terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Reportagem: Scott Kelly & John Judkins [Understage, Porto]



Scott Kelly apresentou-se em Portugal no fim de semana passado para duas datas a decorrer no Sabotage, em Lisboa, e no Porto para um concerto Understage no Teatro Municipal Rivoli. Acompanhado pelo multi-instrumentalista John Judkins, o vocalista, guitarrista e membro fundador dos Neurosis apresentou em palco alguns dos temas que integram os discos The Wake e The Forgiven Ghost In Me, assim como alguns inéditos que poderão integrar um possível novo registo do norte-americano.

As expectativas para o regresso de Scott Kelly eram notoriamente elevadas e fazia-se cerimónia com sala mais que esgotada no Porto. Já com os dois artistas em palco, o concerto iniciou com “Catholic Blood”, seguindo-se o tema que dá título a The Forgiven Ghost In Me, o último disco de Scott que vê na sua carreira a solo como que um refúgio para os fantasmas do seu interior. É sob esta premissa que Scott nos canta em modo canção as histórias e experiências que assistiu ao longo da sua vida, através de uma partilha honesta e tocante dos sucessos e falhanços, dos amores frustrados e os sentimentos de perda que marcam o seu passado. Folk soturna e sóbria, simples mas de um peso enorme que se distancia do volume das guitarras para se focar nas melodias minimalistas de uma cinematográfica paisagem árida dos desertos  americanos.



Como tem vindo a ser habitual nas suas setlists, Scott Kelly homenageou dois dos grandes poetas e cantautores americanos com duas bonitas interpretações, primeiro com “Cortez The Killer”, de Neil Young, e depois com “Temcuseh Valley” do malogrado Townes Van Zandt, que em 1997 sucumbiu a um ataque cardíaco após uma vida tormentosa assombrada pelo  abusivo consumo de álcool e drogas, mas que deixou um legado importantíssimo na história da música folk e country contemporânea com algumas das mais bonitas obras poéticas americanas, obras essas que viriam a ser homenageadas num disco que juntou Scott Kelly, Wino e Steve Von Till em 2012.



Num cenário solene e de respeito, ouviram-se mais dois temas originais de Scott, que ao longo do concerto não pôde deixar de dar o seu veredicto e agradecer o apoio fantástico tanto do público como da própria organização. 

A sua performance ao lado de John Judkins soube a aconchego da alma, a calor e conforto, e ninguém poderia ter saído mais satisfeito.


Scott Kelly [Understage, Porto]


Texto: Filipe Costa
Fotografia: David Madeira

0 comentários:

Enviar um comentário