sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Acid Mothers Temple, James Holden e Midori Takada no último trimestre do gnration

O músico e produtor britânico James Holden, a redescoberta compositora e percussionista japonesa Midori Takada e os magos do rock psicadélico Acid Mothers Temple são alguns dos destaques para o último trimestre de 2018. Prodigioso artista visual francês Joanie Lemercier apresentará também uma nova instalação. 


Foi hoje divulgada a programação para o último trimestre do ano do gnration. A 4 de outubro, o programa para os últimos três meses de 2018 do centro cultural bracarense arrancará com os rock psicadélico dos japoneses Acid Mothers Temple. Com mais de duas décadas dedicadas ao improviso e uma discografia composta por mais de 100 edições, os Acid Mothers Temple foram fundados em 1995 pelo guitarrista Kawabata Makaboto. O regresso a Portugal marcará também uma nova formação no coletivo, com a estreia do vocalista Jyonson Tsu. Na mesma noite sobem também ao palco os bracarenses The Nancy Spungen X

O compositor alemão de música contemporânea Karlheinz Stockhausen será relembrado a 12 de outubro com a interpretação de algumas das suas peças. Telemusik e Kontakte vão ser levadas a palco pelo piano de Patrícia Martins, a percussão de Michael Pattmann e a eletrónica de Ricardo Guerreiro

Convidado a integrar o programa Scale Travels, iniciativa que alia arte e nanotecnologia, o gnration receberá o conceituado artista visual francês Joanie Lemercier, que apresentará na galeria INL uma nova instalação audiovisual. “Microscapes” resulta da residência artística levada a cabo este ano no INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia. Estará patente para visita de 15 de outubro a 12 de janeiro e a entrada é gratuita. 

De 26 a 28 de outubro, o gnration receberá a oitava edição do SEMIBREVE, o festival dedicado ao melhor da música eletrónica e arte digital. Encarregue de fechar as noites do festival, pelo gnration vão passar Jlin, RP Boo, SØS Gunver Ryberg e DJ Stringray. Além de instalações artísticas patentes para o festival, o SEMIBREVE e o gnration, em parceria com a Bienal de Arte de Cerveira, apresentam a exposição “Uma perspetiva sobre a vídeo arte portuguesa – anos 80”, mostra que reúne em primeira-mão trabalhos recuperados de artistas portugueses da década de 80 na área do vídeo. 

O destaque maior do trimestre vai para um dos mais virtuosos nomes da música eletrónica atual. James Holden, produtor britânico de música eletrónica, regressa a Portugal a 8 de novembro depois de ter passado em agosto pelo festival de música eletrónica NEOPOP, em Viana do Castelo. À Blackbox do gnration, James Holden trará o mais recente disco The Animal Spirits, editado no ano transacto pela Border Community. Holden juntará em palco a banda que o acompanhada no disco, formada pela bateria do londrino Tom Page, o saxofone de Etienne Jaumet, a corneta de Marcus Hamblett, a cantora Liza Bec e o percussionista cósmico Lascelle Gordon. Outro nome a destacar na programação é o da japonesa Midori Takada. Aos 66 anos de idade, Midori Takada está nas bocas do mundo, muito por culpa do entusiasmo coletivo à volta dos seus primeiros discos e pelas consequentes reedições que surgiram após esse acontecimento. Em Braga, a compositora e percussionista apresentar-se-á em concerto na Capela Imaculada do Seminário Menor, uma capela de arquitetura moderna e um dos ex-libris da cidade. O concerto insere-se no ciclo gnration@, iniciativa que pretende dinamizar atividades culturais em locais emblemáticos de Braga e que levou já Lee Ranaldo a atuar num salão medieval do século XIV. O concerto realiza-se a 13 de novembro e o acesso é gratuito mediante apresentação de bilhete para outro espetáculo de música do mesmo trimestre. 



A 16 e 17 de novembro, o gnration voltará a receber mais uma edição do Festival Para Gente Sentada, a quarta consecutiva na cidade de Braga. O programa de concertos, que se divide entre Theatro Circo e gnration, será revelado em breve. Exímia violinista, figura central da cena musical independente de Montreal, Jessica Moss deu-se a conhecer com os A Silver Mt. Zion. Depois de uma apetitosa estreia com Pools of Light em 2017, Moss regressa aos discos um ano depois com Entanglement, novamente sob o selo da Constellation Records. Apresenta-o em Braga a 4 de dezembro. 

Na dança, a 7 de dezembro, o gnration receberá “EXI(s)T(s)”, o novo trabalho da coreógrafa e performer portuguesa Mariana Tengner Barros. Uma semana depois, o coreógrafo Flávio Rodrigues desenvolverá uma residência artística no laboratório transdisciplinar Guelra. O resultado final da residência artística será apresentado publicamente a 14 de dezembro. 

A fechar a programação, dia 15 de dezembro, o gnration receberá o OCUPA, perspetiva sobre a música eletrónica e arte digital em Braga. Para a sua terceira edição o OCUPA abre a porta a um convidado internacional, o britânico Roly Porter. Outrora parte integrante do pioneiro duo Vex’d, Roly Porter arrecadou críticas muito positivas por parte da imprensa especializada com o lançamento de Third Law, o mais recente disco editado pela Tri Angle em 2016. Do programa consta ainda uma encomenda conjunta aos bracarenses David Machado, Dora Vieira e Tundra Fault, com visuais por Distorted Vision, e a apresentação final do Clube de Inverno, este ano liderado pela editora portuense Crónica. Também novidade será um programa de conversas sobre a relação entre tecnologia, arte e performance, com a participação de artistas e académicos. 

Os bilhetes para o trimestre podem já ser adquiridos em https://gnration.bol.pt, balcão gnration e locais habituais.


0 comentários:

Enviar um comentário