terça-feira, 30 de maio de 2017

O MIL começa na quinta. A que conferências assistir?


A primeira edição do MIL - Lisbon International Music Network acontece já esta semana, entre os dias 1 e 2 de junho. Centenas de profissionais reúnem-se em Lisboa para debater ideias e projectos e realizar encontros de negócios, tendo como enquadramento o mercado dos países de língua portuguesa e a sua produção artística ao nível da música popular contemporânea. Com um programa muito enriquecido a contemplar nomes como Fruzsina Szep (Lollapalooza), Martin Elbourne (The Great Escape), Virginia Dias Caron (SACEM - França) ou Clementine Bunel (ATC Artists), seguem abaixo os principais destaques para quem adquirir o PRO Ticket e não souber a que conferências assistir.

QUINTA-FEIRA, 1 DE JUNHO

14h00-15h00 | Espaço Atmosferas 

Build a Brand
Muitos artistas constroem as suas carreiras num lugar particular, mas, ao mesmo tempo, têm a ambição de ir mais longe e ganhar reconhecimento internacional. Como planear então uma campanha internacional de forma a atingir os principais mercados europeus e internacionais? Esta palestra reune um painel de especialistas internacionais e profissionais de diferentes setores da indústria musical (Clotaire Buche (FR), co-fundador da Junzi Arts, eleito melhor agente europeu em 2016 e representante de vários artistas internacionais, entre eles Woodkid; Allan Mcgowan (UK), além de editor da conceituada IQ Magazine; e Clementine Bunel (UK), agente na londrina ATC Live cujo rooster inclui, por exemplo, La Roux, Benjamin Clementine, José James e Bebel Gilberto), para apresentar e falar sobre os vários tipos de campanhas e estratégias-chave para promover os artistas e o seu trabalho internacionalmente.


16h00-17h00 | Espaço Atmosferas

The Creative Force of Independent Labels on The Music Market
O advento da tecnologia digital trouxe mudanças radicais na relação entre os diferentes elementos dentro da indústria da música. Neste debate, será discutido o papel dos selos independentes e sua relação com a indústria fonográfica. Com a crise económica, as principais gravadoras renunciaram parcialmente ao seu papel de monitorar artistas que representavam. Esses desenvolvimentos beneficiaram ou paralisaram o progresso dos rótulos independentes? De que forma esses órgãos independentes contribuem para o processo criativo? Além disso, como eles vêem o seu futuro na era digital?

18h30-19h30 | Espaço Atmosferas

Artist's Rights In The Digital Era
Durante anos, foram imaginadas opções para o futuro da indústria musical. Mas a revolução digital interrompeu a paisagem musical. Fluxos comerciais mudaram e agora estão em mãos diferentes. A transparência e a distribuição igualitária dos recursos e receitas da indústria fonográfica são algumas das preocupações que afetam a indústria na era digital e serão debatidas nesta sessão.

SEXTA-FEIRA, 2 DE JUNHO

11h00-12h00 | Fundação Arpad Szenes/ Vieira da Silva

Keynote: Martin Elbourne 

Profissional com 40 anos de experiência na indústria musical, é um dos principais programadores do Festival Glastonbury, director criativo to Great Escape, co-fundador do Womad com Peter Gabriel, foi agente dos Smiths e dos New Order e é consultor de diversas instituições políticas e culturais ligadas ao sector musical. 


12h30-13h30 | Fundação Arpad Szenes / Vieira da Silva

The Art Of Programming
Quais são os principais critérios para "reservar" um artista para um festival? Quais são os cenários possíveis? Que problemas e abordagens podemos antecipar? Das vendas à interação dos social media e cobertura da imprensa, quais são os indicadores de audiência mais relevantes? Como a relação entre o programador de música e os outros profissionais do setor afeta seu trabalho? Estas e outras questões serão debatidas por um grupo de programadores europeus (Fruzsina Szep (DE/HU) Directora Artística do Lollapalooza Berlin; Aziliz Benech (FR) do congénere parisiense MaMa Event; e Steve Zapp (UK), agente na ITB – International Talent Booking, casa de Editors, Biffy Clyro, Courteeners, etc) que se reunirão para falar sobre o seu trabalho e partilharem a sua visão sobre os principais desafios da arte da programação musical.

Além destes destaques, serão ainda abordados no MIL a temática da relação entre a política e a e a música pop contemporânea, os mecanismos para uma cidade se tornar mais atrativa ao público e turistas do ponto de vista criativo e cultural, o mercado português, o seu estado de arte, e a relação entre artistas e managers. Todas as informações adicionais podem ser consultadas aqui.



O Pro-Ticket, que dá acesso a todo o programa do festival (conferências, debates e concertos), já se encontra à venda, na bilheteira online, e pode ser adquirido por 40€. Para quem apenas for aos concertos dos dois dias pode adquirir bilhetes por 20€. 

0 comentários:

Enviar um comentário