sábado, 10 de fevereiro de 2018

Oiçam: Moon Hooch

© Kenneth Kearney


Ativos desde 2010, os norte-americanos Moon Hooch, compostos por James Muschler (bateria e percussão), Mike Wilbur (vocais, saxofone tenor, clarinete e flauta) e Wenzl McGowen (saxofone tenor e barítono, clarinete contrabaixo e EWI), apresentam uma vertente extremamente enérgica de nu jazz repleta de influências da cena eletrónica e que deverá agradar a fãs de Snarky Puppy, Pink Freud, Jaga Jazzist ou Too Many Zooz.

Após se conhecerem na The New School for Jazz and Contemporary Music de Nova Iorque em 2010, os elementos que viriam a dar origem ao grupo começaram a realizar apresentações improvisadas em frente do Metropolitan Musem of Art e em estações do metro de Nova Iorque. A energia das suas atuações levou a que fossem proibidos de tocar na estação de Bedford pela NYPD, devido à enorme afluência de pessoas que acabavam por entupir a zona de espera e também pelo risco associado a imensas pessoas a dançar junto às linhas das carruagens.


A banda acaba por conseguir lançar o seu primeiro disco em 2013, sendo esta obra homónima uma bela demonstração da vontade do grupo em se distanciar do jazz mais convencional, com uma sonoridade baseada no saxofone e a percussão muito orientada para a dança. Ainda assim, apenas no ano seguinte, com a edição do seu segundo disco This Is Cave Music, é que vemos o grupo a verdadeiramente criar o seu nicho estilístico, com a adição de sintetizadores, vocais e trabalho de pós-produção às suas composições, conseguindo ainda distinguir-se leves influências de metal e hip-hop. Em 2016, o seu terceiro disco intitulado Red Sky continuou a desenvolver esta fórmula única.

No ano passado a banda lançou o seu primeiro registo gravado ao vivo (Live At The Cathedral) e ainda um EP (The Joshua Tree) que pode ser descarregado gratuitamente no site do grupo, sendo uma introdução apropriada à sua sonoridade. De destacar também o trabalho dos seus membros relacionado com causas ambientais, como o seu blogue Cooking in the Cave ou os seus esforços para serem uma banda carbon neutral aquando das suas viagens em tour.

0 comentários:

Enviar um comentário