sábado, 30 de abril de 2016

STREAM: A Dead Forest Index - In All That Drifts from Summit Down


O disco de estreia do duo A Dead Forest IndexIn All That Drifts from Summit Down, já se encontra disponível para audição gratuita na íntegra via plataforma Bandcamp. Composto por dez canções inéditas, de onde já eram conhecidas "Myth Retraced", "No Paths" e "Summit Down", este primeiro trabalho de estúdio pode ser agora escutado abaixo.

In All That Drifts from Summit Down foi editado a 29 de abril via Sargent House.


+

Local Natives lançam single inédito


Desde 2013, ano de edição de Hummingbird, que os Local Natives não mostravam qualquer material novo, à exceção de alguns remixes e covers. Esta semana o grupo norte-americano meteu fim aos três anos de espera através da faixa "Past Lives".

Apesar da faixa ter sido lançado oficialmente agora, esta já havia sido apresentada num episódio da série Falked. Ainda não se sabe se o single fará parte de um novo disco. 


+

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Vídeos da Semana #82


Esta semana há vídeos de Pumarosa, Holy Fuck, OMNI, Chris Cohen e Gold Panda para ver abaixo.

1 - Pumarosa - "Cecile"

2 - Holy Fuck - "Tom Tom"

3 - OMNI - "Afterlife"

4 - Chris Cohen - "As If Apart"

5 - Gold Panda  - "Pink & Green"


+

Bruno Pernadas vai lançar dois álbuns este ano


Bruno Pernadas, autor de How Can We Be Joyful In a World Full of Knowledge?, melhor álbum nacional editado em 2014 segundo a nossa redação, está a preparar o lançamento de dois novos trabalhos de estúdio. 

No ano passado, entrevistámos o artista no Festival Bons Sons, onde nos confessou que o novo álbum saíria para o final deste ano e que seria divido em duas partes: primeira parte mais acústica, orgânica, relacionada com a música jazz e improvisação; segunda parte uma espécie de continuidade da sonoridade e do ambiente do How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge?.

E as profecias cumpriram-se! 

Those Who Throw Objects At The Crocodiles Will Be Asked to Retrieve Them é o primeiro disco a ser apresentado no Teatro Maria Matos, a 13 de setembro. Este disco é uma espécie de caldeirão sonoro remexido com absoluto primor, recuperando jazz de São Francisco dos anos 60, disco oriental, space age pop, krautrock, freak folk e muitos outros territórios e influências. 

Worst Summer Ever é o segundo disco, focando-se estilisticamente na música improvisada, étnica, jazz, rock e erudita. Este disco vai ser também apresentado no Teatro Maria Matos, uma semana depois do primeiro, ou seja, a 20 de setembro. 

Por enquanto ainda não há informações de quando vão ser editados estes dois novos álbuns.

Os concertos ocorrem ambos às 22 horas e o preço dos bilhetes varia entre 6 e 12€.

+

MONITOR: A um mês de ver seis estreias em solo nacional


Falta menos de um mês para acontecer o MONITOR - Minimal Wave & Post-Punk International Rendez-Vous, o novo festival da conceituada Fade In, que nesta primeira edição traz seis nomes em estreia absoluta em território português: Madmoizel, Mensch, Tisiphone, Peine Perdue, Luminance e Xarah Dion. E mais um evento de cariz único em Portugal, portanto mais uma razão para não deixar de lado esta primeira edição.

Conhecida pela sua organização de excelência, a Fade In promete não dececionar os amantes do post-punk e minimal wave num evento que dura apenas um dia, a 28 de maio, num único lugar - O Beat Club, em Leiria. Abaixo, e para todos os que não conhecem, destacamos duas faixas relevantes na discografia de cada artista que estará presente nesta primeira edição.

Os horários de atuação por banda ainda não foram divulgados mas os bilhetes já podem ser adquiridos por um preço simbólico de 20€. No próprio dia os bilhetes têm um valor de 25€. Os bilhetes com compra antecipada podem ser adquiridos na loja Alquimia.

Madmoizel



Mensch




Tisiphone




Peine Perdue




Luminance




Xarah Dion





+

KESO apresenta novo álbum hoje no Maus Hábitos


KESO, o original marginal do Porto, um obsessivo compulsivo produtor e multifacetado artista retorna com o seu terceiro álbum, KSX2016.

