domingo, 3 de dezembro de 2017

[Review] Silent Runners - The Directory


The Directory // self-released // dezembro de 2017
8.0/10

The Directory assinala a estreia do quinteto holandês Silent Runners nos longa-duração, depois de terem lançado o primeiro EP homónimo que deixou um trago agridoce de synthwave no ouvido e os levou a estrearem-se em Portugal para abrir o festival Entremuralhas, em 2016. Oriundos de Amesterdão a banda formou-se em 2014 com quatro membros originais da extinta banda de rock independente Yesterday's Men (ouvir aqui): Dolf Smolenaers, Jan Meulendijks, Stanley op 't Root e Frank Smolenaers que ingressaram por um caminho bastante mais obscuro, após um período de experimentação com música dos anos 80 e inspirada em sintetizadores. Em 2015, após a edição do EP homónimo, a banda consolidou-se num quinteto com o teclista Joep Gerrits a completar o line-up e a ingressar o período de gravação e produção de The Directory, que apresenta maior ênfase nas composições e batidas sintetizadas. 


Em fevereiro de 2017 chega-nos o primeiro single extraído desta estreia, "Cavemen", faixa que esmiuça a veia eletrónica da banda, explora novas vertentes da música synthwave e posiciona os Silent Runners numa abordagem que até então não era esperado. Dois meses depois, em abril, a banda avançava com "Dark Mountain", o segundo tema do disco e o primeiro a ser apresentado em vídeo. Uma coisa que se tornou clara logo no início e durante o período de antecipação e promoção de The Directory, é que a produção deste é muito bem conseguida e notoriamente superior à do EP homónimo, não só ao nível auditivo mas essencialmente visual, dado que foram lançados ao todo três videoclips, além dos teasers promocionais alusivos a outras faixas que têm vindo a ser publicados no Facebook oficial da banda. Apesar de ter sido inicialmente previsto para outubro o disco de estreia dos Silent Runners passa a ser anunciado para dezembro com a chegada da terceira faixa de avanço do disco, "Nobody Here" - que segue as piasadas do EP homónimo ao dar destaque à guitarra e baixo, num tema bem mais calmo que os antecessores "Cavemen" e "Dark Mountain".



Duas semanas antes da edição física de The Directory (cuja pre-order pode realizar-se aqui), os Silent Runners apresentam "Roadkill", o quarto e último single a servir de entrada para o novíssimo disco e a trazer a habitual toada poderosa de sintetizadores, misturada com os beats da EBM e complementada pelas guitarras saudosas do post-punk. Além das apresentadas faixas, neste disco destacam-se ainda temas como "Make It Right" - um grande malhão de synthwave que por trás da base sonora apresenta uma letra essencialmente auto-reflexiva sobre a perceção do eu na sociedade/cultura inserida - "Forgotten" - que abre em formato sincronização, trazendo uma sonoridade super cativante (daquelas que fica presa à cabeça) e um desenvolvimento que além de inteligente integra diversos elementos muito bem colocados - "The Road Of Gold" - a trazer à memória a sonoridade dos Silent Runners no EP de estreia misturada com a dream pop aqui e ali - e ainda o gigante tema de encerramento, o art-rock "The Directory" (por favor sigam esta linha no futuro).



Desengane-se quem acredita que o post-punk está morto, que a era da darkwave está afunilada ou que já não se vinga numa era tão focada na música eletrónica. Num total de onze canções inéditas os Silent Runners mostram que as sonoridades mais obscuras dos anos 80 estão a ser repescadas pelas bandas mais jovens e recriadas numa perspetiva mais sintetizada e minimalista, que consegue soar tão fresca e usual, tal como se estivéssemos nos anos 80. The Directory é isso mesmo, uma viagem aos saudosos anos 80, adaptada aos tempos atuais.



0 comentários:

Enviar um comentário