quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Milhões de Festa. Afinal, ainda há tradição


“A tradição já não é o que era” é o lema que dá mote à 11ª edição do Milhões de Festa, o festival minhoto que se realiza em Barcelos desde 2010. Pela primeira vez, o evento que traz todos os anos alguns dos nomes mais emergentes do panorama musical independente realiza-se em setembro, ao invés do habitual mês de julho. Deslocando-se para fora do período tradicional dos festivais de verão, o Milhões de Festa regressa às margens do Rio Cávado e com ele voltam as tainadas com os amigos, os mergulhos na piscina e um cartaz de luxo dedicado ao melhor da música de cunho experimental. Este ano, o festival contará com caras familiares (Gonçalo, The Bug, Moor Mother, desta vez com o mais recente projeto 700 Bliss), as viagens psicotrópicas dos Circle, Pharaoh Overlord e Electric Wizards, que regressam ao festival que os acolheu na sua primeira passagem por Portugal, novas promessas da música contemporânea (Gazelle Twin, Nubya Garcia, Natalie Sharp) e os mais estabelecidos Squarepusher, Mouse On Mars e Os Tubarões. Para além disso, a organização promete levar música ao coração da cidade com concertos de Vaiapraia e as Rainhas do Baile, The Evil Usses, Johnny Hooker e o habitual Ensemble Insano

Em baixo, deixamo-vos com 5 sugestões dos nomes que não podem perder nesta edição.

Squarepusher

É tido como um dos grandes destaques desta edição. Squarepusher, o projeto do britânico Tom Jenkinson, destacou-se desde o início como uma das figuras centrais da IDM e do drum n’ bass executado na década de 90. Feed Me Weird Things, de 1996, marcou o primeiro trabalho longa-duração de Jenkinson, juntando o produtor ao catálogo da editora Reflex, do contemporâneo Richard D. James. Desde então, o autor de “Come On My Selector” conta com uma infinidade de lançamentos de curta e longa-duração por selos tão conceituados como a norte-americana Nothing (de Trent Reznor) e a britânica Warp, casa mãe de artistas como Aphex Twin e Autechre. Baixista e multi-instrumentista exímio, Jenkinson funde nas sua composições complexas o melhor do jazz e do techno, de Miles Davis a Carl Craig, aplicando instrumentação de ordem jazzística às batidas mais desenfreadas do drill n’ bass. Music Is a Rotted One, de 1998, confirmaria o legado de Jenkinson com um dos trabalhos mais aclamados da sua carreira, um apanhado de 15 canções onde o jazz de fusão encontra a união perfeita com a electrónica sui generis do britânico. A estreia absoluta em Portugal faz-se dia 7 no festival minhoto.

Mouse On Mars

E por falar num dos grandes da IDM, quem também marcará presença na 11ª edição do Milhões de Festa será o duo germânico Mouse On Mars. Mais discretos e intrigantes que o anterior, a dupla composta por Andi Toma e Jan St. Werner mantém uma carreira ativa há mais de duas décadas, dos quais se contam selos tão conceituados como a Domino e a Thrill Jockey. Os primeiros passos dados em Vulvaland, o álbum de estreia editado em 1994 pela Too Pure (mais tarde reeditado pela American Recordings, de Rick Rubin), dariam origem a um sem fim de discos aclamados pela crítica internacional especializada. Autoditacker (1997), Glam (1998) e o mais acessível Ideology (2001) cimentariam o legado da dupla, cruzando glitch e  texturas ambientais com compassos que bebem tanto da dub como da kosmische alemã. Dimensional People, editado em abril deste ano, serve de mote para o regresso dos Mouse On Mars a Portugal, seis anos após o encontro com o festival Semibreve.

Gazelle Twin

Gazelle Twin é o projeto da produtora e compositora Elizabeth Bernholz. Membro central da editora, blog e coletivo artístico Anti-Ghost Moon Ray, Bernohlz apresenta-se sob o moniker Gazelle Twin desde 2010. The Entire City, o primeiro registo longa-duração, mostrou uma abordagem vanguardista de vozes e tessituras industriais em toada gótica que se viriam a intensificar nos restantes discos da britânica. Unflesh, o seu disco por excelência, mostrou a quintessência de Gazelle Twin como criadora de paisagens sufocantes e claustrofóbicas pintadas a negro. Desde então, seguiu-se Out of Body, a banda sonora para o filme do mesmo nome, um tema composto para a famosa série televisiva 'The Walking Dead' e o mais recente Kingdom Come, um disco baseado na instalação conjunta de Elizabet e Jez Bernohlz para o Everything Festival. Em setembro, a produtora prepara-se para lançar Pastoral, o quinto álbum de estúdio que deverá ser escutado na sua performance em Barcelos, dia 8.

The Bug & Miss Red

Cara bem conhecida do público português, The Bug (Kevin Martin de nome) estreou-se no festival minhoto com uma abrasiva performance em 2015, na companhia de Manga e Flowdan. Um ano depois, o produtor britânico regressaria a Barcelos na companhia de Miss Red sob a premissa de interpretar os temas de Acid Ragga, voltando em 2017 para duas datas ao lado de Dylan Carlson, guitarrista dos Earth com quem efetuou um autêntico duelo de titãs. Agora, em 2018, Kevin Martin volta a juntar forças com Miss Red para apresentar o álbum de estreia da MC israelita. Produzido pelo suspeito do costume, K.O. junta mais uma vez os dotes de Martin à incansável performance vocal de Miss Red, nome artístico de Sharon Stern, para um portentoso disco que alia grime e dancehall a paredes maciças de graves e instrumentais dub. Depois da performance inesquecível de 2016, Stern e Martin prometem agitar novamente as águas do rio Cávado com os sons mais escaldantes dos subúrbios.

Peter Gabriel Duo

Não, não é um projeto de rock progressivo em homenagem ao ex-líder dos Genesis. É sim um dos mais vitais projetos da música improvisada de Lisboa. Gabriel Ferrandini e Pedro Sousa formam os Peter Gabriel Duo, um projeto que, para além do nome brilhante, junta dois dos mais virtuosos artistas do circuito underground português. A simbiose perfeita entre a bateria desenfreada de Ferrandini e o saxofone embriagado de Sousa dão som a este intrigante duo que, para além de uma cassete editada pela Favela Discos, conta ainda colaborações invejáveis com artistas como David Maranha, Alex Zhang Hungtai (ex-Last Lizard/Dirty Beaches), e concertos ao lado de Thurston Moore e Johan Bertling (dos quais resultaram Live at ZDB e Casa Futuro, respetivamente). Depois da participação em eventos de referência como o Out.Fest, Jardins Efémeros e o germânico Hallo Festspiele, a dupla ruma a norte para uma performance a não perder no Milhões de Festa, dia 7.

0 comentários:

Enviar um comentário