Após 5 anos desde o mítico álbum O Revólver Entre As Flores (2011), um dos segredos bem guardados da cidade invicta e para muitos um ícone da cena musical portuense, continua a desafiar ouvidos desabituados a um artista de fina ironia sem medo de arriscar os limites de concepção no hip-hop português. Keso é um conhecedor enciclopédico do rap feito em Portugal, que facilmente manobra palavras como vínculo de um observador, que reserva a si um espaço de autenticidade onde desenlaça memórias episódicas da sua vida entre Porto, Lisboa e Londres.



KSX2016 é fruto de uma apetência especial por parte de Keso para recolher as virtudes dos seus convidados musicais (singularidades da cidade como Virtus, Minus, Kapataz, Gatos do Beko) e moldá-las a uma sonoridade auto-sustentada: todas as composições são da sua autoria com base em recolhas de samples e batidas configuradas na clássica Akai MPC1000, filtradas por sintetizadores analógicos e vozes manipuladas, um combinado que resulta em transversalidade entre o minimalismo da eletrónica e o rap.

O álbum será editado nas várias plataformas digitais e em edição física (CD) no dia 6 de Maio (parceria Biruta e Paga-lhe o Quarto) e já pode ser escutado na íntegra aqui. A sua primeira apresentação oficial é feita já hoje, dia 29 de Abril no Maus Hábitos (Porto), num evento que contará também com presença de L-Ali & Pesca na primeira parte. 

+

Palco Carlsberg do SBSR já tem alinhamento completo


O Palco Carlsberg do Super Bock Super Rock, situado na Sala Tejo do MEO Arena, já tem o seu alinhamente encerrado. Os últimos nomes a serem confirmados são RIOT (14 de julho), Trikk e Moullinex (15 de julho), Daniel Haaksman e Batida – Uma Lata DJ Set (16 de julho). Estes nomes juntam-se aos já confirmados DJ Shadow, Bomba Estereo, Lion Babe e DJ Ride.


No Palco Carlsberg, , a música ecoará em formato after-hours, para fazer vibrar os corpos, numa celebração de sons eletrónicos de diferentes estilos, por artistas de nomeada de Portugal e do resto do mundo. O festival Super Bock Super Rock realiza-se entre os dias 14 e 16 de Julho no parque das Nações, e os bilhetes encontram-se disponíveis ao preço de 50€ (bilhete diário) e 95€ (bilhete 3 dias).

+

First Breath After Coma apresentam novo disco no CCB a 7 de maio


Os leirienses First Breath After Coma andam a apresentar o seu novo trabalho de estúdio, Drifter, um pouco por todo o país. Ontem atuaram no Hard Club e no próximo dia 7 de maio vão até ao Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém mostrar a sua sonoridade muito própria com influências pós rock.

O grupo fechou-se em estúdio a trabalhar neste novo álbum, gravaram sons de quase tudo o que os rodeava, perderam-se nas discografias da evolução do rock e da música eletrónica. Disto tudo resultou Drifter, que chega às lojas a 6 de maio via Omnichord Records, um dia antes do concerto na sala lisboeta.

Ao CCB, os First Breath After Coma trazem como convidados Noiserv e André Barros, que colaboraram neste segundo disco, e serão acompanhados por uma secção de metais.

"Salty Eyes" é o primeiro avanço deste novo trabalho e pode ser ouvido abaixo.

+

STREAM: Dragão Inkomodo - Da Máquina Se Fez o Homem ou Vice-Versa


Dragão Inkomodo só agora editou o seu primeiro álbum, Da Máquina Se Fez o Homem ou Vice-Versa, no entanto deparamo-nos que o jovem produtor tem passados os seus últimos dois anos a preparar este momento. O seu (extenso) corpo de trabalho é um mapa vivo de referências, estudos e influências que ajudam a compreender melhor de onde vem este universo rico e peculiar que agora se abre.

Num mundo onde o nonsense de Zappa e o experimentalismo de Chuck Person (um dos alias de Daniel Lopatin aka Oneohtrix Point Never) parecem ter sempre uma palavra a dizer - vejam-se os títulos oníricos e o uso cirúrgico de samples para concretizar a sua visão muito particular de big beat, techno lo-fi, pop vaporizada, noise. Todos estes sons convivem pacífica e logicamente nas colagens sonoras que Nuno Vicente tem vindo a imaginar e que começam agora a ser libertadas em disco e em palco.

