de agosto: 
Die Krupps - 01h30 - Palco Corpo
Frustration - 00h00 - Palco Corpo
Sex Gang Children - 22h30 - Palco Alma
King Dude - 21h00 - Palco Alma
Darkdoor - 19h00 - Igreja da Pena
Angelic Foe - 18h00 - Igreja da Pena

27 de agosto: 
TBA - 01h30 - Palco Corpo 
KITE - 00h00 - Palco Corpo
Corpo-Mente - 22h30 - Palco Alma
IANVA - 21h00 - Palco Alma
Geometric Vision - 19h00 - Igreja da Pena
Har Belex - 18h00 - Igreja da Pena


+

DJ A Boy Named Sue em tour nacional neste mês de abril


Dj A Boy Named Sue é Tiago André, provavelmente o mais icónico e versátil dj do mundo do rock'n'roll em Portugal. Braço direito de Paulo Furtado (The Legendary Tigerman) nos seus vários projectos, há 15 anos que agita as pistas de dança por todo o país nos mais variados eventos e festivais.

Os seus sets caracterizam-se por uma forte vertente rock’n’roll, nos quais visita sonoridades Rhythm & Blues, Soul, Surf, 60’s, Latin Grooves, Exotica, Psych, Garage ou Punk Rock, uma espécie de máquina do tempo, que cria laços entre os grandes clássicos e as novas vertentes da música contemporânea.

Já fez a primeira parte dos Jon Spencer Blues Explosion numa tour em Itália, já passou música no Festival de Cannes, Oslo, Madrid, Marselha e Macau. Tem um programa de rádio há 12 anos na Rádio Universidade de Coimbra e vai estrear em Abril uma crónica semanal no Indiegente de Nuno Calado. Em 2016 lançou-se numa tour em Portugal e o resultado são 4 meses sem uma única noite de fim de semana livre.

Aqui segue a programação da restante tour nacional de DJ A Boy Named Sue:

8 Abril/ Praça Caffe, Leiria

9 Abril/ Damas, Lisboa

21 Abril/ Incógnito, Lisboa

22 Abril/ Maus Hábitos, Porto

23 Abril/ Convento do Carmo, Braga

24 Abril/ Musicbox, Lisboa

27 Abril/ Sabotage, Lisboa

29 Abril/ Odd, Coimbra

30 Abril/ Sabotage, Lisboa

+

Favela au Lait: Programação de Abril


Abril traz consigo mais uma adição ao leque de formatos pelos quais a Favela Discos se expande, multiplica e cria nesta residência no Café au Lait

Os grandes destaques vão para a primeira edição do festival Liberdade Gourmet, os concertos de Rodrigo Amado Motion Trio, monstros do jazz nacional, MADA TREKU, assinatura polivalente e nervosa de Nuno Loureiro, uma colaboração entre HOMO (Hysterical One Man Orchestra) e T.I.T.O., assim como os ilustres rodadores de discos Instituto Fonográfico Tropical e Phantasma.

Como sempre, a entrada é gratuita e a bebida é melhor.

Aqui fica um pequeno teaser do que poderemos esperar das sessões de Favela au Lait em Abril.

Amanhã há Bruma, Diogo Jesus Big Band, e INNIT BRUVV. Neste pequeno vídeo podem descobrir o que temos guardado na gaveta para o resto do mês
Posted by Favela Discos on Wednesday, 6 April 2016

+

Oiçam: Alex Chinaskee


Alex Chinaskee é o projeto a solo de Miguel Gomes, fundador de uma nova editora independente, French Sisters Experience Records and Co. Com início em Outubro de 2015, apresenta como influências Mac DeMarco, Woods e The Strokes. 

Compõe canções para "relaxar, mochar, dançar e tripar" e o seu primeiro EP Campo é a prova disso. Gravado e masterizado na ETIC e em casa, este EP foi editado no passado dia 25 de março, contando com a participação de David Simões no baixo em todas as canções e Gustavo Marques na guitarra em "Dá-me".

Oiçam aqui mesmos este novo EP, Campo:


Alex Chinaskee vai apresentar Campo hoje mesmo no EKA Palace, Lisboa. Para mais informações, consultem o evento no facebook.

