segunda-feira, 30 de julho de 2018

Mucho Flow 2018 desvenda os primeiros nomes do seu cartaz


O Mucho Flow é um evento organizado pela Revolve que todos os anos se realiza no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura (CAAA) em Guimarães (a cidade onde nasceu esta promotora). Esta será a sexta edição do certame que todos os anos (e ao longo de um único dia) oferece à sua audiência uma amostra da música que se anda a produzir nas esferas do experimentalismo contemporâneo. E a julgar pelas primeiras confirmações, parece que o foco da programação não se alterou: GAIKAblack midiFire! e SKY H1.



GAIKA é já um conhecido nosso, tendo-nos visitado há dois anos atrás por ocasião do Milhões de Festa e ainda este ano veio à Zé dos Bois. O londrino que lançou a semana passada o LP Basic Volume via Warp Records tem redefinido a paisagem sonora da música negra, transportando o som das ruas para um novo plano que é simultaneamente mecânico, escuro, experimental e melódico. Num diálogo constante entre as raízes jamaicanas e a infância passada em Brixton, a música que faz é síntese electrónica com partículas vindas do grime, dance hall, garage, hip hop ou R&B, que transporta “o verdadeiro som de Londres” para um universo digital e alienígena e, por isso mesmo, único.



A partilhar o voo vindo de Londres com o Gaika teremos os black midi. O quarteto é caracterizado pela sua sonoridade frenética, inventiva e elástica, que atravessa vários limites: do math, ao prog e até do post-punk. Com apenas um single editado, gravado num par de horas em estúdio, o colectivo, que se estreia agora em Portugal, tem vindo a deixar um rasto de actuações memoráveis um pouco por toda a Inglaterra, país que fervilha debaixo das crescentes tensões raciais e económicas. Hot topics que marcam o seu contemporâneo mas acima de tudo, problemáticas palpáveis que são indiscutíveis catalisadores para a força motriz dos black midi.


© Johan Bergmark
Os Fire! são por Mats Gustafsson (saxofone), Johan Berthling (baixo) e Andreas Werliin (percussão). Três músicos da cena exploratória da Escandinávia que alcançaram o estatuto de lendas e que atuam juntos sobre o pseudónimo Fire! desde o ano de 2009. OFire! já assumiram diversas formas: em 2010 andaram em digressão com o Jim O’Rourke, resultando dessa colaboração o LP Unreleased, lançado no ano seguinte; em 2012 colaboraram com Oren Ambarchi, resultando dessa colaboração o LP In The Mouth - A Hand; em 2013, expandiram-se para 31 membros, formando a Fire! Orchestra e editando o álbum Exit. Atualmente, os Fire! atuam em formato trio (com o alinhamento original dos 3 membros fundadores da banda) e lançaram este ano The Hands, um LP que nós consideramos ser um dos melhores álbuns do primeiro semestre deste ano.



A última aquisição deste leque de confirmações do Mucho Flow é SKY H1, uma produtora belga que se dedica à construção de paisagens sonoras etéreas. Lançou em 2016 o EP Motion com o selo de qualidade da prestigiada PAN e garantiu um lugar no belíssimo Mono No Aware, uma das melhores compilações de IDM editadas no ano transacto (podem ler a crítica ao mesmo aqui).

O Mucho Flow tem lugar no dia 6 de outubro, no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura (CAAA) em Guimarães, e os bilhetes custam 10 euros.

0 comentários:

Enviar um comentário