O disco já está disponível para audição e download gratuitos. Nas próximas semanas, o disco terá também direito a uma edição em cassete no outro lado do Atlântivo, via DEEPWOODS.

+

White Haus e Branko vão ao Bons Sons


O Bons Sons continua a aumentar o rol de artistas que vão atuar na edição de 2016. Esta semana foram anunciados mais nove projetos, com principal destaque para White Haus, projeto de rocktrónica de João Vieira (X-Wife), e Branko, artista da Enchufada, editora que celebra também como o Bons Sons 10 anos de existência. A Enchufada traz também Rastronaut e Dotorado Pro, juntando-se a Tocha Pestana, Adufeiras do Paúl, Diego Armés, Tim Tim por Tim Tum e João e a Sombra



A primeira fase de venda de bilhetes termina já no final de Abril. Até lá o Passe 4 Dias mantém-se a 25€.

O evento que se realiza em Cem Soldos, Tomar, de 12 a 15 de Agosto, vai contar também com Carminho, Fandango, Isaura, Da Chick , Dear Telephone, Indignu [lat.] , Cláudia Duarte, Sensible Soccers, Pega Monstro, Best Youth, Les Crazy Coconuts, LODO, Madalena Palmeirim e Alentejo Cantado.Keep Razors Sharp, Golden Slumbers, Cristina Branco, Flak, Few Fingers, Grutera e Bonecos, Desbundixie, Deolinda, Kumpania Algazarra, Lula Pena, Danças Ocultas + Orquestra Filarmonia das Beiras, Joana Sá, Birds Are Indie, Sopa de Pedra, Lavoisier e D'Alva.

+

STREAM: Treehouses 2290 - The Difference Between a House and a Home


Formados em 2013 e vindos do punk, os Treehouses 2290 desde cedo sentiram a necessidade de aliar intensidade com ambiências e melodias, resultando em The Difference Between a House and a Home, o terceiro registo da banda, sucedendo o EP homónimo e um split com os americanos Daisy Face

Composto entre Abril e Dezembro de 2015, com inspiração lírica e musical numa tour europeia que a banda deu, o EP reconcilia uma vertente electrónica com uma direcção ambiental anterior, resultando num trabalho de atmosferas sónicas e energia envolvente.

The Difference Between a House and a Home foi editado no passado dia 27 de abril em formato digital e cassete, com o sela da Pontiaq, e já está disponível abaixo para audição integral e gratuita.


A banda vai apresentar este novo EP no Lounge a 5 de Maio. contando com a companhia dos Panado.

+

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Eyeglasses For The Masses - Novo disco de The Weatherman música a música



Eyeglasses For The Masses é o quarto disco da carreira de Alexandre Monteiro aka The Weatherman, e nasceu de uma procura genuína pela autenticidade da escrita de canções pop, de uma crença em ser possível mover tudo e todos com o poder de uma grande canção. 

Tendo como motor a glorificação da fragilidade humana e das rupturas causadas pelo amor como necessárias para fazer o mundo seguir em frente, o disco remete para a herança da pop anglo-saxónica dos finais dos 60’s e inícios dos 70’s, do psicadelismo, do encanto e do desencanto hippie, da mística sensual da era espacial, do misticismo cósmico cujo paralelismo poderá ser encontrado nas palavras desenfreadas de poetas da beat generation.

Estivemos à conversa com Alexandre Monteiro sobre o significado das canções que compõem Eyeglasses For The Masses, álbum com edição de autor a 29 de abril.


1- At The In Between

Esta é sobre uma retrospectiva após uma separação, em que se reconhece de uma forma nostálgica mas realista o que correu mal. 

2- To The Universe

É sobre a incapacidade de agir no momento certo…. deixar o universo resolver o que nós não conseguimos.

3- A Kind Of A Bliss 

É sobre solidão… não propriamente sobre “estar só”, mas o tipo de vazio interior que a vida superficial nas grandes cidade propicia. 

4- Now And Then 

É uma canção simples sobre os sentimentos mais puros que surgem quando se está apaixonado. 