+

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Prurient e Altarage confirmados no Amplifest



O festival Amplifest tem confirmados nomes todos os dias durante esta semana. Depois de confirmar ontem os Downfull of Gaia, hoje as escolhas foram para os Altarage e para Prurient, o projeto de Dominick Fernow que lançou o aclamado Frozen Niagara Falls no ano passado.

O Amplifest realiza-se entre os dias 20 e 22 de agosto e o preço dos bilhetes varia entre os 75€ (Weekend Experience) e 89€ (Extended Experience).



+

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Favela au Lait #29 com Bruma, Diogo Jesus Big Band e Innit Bruvv


A residência da Favela Discos no Café Au Lait, Porto, decorre todas as quintas feiras desde setembro passado. Esta semana, #29, podemos contar com concertos de Bruma, Diogo Jesus Big Band e INNIT BRUVV.Os concertos são na cave, sempre à pala

+

Ciclo Pássaro regressa com Josephine Foster, Filho da Mãe e Kimi Djabaté


O ciclo de música Pássaro está de regresso e anuncia três concertos para os próximos três meses. A cantautora norte-americana Josephine Foster, o guitarrista português Filho da Mãe e o guineense Kimi Djabaté apresentarão concertos em locais incomuns e com lotações inferiores a 100 pessoas.

Já a 10 de abril, domingo, a norte-americana Josephine Foster apresenta o novo disco, No More Lamps In The Morning, em concerto de final da tarde no edifício contemporâneo da Biblioteca da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). 



No mês seguinte, a 6 de maio, sábado, será a vez do guitarrista português Filho da Mãe, um dos nomes incontornáveis na atual música contemporânea portuguesa, apresentar o novo trabalho Mergulho na Torre de Quintela, uma torre medieval do século XVII, com capacidade para 60 pessoas. 



O trimestre do ciclo Pássaro encerra com o guineense Kimi Djabaté a atuar no final da tarde de 5 de junho no jardim do Arquivo Municipal de Vila Real, um chalet de traça brasileira dos finais do Séc. XIX, onde o músico apresentará o novo disco, Kanamalu.




O regresso do ciclo Pássaro resulta da parceria entre a promotora covilhete na mão e o Teatro de Vila Real, com coprodução e promoção pelas duas entidades. A programação está a cargo da covilhete na mão. 

+

STREAM: Oddisee - AlWasta


O artista de hip-hop sudanes/norte-americano Amir Elkhalifa, mais conhecido no mundo da música pelo seu projeto Oddisee, editou no passado mês de março um novo EP, AlWasta, contendo sete músicas novas.

Al­Wasta vem do Árabe coloquial e significa "ficha". Este termo pretende descrever um membro da comunidade que funciona como um conector, utilizando a sua riqueza como moeda social. Entender o valor da moeda social e como usá-la (para bem ou para o mal) foi o que inspirou Amir Elkhalifa na sua escrita

Oddisee está a preparar também um novo álbum instrumental para Maio, assim como o sucessor de The Good Fight (2015), com edição prevista para o outono.

+

Delorean anunciados no Vira Pop '16


Os Delorean regressam a Portugal ao fim de 5 anos da sua última atuação em Paredes de Coura e apresentam no Vira Pop ‘16 o seu novo álbum a sair no mês de Junho.

Depois da explosão no Subiza em 2010 e da maturação em Apar, a banda basca sediada em Barcelona traz na bagagem o seu mais recente registo, Muzik, misturado por Chris Coady e fortemente influenciado por sonoridades house.


O Vira Pop' 16 decorre dia 18 de junho, no Parque das Termas de Caldela, e conta já com os Holy Nothing e DJ Firmeza. A entrada é livre.

+

STREAM: MEDEIROS/LUCAS - Terra do Corpo


O segundo álbum de originais da dupla MEDEIROS/LUCAS, Terra do Corpo, com edição agendada para 5 de abril via Lovers & Lollypops, já encontra disponível nas plataformas de stream e em formato físico.


