quarta-feira, 4 de julho de 2018

Carmão Festão com Donny Benét e mais a caminho do GrETUA


Aveiro está diferente e não é preciso residir na cidade dos canais para perceber isto. Basta ter uma ligeira conexão web com o underground do rock para saber que os concertos não têm faltado e, razões para ir de excursão à capital da Beira Litoral também não. Ora, os méritos desta transformação do panorama cultural são das últimas coisas que importam salientar, embora o GrETUA seja o claro epicentro da agitação que Aveiro vive no presente. E sabendo que o AVEIROSHIMA2027 foi a força motriz destas "GrETUA NIGHTS" onde a descoberta e diversidade musical marcaram os serões e as memórias do público, a Carmina Festana chegou enquanto 1ª produção de média escala da casa desde que o Grupo Teatral decidiu abrir as suas portas aos concertos e dinamização musical. 

Depois de uma 1ª edição marcada por um efeito ping-pong entre géneros e artistas e onde pudemos ver o power-metal dos Cruelist antes do math-rock fofinho dos P A L M I E R S, a Carmina Festana regressa de novo no próximo mÊs de agosto com a particularidade de o cartaz ainda ser uma incógnita. Mas a julgar pelo warm-up - o Carmão Festão -, talvez o 4 de agosto seja o melhor dia do ano para ir a Aveiro pela 1ª vez desde que fomos em crianças.


A quinta-feira, 26 de julho, marca a estreia de Donny Benét em Portugal e do equivalente masculino da Carmina Festana no GrETUA. Carmão, batizaram eles, é o warm-up perfeito para começarem a conhecer o universo da Cármen e a sua abordagem em relação à música (ou mesmo o universo de Donny Benét). Filho de italianos emigrados na Austrália, Donny cedo que começou a apaixonar-se pela aura melódica dos sintetizadores e da disco-fever que engoliu as décadas em que os nossos pais eram fixes. Irreverente, expressivo e estranhamente sexy, Donny transpira a estética dos 70's, transborda a musicalidade dos 80's enquanto relembra os galãs de cinema dos 90's. Por galãs entenda-se os verdadeiros, e não os Ken's de olhos azuis que parecem condenados ao papel principal.



Apesar deste prato delicioso, a noite de aquecimento marca ainda a aparição de alguns dos projetos mais interessantes do panorama "garageiro" em Portugal. Filhos da casa, os Mendiratta são o power-trio a dar o mote da noite com um Kuduro-Punk que demora a lançar exemplos numa Internet onde os possamos ouvir. Kuduro Punk? A imaginação na hora de batizar o género não ultrapassa a imaginação do o materializar, com os ritmos africanos a marcarem o passo da viagem que nunca deixa o psicadelismo sair pela janela. Baixo voluptuoso a segurar uma guitarra anarca que vagueia entre solos e riffs antes de chegar à savana. Um autêntico safari por entre as diferentes abordagens do rock psicadélico, e mais não podemos dizer. 

Na saga da descoberta e amostra dos projetos que não conheces, mas que podes agradecer no final, FOQUE é o senhor que se segue. Oriundo do Porto, Luís Leitão decidiu criar o seu próprio universo a solo, numa vertente onde as samples dão aso a uma veia composicional demasiado madura para a precocidade do projeto. Como uma amostra fiel da ambiência criada, o concerto nas NEON Sessions é mais do que suficiente para dar todas as impressões precisas.



E depois, para os "eternos resistentes", para os "esganados da noite" ou para "quem não trabalha na manhã seguinte"... independentemente da expressão, tem de haver "after", não é? Mantendo a tradição da 1ª edição. o warm-up torna a importar o melhor das madrugadas da Invicta com 2 DJ set's de abanar com a pista. DJ Segurança e DJ Karpet? Vocês não sabem quem são, mas de certa forma, sabem. Basta marcar presença nesta noite poliamorosa e deixar as ancas falar ao som do melhor techno e world-music pela modesta quantia de 3€. Sim, tudo isto e muito mais por apenas 3 euros se adquirirem o bilhete em pré-reserva, aqui. Todas as informações adicionais sobre o Carmão Festão seguem aqui.


0 comentários:

Enviar um comentário