5- Eyeglasses for the Masses 

Este tema nasceu ao piano numa tarde de forma totalmente espontânea, e senti-me preso a ele de tal maneira que fiquei a tocá-lo non stop durante horas seguidas. A decisão de baptizá-la com o título do disco veio já numa fase tardia.

6- Endless Expectations

Esta poderia ser considerada um “medley”. Eu tinha composto as três partes separadamente, até que se fez luz na minha cabeça e percebi que encaixavam de forma perfeita. A letra diz-nos que por termos expectativas infinitas podemos acabar mal. 

7- Unpack My Mind 

Pode-se dizer que esta música é sobre a sensação de que o mundo é novo depois de um relação terminada. 

8- ICE II 

Esta fala sobre mudanças abruptas de sentimentos - o fogo que rapidamente se transformou em “gelo”. 



9- One Of These Days

Esta foi composta na “ressaca” de uns concertos que fiz pela Holanda no ano passado. Apercebi-me que vencer na música é tão difícil, fez-me pensar no tipo de mensagem que eu quereria transmitir se algum dia tivesse que parar, e surgiu esta: “one of these days the light will provail over the darkness”, que também é um reflexo de como eu vejo o mundo por vezes, com um misto de melancolia e esperança.

10- Good Dreaming 

Estava-me a preparar para tentar tocar o “River” da Joni Mitchell, até que subitamente o primeiro acorde levou-me para um outro lugar. Surgiu numa noite ao piano, em que estava a beber whisky e me estava a sentir nostálgico. Pensei no facto de ter conseguido ao longo destes anos sempre manter o sonho vivo, apesar de todas as adversidades. E que provavelmente foi a parte mais importante de tudo. 

11- Calling All Monkeys 

A inclusão deste tema no disco foi um dilema, porque por um lado encaixa no conceito do disco, mas por outro lado, tem um contexto diferente em termos de sonoridade em relação às outras canções. Acabei por resolver incluí-la, mas como faixa extra. Esta música tem um propósito específico, que é ser um alerta vermelho sobre a Humanidade, concretamente sobre as acções do Homem em relação a si mesmo e ao planeta. Nenhum outro ser vivo foi tão nefasto para com este planeta como o Homem, e isso dá que pensar, especialmente tendo em conta que somos a espécie mais inteligente, logo a que tem mais condições para tornar este sítio um lugar melhor. 

+

UNI_FORM regressam aos discos com 'Golden Age'


Depois de dois anos de hiato os portugueses UNI_FORM regressam agora aos discos com Golden Age, disco que começou a ser trabalhado também há dois anos. A banda lisboeta, conhecida pela sua sonoridade post-punk revivalista, apresenta agora uma sonoridade mais darkwave e shoegaze num disco bastante aguardado que segue ainda sem data de lançamento anunciada. Antes do álbum sairá ainda um EP de avanço, esperado para o próximo dia 12 de maio.

O primeiro single deste novo trabalho segue sob o nome de "Valkyria". O single foi apresentado pela primeira vez ao vivo na quinta edição do Festival Entremuralhas, em 2014, até à data o último concerto dos UNI_FORM


+

Milhões de Festa confirma Dan Deacon, 10000 Russos e Nídia Minaj




Mais uma quinta-feira, desta vez mais quente, de confirmações em Barcelos.

O Festival Milhões de Festa acaba de anunciar 10,000 Russos, a Nídia Minaj e o já nosso conhecido, Dan Deacon.

Este novos nomes juntam-se então a bandas como GOAT e Sun Araw, bem como a um já variado leque de confirmações.


Os bilhetes encontram-se a 50€ à venda nos locais habituais até dia 9 de maio.
                              




+

Damien Jurado ilustra novo disco no Musicbox a 4 de maio


Damien Jurado está de regresso a Lisboa onde atuará, no próximo dia 4 de maio no Musicbox, para apresentar o seu novo disco Visions Of Us On The Land, que encerra a trilogia criada com Maraqopa(2012) e Brothers and Sisters of the Eternal Son(2014).

Produzido por Richard Swift, o novo disco Visions of Us on the Land volta a reafirmar Daniel Jurado no quadro de honra dos cantautores mundiais da actualidade e a firmar o papel seminal que teve no boom do folk de Seattle.

Os bilhetes, para o concerto com data única em Portugal, já se encontram à venda nos locais habituais por 12€.


