sexta-feira, 18 de maio de 2018

Reportagem: Whispering Sons + Second Still [Hard Club, Porto]


No passado sábado (dia 12 de maio) o Hard Club, no Porto, recebeu mais uma noite memorável onde o post-punk incorporou a personagem principal. No cartaz os norte-americanos Second Still e os belgas Whispering Sons, ambos dois nomes que têm vindo a ganhar um certo renome dentro da comunidade underground, pela sua sonoridade dentro dos espectros do post-punk darkwave e coldwave. Ambas as bandas tocaram no dia anterior em Lisboa, no Sabotage Club, e no Porto as expectativas estavam bem altas. 

Second Still

Second Still

Previsto para as 22h00, o concerto dos Second Still teve arranque pelas 22h16 com os três membros a subirem a placo para tocar um já considerado "hit", o tema "Recover", retirado do muitíssimo aclamado disco de estreia homónimo editado o ano passado pela Weyrd Son Records e Manic Depression Records. Foi o suficiente para arrancar os primeiros passos de dança do público, que começava a desinibir-se com o volver da música. Os Second Still estavam em Portugal pela primeira vez e assim que acabaram de tocar a primeira música era notório que o público presente estava ali para ver aquelas bandas específicas e não só porque agora ver concertos até está na moda. Ouvimos muitas palmas e até um "kawaii" dirigido para a vocalista Suki, de ascendência asiática. 

Second Still

Ainda em mote de apresentação do disco de estreia o público do Porto pôde ouvir "You Two So Alike" e "Try Not To Hide", grandes temas que fizeram da noite um bom macro e que voltaram novamente a afirmar a At The Rollercoaster como uma das melhores promotoras da atualidade. Além das poucas palavras entre banda e público e dos habituais "thank you", foi notório que estávamos ali perante uma das grandes bandas da nova geração underground, com Suki a mostrar uma voz de tonalidades muito semelhantes às de Siouxsie Sioux

Second Still

Apesar de algumas pausas um bocadinho longas entre as músicas este foi um concerto super aplaudido onde houve tempo para ouvir algunas das músicas do disco de estreia, mas também as do mais recente EP Equals onde se destacaram "Ashes", "Opening", "Altar" e "Walls", para dançar até mais não. Antes de acabarem, a vocalista disse que a próxima música iria ser a última, para infortúnio dos presentes, num concerto que terminou pelas 22h57 com o público a pedir mais e mais, mas sem direito a nada. Mesmo sem encore o concerto foi uma excelente surpresa e a prova de que os Second Still são definitivamente uma aposta em consideração nos próximos tempos. 

Whispering Sons

Whispering Sons

Os Whispering Sons subiram a palco por volta das 23h10 para aparentemente fazerem um novo soundcheck, enquanto o público ia ouvindo a música de fundo. Isto começou por ser um bocado estranho porque não se percebia se a banda estava efetivamente a tentar começar o concerto e não os deixavam (porque a música de fundo continuava a ouvir-se enquanto eles tentavam tocar), ou se estava a fazer um novo soundcheck, que foi a opção que nos pareceu mais correta uma vez que abandonaram o palco de seguida. Formados em 2013, o quinteto belga estava de regresso ao país, dois anos depois de terem tocado no Post-Punk Strikes Again, para apresentar os mais recentres singles editados entre 2016 e 2017 pela Weyrd Son Records, além de novos temas que integrarão o muito aguardado disco de estreia da banda, que segue ainda sem informações adicionais avançadas. 

Whispering Sons

Pelas 23h17, a banda volta a subir a palco com Fenne a dizer "Hello" e "Stalemate" a fazer-se ouvir como a primeira música do concerto e a mostrar-se como uma novidade na discografia da banda. Para quem já tinha visto a performance dos Whispering Sons em 2016 já esperava que o concerto ia ser bem louco, pelas características de Fenne Kuppens em palco, e a verdade é que foi. Os Whispering Sons começaram por tocar três músicas novas e, logo com a performance da segunda "Got a Light", Fenne mostrou o seu verdadeiro modus operandi, tendo atirando o microfone para o chão aqui ali (e acabado inclusivé por o estragar) numa performance em que tentava expressae a sua ira/raiva em palco. 

Whispering Sons

Do concerto, além dos novos temas ouviram-se ainda "Performance", "Strange Identities", "White Noise" e, obviamente o tema mais aclamado de carreira, "Time". Apesar de ter provocado menos dança, ao nível do público do que o concerto dos Second Still, foi notório que de uma forma geral a prestação dos Whispering Sons surpreendeu quem estava presente, pela quantidade de palmas que se ouviu. Obviamente que quem teve maior destaque na performance do quinteto belga foi a vocalista, com uma voz característica e acima de tudo com uma performance que poderia ser descrita pelos Joy Division como literalmente "She's Lost Control"

A performance dos Whispering Sons acabou às 00h05 com o público a pedir por mais músicas, à semelhança do que já tinham feito com os Second Still, mas desta vez com êxito. A banda voltou a palco cerca de um minuto depois de o ter abandonado para tocar o novo tema "Insight".

Whispering Sons + Second Still [Hard Club, Porto]

Texto: Sónia Felizardo
Fotografias: Francisca Campos

0 comentários:

Enviar um comentário