quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Reportagem: Spiritual Front plays The Smiths + Spiritual Front [Sabotage Club, Lisboa]


“Nothing is more contagious than sin.”

19 de Outubro de 2018 fica para a minha história, como o dia em que pela primeira vez assisti a um concerto de tributo. Cedo Simone Salvatori convidou, como se tal fosse necessário, o público presente para a festa em que os Spiritual Front prestaram homenagem à sua banda favorita, os The Smiths, e rapidamente a festa começou com “The Queen is Dead”, e prolongou-se por mais 17 temas como “Barbarism Begins at Home”, “First of The Gang to Die” ou “This Charming Man”. Sempre comunicativo, cativante e irreverente, Simone dançou, cantou e “engatou” o público, afinal estamos perante um dos mais cativantes “performers” europeus acompanhado por excelentes músicos.

Se a estranheza e o receio de estar em frente a um palco habitado pelos Spiritual Front e não ir ouvir Spiritual Front exisitia, ficou fixada na minha cabeça após uma espreitadela precoce na setlist, ao fim ao cabo 18 músicas são um concerto inteiro. Mais tarde viria a confirmar que os Spiritual Front não são uma banda qualquer e no fim ainda nos presentearam com mais um mini alinhamento em nome próprio. E aí sim, a cereja no topo do bolo, Simone continuou a festa com 6 músicas em que visitaram “Armageddon Gigolo” e “Amour Braque”, do novo álbum. Do arranque com “Jesus Died in Las Vegas” ao final de “Bastard Angel” distaram 6 músicas que, apesar de saberem a pouco, demonstraram que Simone Salvatori enquanto figura central é enorme e que os Spiritual Front enquanto um todo poderão não ser tão grandes como The Smiths, mas ainda assim mereciam um alinhamento maior que a “banda de abertura”.

Spiritual Front Plays The Smiths + Spiritual Front

Texto e fotografia: Virgílio Santos

1 comentário: