sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Reverence Santarém: o primeiro dia



A quarta edição do festival Reverence vê a sua duração encurtada a dois dias e uma mudança na localização central, agora sediada em Santarém. Mas não é por isso que deixa de surpreender, com um total de 40 nomes a atuar no  Parque da Ribeira de Santarém. A programação do primeiro dia faz jus à componente mais stoner e metal do festival e abre o festival com nomes de peso como Moonspell, Amenra e Oathbreaker, sem nunca descurar da habitual dose de rock psicadélico (a título de exemplo cite-se uns Desert Mountain Tribe ou 10.000 Russos) ou da mini dose de post-punk, neste primeiro dia encabeçada pelos portugueses The Melancholic Youth Of Jesus. Vamos pôr os rótulos de lado porque o Reverence pode ter nova cara mas o seu alinhamento anual continua a apresentar trunfos, estejam eles mais escondidos ou não.

8 de setembro, o primeiro dia

Às 16h00 do dia 8 de setembro o Reverence inicia-se mais uma edição de música alternativa e underground no Parque da Ribeira de Santarém com os portugueses F'rrugem que, apesar de não terem tempo para escrever a sua biografia nem criar uma página de bandcamp, prometem um show de punk no Palco Tejo para arrebitar os ânimos dos festivaleiros (podem ouvir um excerto aqui). 25 minutos depois, às 16h25 começam a ouvir-se os primeiros acordes de música no Palco Sabotage com os alemães Pretty Lightning que vêm apresentar o seu mais recente disco The Rhythm Of Ooze (ainda com data de edição por anunciar) e são a primeira banda do selo Fuzz Club a meter os headbangers a dar tudo nesta quarta edição de Reverence.


Às 17h05 os castelhanos Quentin Gas & Los Zíngaros vêm apresentar o seu folk-rock com um q.b. de flamenco e rock psicadélico ao Palco Tejo. Formados em 2014 os Quentin Gas & Los Zíngaros trazem na mala o seu disco de estreia Caravana, que foi editado em janeiro de 2017 e que promete ser uma pedrada no charco ao vivo. No mesmo palco às 18h10 sobem os CUT e às 19h15 os portugueses Gossamers. Já entre as 17h30, 18h35 e 19h40 seguem-se os britânicos Dead Rabbits (que regressam a Portugal após a última edição do Lisbon Psych Fest) os italianos The Gluts, e os também revindos do Lisbon Psych Fest  Desert Mountain Tribe que têm trabalhos na casa londrina Fuzz Club.



Depois de Tren Go! Soundsystem (às 20h20) começa-se a receber no Parque da Ribeira os primeiros nomes em destaque neste primeiro dia de festival. Os belgas Oathbreaker, que passaram por Portugal em novembro do ano passado, estão agora de regresso ao país trazendo ainda na bagagem o seu terceiro disco de estúdio Rheya, que trará o primeiro acto de black metal da noite do primeiro dia de festival e se antevê como um concerto do caraças. Tem início às 20h50 no Palco Sabotage. Também no Palco Sabotage atuam os belgas Amenra que, de regresso ao país e depois do black metal, pintam o palco principal com o seu hardcore pós-metal. Dois concertos a não perder para quem nunca apanhou estas duas bandas ao vivo.



No palco secundário o colectivo de filantropos português que aplica a geometria dos velhos ditados na vida e no sono - os ZARCO - começam a tocar pelas 21h40 e apresentam-se como uma boa opção para todos aqueles que não são fãs da música pesada. Melhor, só mesmo os lisboetas Wildnorthe que sobem ao Palco Tejo pelas 23h10 para um concertaço nas ondas da darkwave e minimal wave. Para quem não quiser espreitar Moonspell (às 23h40 no Palco Sabotage) tem ainda a possibilidade de (re)ver os portuenses Névoa, às 01h10, que apresentarão o disco Re Un (2016) e o EP Pale and Frail, He Stands (2017).




Os japoneses BO NINGEN sobem ao Palco Sabotage por volta das 01h40 e são mais uma das bandas em destaque neste primeiro dia de festival. O quarteto, que vem apresentar a sua música rock com pinceladas de noise e acid punk, apresenta em Santarém o seu mais recente disco de estúdio, III, que foi editado em 2014 pelo selo Stolen Recordings. Também no Palco Sabotage às 02h50 sobem a palco os portugueses SINISTRO, cuja sonoridade pode ser definida como um cruzamento entre o post-rock, a melancolia do fado e o doom, e que será um daqueles  concertos a não perder. Entre Bo NINGEN e SINISTRO acontece o concerto dos portugueses The Melancholic Youth Of Jesus, no Palco Tejo às 02h20. Fãs do post-punk já sabem o que têm de fazer. 




Já na reta final, este primeiro dia de festival recebe ainda os portugueses Two Pirates and a Dead Ship e 10.000 Russos que encerram ambos os palcos Tejo e Sabotage, às 03h30 e 04h00, respetivamente. As bandas trazem a palco os seus mais recentes discos The Worst is Yet to Come (2017) e Distress Distress (2017).



Os passes gerais para o festival têm um preço de 65€ e o bilhete diário pode ser adquirido por 40€. A troca dos bilhetes pela pulseira do festival está aberta a partir das 10h00 de sexta-feira (8 de setembro). As portas do festival abrem às 14h00. Podem adquirir os bilhetes aqui e encontrar todas as informações adicionais aqui.

0 comentários:

Enviar um comentário