+

Floating Points anuncia 'Kuiper' como novo EP


Floating Points, o projeto a solo de Sam Shepherd, partilhou recentemente um vídeo ao vivo onde apresenta um novo single, "Kuiper" faixa homónima de um novo EP anunciado para julho. O vídeo deste novo single, uma odisseia de 18 minutos, mostra a performance de Sam Shepherd em formato banda completa. 

Sobre o novo trabalho, o músico avança em press release "Since starting a band to realise the music from my LP, it has sparked a deep interest in the band itself, and so Kuiper is the result of playing with Leo, Alex and Susum".

Kuiper tem data de lançamento prevista para 22 de julho pelo selo Luaka Bop - nos Estados Unidos - e Pluto no Reino Unido.




Kuiper Tracklist:
A1: Kuiper 
A2: For Marmish Part II

+

Cold Pumas anunciam novo disco


Quatro anos depois da estreia, com Persistent Malaise, os ingleses Cold Pumas estão de regresso aos discos com The Hanging Valley. Este segundo trabalho de estúdio foi gravado em outubro de 2014 no estúdio Sound Savers em Londres. 

O primeiro avanço deste novo disco surge sobre o nome "Fugue States" e traz treze minutos de música com uma sonoridade repescada entre uns DIIV, Strokes, a voz de Ricky Wilson, dos Kaiser Chiefs e muita distorção.


The Hanging Valley é lançado a 1 de julho via Faux Discx / Gringo.


The Hanging Valley Tracklist:
1 - Slippery Slopes 
2 - Open Mouth of Dusk 
3 - A Change of Course 
4 - Severed Estates 
5 - A Human Pattern 
6 - The Slump 
7 - The Shaping of the Dream 
8 - Fugue States 
9 - Murmur of the Heart

+

Sonic Youth anunciam 'Spinhead Sessions 1986'


Estávamos em 1986 quando os Sonic Youth lançaram o disco Evol, no mesmo ano em que começaram a trabalhar na banda sonora, do filme Made In U.S.A  (1987) dirigido por Ken Friedman, que foi lançada posteriormente em álbum, em 1995. Antes de finalizarem os singles da soundtrack, os Sonic Youth gravaram algumas sessões de ensaio num estúdio chamado Spihead. O material produzido nessas sessões foi agora compilado e será lançado como álbum que ganha o nome de Spinhead Sessions 1986.

O primeiro single de avanço recebe o nome de "Theme With Noise" e pode ser ouvido abaixo. Thurston Moore descreve o álbum como "spindly, twisting rhythms and quiet rushes of noise and melody,” and you can hear one spindly, twisting track".

Spinhead Sessions 1986 tem data de lançamento anunciada para 17 de junho via Goofin'.


Spinhead Sessions 1986 Tracklist:

1 - Ambient Guitar & Dreamy Theme 
2 - Theme With Noise 
3 - High Mesa 
4 - Unknown Theme 
5 - Wolf 
6 - Scalping 
7 - Theme 1 Take 4

+

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Portugal. The Man em Paredes de Coura


Os Portugal. The Man foram confirmados para o festival Paredes de Coura, a decorrer entre 17 e 20 de Agosto nas margens do rio Taboão. 

Os outros artistas que já integram o cartaz são LCD Soundsystem, Thee Oh Sees, Kevin Morby, Suuns, Unknown Mortal Orchestra, Cage The Elephant, Chvrches, The Tallest Man on Earth, Sharon Jones, Ryley Walker, Cigarettes After Sex, Sleaford Mods, Lust for Youth, Orelha Negra, The Bohicas, King Gizzard & The Lizard Wizard, Filho da Mãe & Ricardo Martins e Joana Serrat

Os passes gerais estão à venda pelo preço de 90€.

+

Basement Revolver apresentam single de estreia, 'Johnny'


Basement Revolver vêm de Ontario, Canadá, e são um trio formado por Nimal Agalawatte, Chrisy Hurn e Brandon Munroe. A sua música pode ser classificada como indie rock emocional e introspectivo, a fazer lembrar uns PixiesYeah Yeah Yeahs ou mesmo Courtney Barnett.

