terça-feira, 3 de outubro de 2017

Reportagem: Melt-Banana [Maus Hábitos, Porto]


A noite de quinta-feira ficou marcada pela estreia absoluta dos japoneses Melt-Banana em Portugal. No ano em que os nipônicos comemoram 25 anos de carreira, as portuenses Lovers & Lollypops e Amplificasom juntaram forças para trazer o agora duo japonês ao melhor quarto andar da cidade do Porto. Detentores de uma sonoridade muito característica e influente para os mais diversos artistas, muitos deles consagrados (John Zorn, Melvins e Mike Patton para referir alguns), os Melt-Banana, agora compostos apenas por Yasuko Onuki e Agata, apresentaram-se perante um Maus Hábitos esgotado que não tardou em mostrar o entusiasmo que se vivia na sala.

Depois de alguns minutos a testar o som, o duo entrou ao som de um instrumental, seguindo-se de imediato os temas saídos de Fetch, o último disco editado pela banda japonesa em 2013. Ouve-se “The Hive” e “Lie Lied Lies” e o público não tarda a abrir o pit.  Volume sempre no máximo e  blast beats de velocidade estonteante marcaram um concerto que nunca perdeu o ritmo nem a  intensidade, balanceado apenas por pequenas pausas onde Yakusa, com o seu tom de voz particular quase cartoonesco nos contava o quão satisfeita estava por finalmente visitar Portugal.



Entre os diversos temas de uma já extensa carreira marcada por experimentalismos pop e electrónicos assumidamente noisecore, houve espaço ainda para uma inesperada surpresa com a dupla a interpretar uma versão de “Uncontrollable Urge” dos igualmente excêntricos Devo, banda que no final dos anos 70 se encontrou no cruzamento entre o punk e a new wave.  “Lost Parts Stinging Me So Cold” foi sem dúvida um dos momentos altos do concerto, e o único tema presente em Cell-Scape (discutivelmente o melhor álbum da banda) a integrar o alinhamento. 

O concerto terminaria com mais dois momentos essenciais, primeiro com uma cómica versão de “What a Wonderful World” de Louis Armstrong, seguindo-se a poderosa “Candy Gun” para deixar o público em fervor uma última vez. Uma hora intensa que mais pareceu passar a correr e que jamais será esquecida por quem lá esteve presente. Quem também não se irá esquecer desta atuação serão os nossos ouvidos que nunca mais voltarão a ser os mesmos.




Melt-Banana @ Maus Hábitos, Porto

Texto: Filipe Costa 
 Fotografia: Ana Carvalho dos Santos

0 comentários:

Enviar um comentário