Sem deixar de lado o navio de incertezas e de meta-consciência onde navegam, MEDEIROS/LUCAS exploram em Terra do Corpo outros temas da condição humana que chegam a ser maiores do que eles próprios e de quem os ouve, explorando um novo território sonoro, esteirando dos blues ao jazz e à electrónica.

Terra do Corpo conta com a participação dos já residentes no projecto Ian Carlo Mendonza e Augusto Macedo, de um duelo de guitarras protagonizado por Tó Trips (Dead Combo) e Rui Carvalho (Filho da Mãe) e das vozes de Selma Uamusse e de António Costa (Ermo).

A viagem também já está marcada para alguns palcos:

27 de Abril - Aquário, ZdB, Lisboa
30 de Abril - Passos Manuel, Porto

+

Chilenos Chicos de Nazca atuam em Leiria a 13 de abril


Os chilenos Chicos de Nazca vão também passar por Leiria antes de se dirigirem a Lisboa para atuarem a 15 de abril no Lisbon Psych Fest. O concerto acontece no Espaço O Nariz, Leiria, a 13 de abril, pelas 22 horas, e conta também com a presença dos portugueses Ghost Hunt.



Os bilhetes custam 5€ mediante apresentação do bilhete do concerto de Quintron + Miss Pussycat ou por reserva para yayayeahmusic@gmail.com. À porta custa 6€.

+

Quelle Dead Gazelle de regresso em 2016 como novo álbum


A dupla post-rock de influências africanas formada pelo guitarrista Pedro Ferreira e pelo baterista Miguel Abelaira está de regresso. Falamos pois dos Quelle Dead Gazelle, banda que em 2013 editou o seu primeiro EP, tendo atuado em palcos como o NOS Alive, Milhões de Festa, Paredes de Coura e Serralves em Festa.

Em 2016 trazem-nos Maus Lençóis, álbum de estreia gravado por Makoto Yagyu e Fábio Jevelim, nos estúdios HAUS em Lisboa. 

“Pedra-Pomes” é o primeiro single deste novo trabalho e marca a primeira etapa do regresso do duo às edições, com um longa-duração que nos chega a 13 de Maio pelas mãos da Cultura Fnac e Turbina. O vídeo foi realizado por Ricardo Gama e Luís Sobreiro.

+

The Underground Youth atuam no Club de Vila Real a 12 de abril



Depois de uma passagem eletrizante que lotou o Club de Vila Real em Maio de 2015, os The Underground Youth estão de regresso com novos temas na bagagem numa tour que passa ainda por Lisboa e Porto.

A abrir a noite os estarão os Echo Mountain, um dos mais recentes projetos saídos da cidade de Vila Real. Os concertos têm o custo de 5€ e são da responsabilidade da Dedos Bionicos.



+

Swans a editar sucessor de "To Be Kind" em Junho


Swans, os Titãs do No Wave, avançarão dia 17 de Junho com o sucessor do galardoado de 2014 To Be Kind, via Young God Records. De título The Glowing Man este álbum é agora visto, não anteriormente como o fim definitivo de Swans, mas sim como o fim desta era que Michael Gira começou em 2010 com My Father Will Guide Me Up Rope To The Sky. O álbum já se encontra em pré-venda para os fãs que não querem perder o último gosto a estes Swans no bom vinil aqui (onde poderão também ler notas que Gira escreveu em relação ao seu próximo longa duração, o futuro da banda e tours que estarão para vir) em três formatos diferentes. Gira também partilhou connosco um excerto da faixa que dá o nome ao álbum, "The Glowing Man" e tracklist de 8 faixas que constarão neste álbum vindouro.


Tracklist:

1. Cloud of Forgetting
2. Cloud of Unknowing
3. The World Looks Red/The World Looks Black
4. People Like Us
5. Frankie M.
6. When Will I Return?
7. The Glowing Man
8. Finally, Peace.

+

terça-feira, 5 de abril de 2016

King Gizzard & the Lizard Wizard e Joana Serrat entre as novas confirmações para Paredes de Coura


King Gizzard & The Lizard Wizard, Joana Serrat e a dupla nacional Filho da Mãe & Ricardo Martins são as mais recentes confirmações para o festival Paredes de Coura, a decorrer entre 17 e 20 de Agosto nas margens do rio Taboão. 