O ruído da cidade atormenta a vocalista e guitarrista Chrisy Hurn que, com a sua voz delicada e pura, canta histórias tecidas com horizontes repletos de fábricas e ruas ásperas. As pesadas linha de baixo de Nimal e bateria de Brandon funcionam como um alicerce para o trabalho de guitarra etéreo e imediato de Chrisy.

"Johnny" é o single de estreia da banda canadiana. Foi composto como uma tentativa de racionalizar as dificuldades em lidar com parceiros  do passado e com todo o sofrimento e angústia que advém desses maus momentos. O EP de estreia será editado em julho deste ano.

+

Favela au Lait #32 com Rodrigo Amado Motion Trio


A residência da Favela Discos no Café Au Lait, Porto, decorre todas as quintas feiras desde setembro passado. Esta semana, #32, podemos contar com concertos de Rodrigo Amado Motion Trio, Sputnik Monk e Favela Riscos Sound System. Os concertos são na cave, sempre à pala.

2 3 h 0 0
RODRIGO AMADO MOTION TRIO

Gabriel Ferrandini, o gajo que monta a bateria com instrumentos de precisão, sendo ele próprio um, vai ser o Lisboeta que mais vezes toca na nossa residência. Desta vez, vem com Miguel Mira no Violoncelo, ambos acompanhando Rodrigo Amado, um mostro do jazz português. Não vamos começar a enumerar os músicos com quem eles já tocaram porque nunca mais saíamos daqui. Mas fica o convite para assistirem a uma composição criada ao vivo em especial para todos nós. Quinta feira é o Papa que dá a missa, basicamente.


0 0 h 0 0
SPUTNIK MONK

0 1 h 0 0
FAVELA RISCOS SOUND SYSTEM

+

terça-feira, 26 de abril de 2016

Mais confirmações para o Sonic Blast Moledo


O festival que tem cada vez mais dado que falar, Sonic BlastMoledo, confirmou hoje mais três nomes para o seu cada vez mais composto cartaz. Desta feita anunciaram os americanos Eyehategod e as bandas portuguesas Black Bombaim e Correia.

Eyehategod, nome mais sonante das novas adições, junta-se assim a Uncle Acid and the Deadbeats e Truckfighters como porta estandartes do festival que se vai realizar em Moledo. Esta banda de culto natural de Nova Orleães já se encontra em actividade há mais de 30 anos e é dos nomes mais importantes do género Sludge Metal. Contam com aclamados álbuns como Take as Needed for Pain (1993) e Dopesick (1996) e certamente prometem entregar aquela que será uma das mais intensas performances desta edição.




Não menos relevantes, são as confirmações portuguesas. Os sempre bem vindos Black Bombaim marcam presença no festival pela terceira vez, podemos esperar destes homens uma sinfonia psicadélica e fantásticas jams. Os Correia são uma banda recente composta por dois irmãos Apolinário Correia (Poli), ex-Devil In Me / Sam Alone e Miguel Correia (Mike Ghost), ex-Men Eater com um som enraizado no blues rock e no psicadélico.



Estes nomes que se adicionam ao plantel do Sonic Blast irão fazer companhia (para além dos já referidos cabeças de cartaz) a All Them Witches, Stoned Jesus, Sacri Monti, Salem’s Pot, Killimanjaro, entre outras.

Já podem ser adquiridos os bilhetes através da plataforma da Bilheteira Online, na FNAC, Worten ou CTT. O passe de dois dias está disponível por 38€ até dia 31 de julho. Após esta data aumenta para 45€.

+

Reportagem: Meatbodies + 800 Gondomar [Musicbox - Lisboa]


Iris Cabaça ©
Foi na passada quinta-feira, dia 21 de abril, que os Meatbodies passaram pelo Musicbox para dar o último concerto da sua passagem por Portugal. A banda do californiano Chad Ubovich, também membro dos Fuzz, veio à capital ainda de ressaca do concerto da noite anterior na cidade Invicta, no Maus Hábitos. A noite em Lisboa estava amena, adequada a um tempo ideal de primavera, as primeiras pessoas iam chegando ao Musicbox, umas entrando para beber uns finos, outras ficando a porta para desfrutar deste tempo agradável. Pouco antes das 22h30, foi a altura dos portuenses 800 Gondomar subirem ao palco para abrir esta noite. A banda de Rio Tinto, que editou Circunvalação no passado mês de março, veio a Lisboa para nos apresentar algumas malhas deste novo EP, havendo ainda espaço para umas antigas. Os que estavam a porta do Musicbox iam agora entrando ao som dos 800 Gondomar, atraídos por “Entre Águas” e “Lenny”, as duas primeiras músicas de Circunvalação e deste concerto. O ambiente agora era um pouco mais elétrico, o Musicbox estava cada vez mais cheio para ver os 800 Gondomar a dar tudo. “O Cabeçudo”, do primeiro EP da banda, e “Mergulhadores” foram algumas das músicas que o trio de Rio Tinto nos apresentou nesta noite.

