sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Playlist: 6 Songs For The Devil


Esta semana atingimos um marco interessante que só se voltará a repetir daqui a alguns anos. Demorou pouco tempo mas foi giro. Alcançámos 6666 pessoas envolvidas na nossa rede social. Como agradecimento escolhemos 6 canções que de alguma forma têm uma relação com o diabo e o mundo obscuro, que num conceito reduzido e em termos numéricos podem ser representados por 666 e mais 6 à mistura. Assim, com o fim de vos fazer explorar este universo, deixamos abaixo seis canções para o diabo.

1 - Jenny Hval - The Plague


Pegamos na pop mais abstrata e avant-garde de Jenny Hval e eis que surge um disco que nos fala sobre vampiros, ciclos lunares, menstruação e filmes de terror dos anos 90.  O álbum conceptual que Blood Bitch é apresenta-nos um tema que facilmente pode ser retratado como tribal e satânico. Falo pois de “The Plague”, música que nos invade e consome a alma. Sempre acompanhada por sintetizadores arrepiantes, a antiga vocalista de uma banda de metal gótico consegue mergulhar num turbilhão de emoções que envolvem o demónio da solidão, da loucura e, por fim, da redenção. Estamos perante uma caça às bruxas, gritos lunáticos e colagens esquizofrénicas. Um quase exorcismo.

2 - King Dude - Deal with the devil 



King Dude é um já iconográfico homem das trevas. Frequentemente acompanhado pela sua garrafa de whisky, Thomas Jefferson Cowgill, de nome próprio, tem uma voz poderosa que invade a alma do ouvinte e o coloca perante sentimentos de insegurança, nostalgia, brutalidade e uma aura muito obscura, como ser. “Deal with The Devil” não é exceção e através de uma sonoridade muito próxima à de Nick Cave, King Dude pronuncia o nome do diabo enquanto o abraça o ouvinte, num aperto onde a fuga só é possível no findar da canção.

3 - Butthole Surfers - Sweat Loaf


"And by the way, if you see your mom this weekend, Be sure and tell her, SATAN, SATAN, SATAN". 
Assim termina o diálogo que inicia "Sweat Loaf", o tema de abertura do terceiro disco dos Butthole Surfers, seguido de um riff emprestado a "Sweet Leaf", dos Black Sabbath, repetido até à exaustão, num tema que tem tudo para ser apontado como bizarro, perverso e até mesmo diabólico. Uma celebração da droga em homenagem (ou sátira) a uma canção que, por si só, já é dedicada à marijuana.

4 - Slayer – Raining Blood



"Raining Blood", dos Slayer é uma música que fala sobre destruir o paraíso e que acaba com sangue a cair do céu. É difícil fazer algo mais diabólico que isto. Tanto a letra como o instrumental, rápido e barulhento, são muito intensos. Esta música não só tem alguns dos riffs mais icónicos da banda, mas também solos extremamente arrebatadores onde ambas as guitarras gritam e o barulho sobrepõe-se a qualquer melodia. Um dos melhores e mais marcantes momentos do thrash metal.

5 - Black Sabbath – Black Sabbath


Não só um dos mais populares exemplos do Demónio na música popular como um dos primeiros, a música "Black Sabbath", da banda Black Sabbath, do álbum Black Sabbath tornou-se um pilar para todos aqueles que querem inserir influências demoníacas na música.

Reza a lenda que a letra desta música foi inspirada numa experiência de Geezer Butler (principal letrista da banda). Nos primórdios de Black Sabbath (quando ainda se chamava Earth) decidiu pintar o seu apartamento todo de preto e colocar crucifixos invertidos pelas paredes. Para complementar a decoração, Ozzy Osbourne (esta história não ficava completa sem ele) ofereceu ao seu colega um livro sobre bruxaria. Depois de o ler, Geezer colocou-o numa prateleira ao lado da sua cama. Quando acordou, a primeira coisa que viu foi uma figura de negro aos pés da sua cama. Após se ter levantado a figura desapareceu e o livro também.

Para além da letra sobrenatural, também o instrumental contem influências satânicas, uma vez que o riff principal contem o trítono invertido, também conhecido como o Diabolus in Musica. A influência desta musica é incontornável na música moderna tendo gerado não só inúmeras bandas como também diversos géneros.

6 -  Burzum - Beholding The Daughters Of The Firmament


Apesar de Varg Vikernes não se afirmar como satânico, não há nada que grite mais '666' que Burzum. A banda norueguesa, no qual Varg é o único integrante, tem uma história algo conturbada com homicídios e queimas de igrejas. Ainda assim, a sonoridade distorcida e lo-fi de Burzum continua a inspirar inúmeras bandas de metal (e não só). O projeto terminou, mas o legado de Filosofem continua vivo até aos nossos dias. "Beholding The Daughters Of The Firmament" é uma das músicas deste disco, um álbum que ficou escrito nos anais do black metal.

0 comentários:

Enviar um comentário