quinta-feira, 24 de maio de 2018

Elusive Sound com novidades


A editora suiça Elusive Sound tem algumas novidades para os próximos meses a nível de edições físicas e em baixo falamos um pouco de cada um dos grupos envolvidos, que deverão agradar sobretudo a fãs de post-rock e shoegaze.


Os Silent Whale Becomes A° Dream renasceram no ano passado com Requiem, seis anos após o lançamento de Canopy, mas apenas este ano o irão editar fisicamente, quer em CD quer em vinil. Os franceses exploram os recantos mais etéreos do post-rock de forma imaculável e poderão ler a crítica a Requiem, certamente um dos melhores trabalhos de 2017 dentro do género, aqui.




Os BLAK são oriundos de Roda De Ter, na Catalunha, e editaram o seu primeiro álbum Between Darkness and Light no ano passado, tendo este esgotado rapidamente e levando assim a esta reedição em vinil. A sonoridade do grupo espanhol é fortemente enraizada no post-rock mais cinemático, e pode ser escutada no stream em baixo e também aqui, onde poderão ver na íntegra a sua segunda atuação ao vivo.



Ambas estas edições serão lançadas no próximo dia 1 de junho mas já podem fazer pre-order no site da Elusive SoundOutras edições previstas para este ano incluem os álbuns de estreia dos Ravena e dos Blankenberge em vinil.


Os Ravena vêm da Califórnia e o seu primeiro disco, Laocoön, foi lançado já em 2016. Composto por longos e ambiciosos temas que deambulam entre o post-rock, post-metal e até dark ambient, Laocoön leva-nos numa intensa mas recompensadora viagem por paisagens desoladoras e sombrias, sendo surpreendente o elevado nível de detalhe e coesão que um grupo tão jovem consegue colocar nas suas composições. Em baixo poderão ouvir o disco na íntegra mas a edição em vinil contará com uma nova remasterização por parte de Randy Cordner.





Oriundos de São Petersburgo, na Rússia, os Blankenberge editaram um EP homónimo em 2016 e o seu primeiro longa-duração, Radiogaze, no ano passado. Os russos não fogem à típica sonoridade shoegaze/dream pop mas conseguem criar músicas incrivelmente energéticas, graças a ensurdecedoras guitarras (que certamente agradarão aos fãs de My Bloody Valentine), mas também extremamente introspetivas e expansivas, através dos soberbos vocais de Yana Guselnikova e de secções de quase puro drone. Em baixo poderão escutar a versão remasterizada (por Mikhail Kurochkin) de Radiogaze mas recomenda-se também esta sessão ao vivo. 




0 comentários:

Enviar um comentário