Iris Cabaça ©
Finalizada esta boa abertura pelos 800 Gondomar, foi a altura dos Meatbodies entrarem em palco para fazer alguns ouvidos zumbir novamente. A banda americana, que está com um novo álbum por lançar brevemente, veio a Lisboa para uma casa cheia, por esta altura da noite, onde o ambiente já se adivinhava que ser explosivo. E não durou muito até aos presentes cederem a um mosh pit gigante em “Disorder”, música do primeiro álbum dos Meatbodies, que serviu de faísca para o Musicbox rebentar em crowdsurfing e dança. Seguiram-se várias músicas antigas, como “Mountain”, “Him” e “Tremmors”, havendo também espaço para algumas novas, que decerto agradaram ao público mais enérgico e dedicado. 

Iris Cabaça ©
Com o concerto a ir rumo ao fim, passando ainda por “Wahoo” num ambiente explosivo de festa, e por uma pesada música nova, a banda agradeceu aos presentes dizendo que não queria sair de Lisboa, deixando-nos já com um sentimento de saudade e a pensar na próxima.


Texto: Tiago Farinha
Fotografia: Iris Cabaça (gentilmente cedidas pela Watch and Listen)

+

Vintage Caravan e Solar Corona confirmados no Rodellus 2016


Para celebrar o dia da liberdade da melhor maneira, o festival que não tem medo do campo, Rodellus revelou duas novas bandas que faram parte do seu line-up, os islandeses Vintage Caravan e a banda de Barcelos que recentemente voltou ao ativo, Solar Corona.

Vintage Caravan regressam a Portugal após terem estado presentes na edição de 2015 do Sonic Blast Moledo e de uma atuação, neste presente ano, no dia 20 de fevereiro no Cine Incrível de Almada. Este é o primeiro nome internacional do festival e já com dois álbuns lançados prometem trazer uma experiencia diferente a este cartaz.


Solar Corona regressou ao ativo recentemente e com novas adições nos seus membros, com Peter Carvalho dos Repressão Caotica na bateria e José Roberto Gomes dos Killimanjaro no baixo.

Estes nomes juntam-se aos já confirmados Savanna, Holy Nothing, Cave Story e Equations. O festival decorrerá nos dias 29 e 30 de julho, ainda não foi divulgada a informação acerca do preço nem do local onde se pode adquirir os bilhetes.

+

Los Waves lançam single "Don't Wanna Be In Love"


Começaram há 3 anos tocar em terras portuguesas e, desde aí, têm marcado presença nos principais palcos e salas, desde o Paredes de Coura, Sudoeste e Alive a salas como a Aula Magna e o CCB.

O caráter bastante descontraído e seriamente catchy dos Los Waves tem cativado todo o tipo de público e idades, e contribuído para que os seus temas sejam usados em séries internacionais como "Mentes Criminosas", "Awkward", "Gossip Girl".

Num registo que passa pelo indie, pop, rock e electrónica, aliam a multiplicidade de estilos à energia e à boa disposição, e juntam assim os ingredientes para pôr a dançar mesmo aqueles com o pézinho mais pesado.

Depois do ultimo álbum This Is Los Waves So What (2014), os rapazes têm andando a fazer das suas, apresentando um single novo, inevitavelmente, com cheiro a verão. Chama-se "Don't Wanna Be In Love", e inspira-se na cultura e na música dos anos 50 , 60 e 70, no Surf Rock e nos primeiros discos de artistas tão improváveis como o mítico Roberto Carlos, ou os The Shadows.



Um tema à antiga para tempos modernos. Uma temática séria com a qual de certeza muitos se vão identificar, que vem vestida de sol e boas vibrações, como já é hábito dos Los Waves.

+