Os outros artistas que já integram o cartaz são LCD Soundsystem, Thee Oh Sees, Kevin Morby, Suuns, Unknown Mortal Orchestra, Cage The Elephant, Chvrches, The Tallest Man on Earth, Sharon Jones, Ryley Walker, Cigarettes After Sex, Sleaford Mods, Lust for Youth, Orelha Negra e The Bohicas.

Os passes gerais estão à venda pelo preço de 90€.

+

Oiçam: Fog Lake


Fog Lake é o projeto de lo-fi do músico canadiano Aaron Powell.  Tendo nascido em 2012, como um "bedroom project" de experimentação de ambientes, Fog Lake veio facilmente parar à cena do ressurgimento da cena lo-fi, sentida fortemente no início da década de 2010. O primeiro disco de estreia surgiu no mesmo ano de formação, intitulado de There's a Spirit There's a Soul, que continha gravações datadas de 2008. O músico tentava assim encontrar um som que caracterizasse este novo projeto, experimentando sonoridades díspares.


A dezembro de 2013 o álbum viria a ser remasterizado juntamente com o segundo disco de estúdio, farther reaches, editado em janeiro de 2013. No mesmo ano Fog Lake viria o seu nome crescer entre o mundo underground e o vídeo para o single homónimo "farther reaches" atingiu um número considerável de visualizações. Como resultado Aaron Powell traz um disco com uma sonoridade bastante mais interessante que a trabalhada no seu antecessor e trazendo ainda como referência o livro The Farther Reaches of Human Nature de Abraham Harold Maslow.


Com virgo indigo (2014), a atingir cobertura por webzines de música com algum renome internacional, foi com victoria park, editado em junho de 2015, que Aaron Powell viu as suas primeiras edições físicas pela editora Orchid Tapes (Alex G, Spencer Radcliffe, Foxes In Fiction) e o seu melhor trabalhos longa-duração até ao momento. É de destacar igualmente a interessante art cover.




Fog Lake regressa aos discos em 2016, e para já, pode ouvir-se o primeiro single extraído do mesmo, "Rattlesnake". O quinto álbum de estúdio é previsto para o outono, ainda sem uma data de lançamento oficial apontada. O single, escrito em fevereiro e resultado de uma mudança de casa, pode agora ser ouvido em baixo, apresentando-se igualmente como uma das músicas mais interessantes do compositor, até ao momento. Um single sobre hábitos.


+

Lisbon Psych Fest: 15 e 16 de abril [Teatro do Bairro, Lisboa]


O Lisbon Psych Fest (LPF ‘16) está de volta para a sua segunda edição nos dias 15 e 16 de abril. O festival que se estreou em 2015 pelas mãos da promotora Killer Mathilda com atuações de The Vacant Lots, Dreamweapon, Desert Mountain Tribe, e Black Market Karma, está de regresso com ao Teatro do Bairro, Lisboa, com o seu psicadelismo.

O cartaz  traz-nos mais uma vez um sentimento de revivalismo psych e todas as suas vertentes, desde o shoegaze, spacerock, psych-folk, krautrock, synth-pop, ao neo-psychedelic rock, post-punk, rock experimental e noise. 

Em modo de antecipação do evento, Jacco Gardner e Helena Espvall vão atuar na ZDB a 14 de abril.

O cartaz deste ano tem como grande destaque a atuação dos britânicos The Underground Youth no dia 15 de abril. Neste dia também vão atuar os chilenos Chicos de Nazca, os chineses Chui Wan e os portugueses 10 000 Russos, Sun Blossoms e Ganso.



No dia 16 de abril o grande destaque vai para a atuação dos experimentalistas britânicos GNOD. Os irlandeses The Altered Hours, os franceses You Said Strange, os alemães Tau, os portugueses Alek Rein e Twin Transistors compõe o restante cartaz.



Os bilhetes estão à venda em www.lisbonpsychfest.com. O bilhete diário custa 16€ (pré-venda) e 20€ à porta, enquanto o passe geral custa 25€ (pré-venda) e 30€ à porta.

