sexta-feira, 14 de abril de 2017

Oiçam: Matushka-Gusynya

Fãs de psychedelic-rock? Então recomendamos que oiçam o trabalho do trio russo Matushka-Gusynya.


Os Matushka-Gusynya, mais conhecidos pelo seu diminutivo Matushka (que em português significa mãe), formaram-se por volta de 2010 em Saint-Petersburg quando o guitarrista Timofey Goryashin conheceu o baterista Konstantin Kotov na Universidade de Cultura e Artes. Inicialmente, os dois tinham gostos musicais um pouco diferentes, com Goryashin a apresentar-se como fã de bandas locais de punk e Kotov a expressar um entusiasmo anacrónico para a glam musicAtravés de um esforço lento e colaborativo os músicos encontraram um terreno comum na procura de qualidades que faltam à experiência quotidiana. Após umas demos o resultado surgiu com primeiro disco, Mestopolozhenie, que saiu para as lojas a 23 de novembro de 2013.



Composto por três canções, e com uma duração aproximada a 50 minutos, os Matushka-Gusynya, (já em formato trio) cumpriam os objetivos de mostrar a sua "perceção espacial da realidade", garantido uma viagem gratuita ao subconsciente do ouvinte. A sonoridade também reflete o caminho que os Matushka percorreram para alcançar uma maior compreensão sobre o tema, através de "uma conexão crescente com rituais antigos". A banda afirmou que a solução na unificação de um mundo aparentemente frustrado está nos arranjos e hipnose da herança "psych" (para não mencionar uma gama de substâncias psicoativas).




Após alguns covers editados e o lançamento de um single para a colectânea Psych Fest(2014), os   Matushka  lançaram em dezembro de 2014 o seu segundo disco de estúdio, II, que conta com o selo da editora Siyanie Records. Neste novo trabalho é aplicada à sua sonoridade base uma veia mais experimental. Imaginem Black Bombaim com muito reverb à mistura e com umas guitarradas à Thurston Moore e Slowdive inseridas casualmente. II é mais ou menos assim, mas para ficarem sem margem para dúvidas é só escutarem o disco na íntegra, abaixo.

0 comentários:

Enviar um comentário