quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Reportagem: Death Valley Girls [Cool Trash Club #2, Sabotage - Lisboa]


Na semana passada, numa quarta-feira fria e chuvosa, fomos até ao Sabotage Club para ouvir o punk rock das Death Valley Girls. Como o concerto era num dia de semana, e devido ao tempo pouco apetecível para sair debaixo das mantas, o Cais estava quase vazio. Mas ainda assim, o Sabotage foi-se enchendo bem para a segunda edição do Cool Trash Club

Não muito tempo depois da hora prevista para o começo do concerto, e já com um público bem composto, as Death Valley Girls entraram em palco para começar a noite. As raparigas de Los Angeles (com a exceção do guitarrista homem) editaram o seu segundo disco no passado mês de junho, via Burger Records, com o nome Glow In The Dark. E foi em tour deste novo disco que as Death Valley Girls vieram a Lisboa, onde foram recebidas da melhor maneira. 


Mal o concerto tinha começado e já podíamos sentir a energia da banda californiana, um punk perigoso para os que sofrem do coração. “Death Valley Boogie”, “Seis Seis Seis” e “I’m A Man Too” foram algumas das músicas ‘novas’ que as raparigas apresentaram em Lisboa. Elas que iam interagindo bastante com o público, sempre simpáticas e bem-dispostas a falar com os presentes. 

A vocalista até distribuiu abraços depois de uma música que falava sobre LSD, tal era o ambiente dentro do Sabotage. Alem das malhas do novo álbum, houve também espaço para algumas das antigas. Como “Gettin’ Hard” e “Electric High”, duas das músicas mais apreciadas das Death Valley Girls. Este concerto mostrou o melhor que se faz na cena actual do punk californiano. Um concerto intenso, sem grandes complicações, e que esteve bem à altura do Sabotage Club.

Death Valley Girls @ Cool Trash Club

Texto: Tiago Farinha
Fotografia: Rui Gameiro

0 comentários:

Enviar um comentário