+

UM AO MOLHE: Rota de Abril


Depois de dois meses na estrada, o Festival UM AO MOLHE chega ao fim da sua segunda edição com uma ROTA DE ABRIL que conta com cerca de 16 datas em mais de 10 cidades diferentes.

O Cubo que apadrinha os Projectos a Solo vai parar por cidades como Espinho, Lamego, Lisboa, Évora, Aveiro, Fátima, Pombal, Porto, Braga, Faro, Esmoriz, Ovar ou Penafiel. Estão ainda previstas as paragens do Festival pelas localidades de Portel, Évora e Ruílhe, Braga. À boleia vão nomes como Filho da Mãe, Coelho Radioactivo, José Valente, LAmA, Surma, Alek Rein, O Manipulador, Daily Misconceptions, Grutera, azul-revolto, Rapaz Improvisado, OroborO, Jacketx, The Partisan Seed, a violinista Helena Silva, entre outros.

A FESTA DE ENCERRAMENTO está agendada para o último dia do mês - 30 - em Penafiel e promete várias horas de Workshops e Música com as actuações confirmadas de Daily Misconceptions, Homem em Catarse, Rapaz Improvisado, OroborO, O Manipulador e ainda um DJ SET assinado pela organização do Festival.

Podem consultar a programação completa do mês de abril do Festival UM AO MOLHE aqui mesmo:

7 | QUINTA | LISBOA
MUSICBOX | 21H30

LAmA
Surma
azul-revolto

8 | SEXTA | PORTEL
ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA PORTELENSE | 22H00

Jacketx
OroborO
O Manipulador

9 | SÁBADO | ÉVORA
SOCIEDADE HARMONIA EBORENSE 

16h30 | Alek Rein | Mahogany 
22h00 | OroborO | Jacketx 

14 | QUINTA | AVEIRO 
GrETUA | 22H00

Helena Silva
Grutera
O Manipulador
Jacketx

15 | SEXTA | FÁTIMA
LÉRIAS | 22H00

António Cova
Rapaz Improvisado
Surma
O Manipulador
TBA

16 | SÁBADO | POMBAL
LEITARIA DA PRAÇA | 21H30

António Cova
Rapaz Improvisado
TBA

18 | SEGUNDA | PORTO
O MEU MERCEDES | 21H45

Helena silva
debonoir
Luca Argel

22 | SEXTA | BRAGA
21H15 | LIVRARIA MAVY

The Partisan Seed

22H15 | SÉ LA VIE

O Manipulador
Tatsumaki

23 | SÁBADO | RUÍLHE, BRAGA
ESPAÇO RODELLUS - QUINTA DA VILA

15H00 | WORKSHOPS UM AO MOLHE
17H00 | 
Daniel Catarino 
Daily Misconceptions
TBA
TBA
TBA

23 | SÁBADO | FARO
TEATRO DAS FIGURAS | 21H30

Alek Rein
Grutera
Luís Severo

24 | DOMINGO | ESMORIZ / CORTEGAÇA
CAFETARIA DO PARQUE AMBIENTAL DO BUÇAQUINHO 

17H00 | WORKSHOPS UM AO MOLHE
19H00 | Filho da Mãe
22H00 | 
Luís Severo
Surma
Daily Misconceptions

25 | SEGUNDA | PORTO
LOMO | 16H00

Daily Misconceptions
Surma
LASERS

MERCADO 48 | 18H15

O Manipulador

ADUELA | 19H00

Rapaz Improvisado

28 | QUINTA | OVAR
CASA DO POVO | 21H45

Grutera 
Rapaz Improvisado

30 | SÁBADO | FESTA DE ENCERRAMENTO
PENAFIEL | VÁRIOS LOCAIS
GALERIA GABINETE | 16H00 

WORKSHOPS UM AO MOLHE

COMES E BEBES LARGO | 18H00

Daily Misconceptions
Rapaz Improvisado

VENDA DA ESCRITARIA | 22H00

Homem em Catarse
OroborO

EP | 23H30

O Manipulador 
UM AO MOLHE SS

+