sexta-feira, 9 de março de 2018

Deer - "Wild Eyes" (video) [Threshold Premiere]


Deer, a mexican duo formed by Adriana Falcón (voice, guitar) and Miguel Bastida (keyboards, synths and guitar) and currently based in Hong Kong, are releasing a new EP today called Portraits and are also presenting it through a new music video for the single "Wild Eyes". This new record is a series of imaginary stories that emerge from their experience as Hong Kong residents and the new single "Wild Eyes" tells us about the soul of an immigrant singing about her life and death in the limbo: ambiguous, confusing and shaking, just like the resulting sound.

“Wild Eyes” joins the ranks of other released singles such as "In The Shadows" and "I Want It All". The music video for "Wild Eyes" was directed by Jorge Moya a.k.a. The Hong Kong Fixer, who was also in charge of the previous single "In The Shadows", and can be watched below.



Portraits is out today, March 9th, in self-release format and can be streamed here.


Portraits Tracklist:

01. Wild Eyes 
02. In the Shadows 
03. Alive 
04. I Want It All

+

STREAM: Jochen Arbeit​/​Paolo Spaccamonti - CLN


O guitarrista dos Einstürzende NeubautenJochen Arbeit, juntou-se ao guitarrista e investigador de composição Paolo Spaccamonti par criar CLN, um álbum de força negra que funciona como lamentação, através da arquitetura rigorosa na conjugação sonora entre as duas guitarras que o integram. Este é o primeiro trabalho colaborativo dos dois artistas e resultou de um encontro entre Jochen ArbeitPaolo Spaccamonti, em Turim, que os levaria mais tarde a gravar CLN em estúdio, sem nenhum plano de composição. Três horas de gravações destilaram cerca de trinta minutos de música, num som tipicamente redefinido, diluído e esculpido.

O disco é composto por um total de sete canções das quais se recomenda a audição de temas como "I", "II", "IV" e "VI", que exploram uma gama ampla de paisagens sonoras, nomeadamente a beleza do minimalismo sonhador e repetitivo. CLN pode ser ouvido na ínetgra abaixo.

CLN é editado esta sexta-feira (9 de março) pelo selo Boring Machines.


+

Jé é conhecida a programação completa do MIL: Os profissionais


Além dos 64 artistas já divulgados, da programação da segunda edição do MIL, o Lisbon International Music Network, também já são conhecidos os oradores que integram o programa profissional, dirigido a estudantes e profissionais do setor da música. Estes encontros profissionais decorrerão na Rua da Boavista 9, Rua das Gaivotas 6 e Pólo Cultural das Gaivotas - Boavista. Nas novidades da programação profissional desta segunda edição do MIL encontra-se ainda o modelo de masterclass, que inclui aulas de componente teórico-prática, sobre comunicação e criação de conteúdos com Keith Vaz, e estratégias de marketing para bandas, por Matthew Errington.

Ao longo dos três dias de festival - 4,5 e 6 de abril - será ainda possível assistir a um conjunto de apresentações, nomeadamente do Liveurope, plataforma dedicada a promoção de artistas europeus emergentes, dos festivais Festival Bananada, SIM São Paulo, Tremor, Milhões de Festa, Bons Sons, Luc Fest, da editora brasileira Mais Um Discos, das promotoras de concertos Beirut Jam Sessions, Sofar Sounds Lisbon e da International Artist Organisation, pela Suzanne Combo, também co-fundadora da La GAM. Para além disso, a SACEM, sociedade francesa de autores, preparou um workshop sobre o percurso de uma obra musical após o seu registo na sociedade de autores.

Aos keynotes e masterclasses juntam-se ainda uma dezena de debates sobre tópicos relevantes para as indústrias da música discutidos por profissionais de destaque nas temáticas como a digitalização da música, questionando a liberdade e os limites à neutralidade da internet bem como a importância dos metadados; a importância das salas de espectáculo e clubes no tecido cultural das cidades e no circuito da indústria musical; a relevância da crítica musical e quais as estratégias e ferramentas do jornalismo musical da actualidade. Podem consultar a programação profissional completa aqui.


Os bilhetes PRO TICKET (acesso à convenção, base de dados de profissionais e entrada prioritária nos concertos), têm um custo de 60€ e podem ser adquiridos aqui. Os GOLD FESTIVAL TICKET (acesso ao espectáculo de abertura + concertos e oferta de totebag MIL) e FESTIVAL TICKET (acesso aos concertos), custam 35€ e 25€ respectivamente, e podem ser comprados em bol.pt ou nos locais habituais.


+

[Review] GoGo Penguin - A Humdrum Star


A Humdrum Star // GoGo Penguin // fevereiro de 2018
8.0/10

A história do jazz é uma história de inovação - a viagem descrita pelo género incorpora de tudo um pouco, desde folclore nos tempos da dixieland, rock com a génese do jazz fusion, a palavra e rap no advento do hip hop, até géneros mais "marginais" e esotéricos como free jazz e jazz espiritual. Contudo, algures no meio desta turbulência, houve ainda tempo de permitir que a manipulação electrónica da música (e a própria música electrónica) se infiltrassem num dos géneros mais camaleónicos da música.

O último trabalho dos GoGo Penguin é um exemplo catedrático dessa infiltração. Editado pela Blue Note - uma das editoras de jazz mais antigas e conceituadas, que assina/assinou gigantes do jazz como Cannonball Adderley, Tony Allen, Sidney Bechet, Art Blakey e Don Cherry (fico-me por aqui para não incorrer numa delonga desnecessária) - A Humdrum Star é o quarto álbum do trio de Manchester, que consegue inovar num mundo maravilhosamente saturado - é impossível esquecer que dentro do jazz continuam a ser produzidas obras de referência por nomes como Kamasi Washington e Flying Lotus (ficando-me por aqui, novamente, para não prolongar esta crítica para lá do aceitável).

A Humdrum Star não vai de encontro à ideia conservadora do jazz como um género difícil ou elitista - antes pelo contrário, encontra a sua voz em melodias que não têm medo de mostrar a sua faceta pop e em repetições categóricas de música de dança, com ritmos bem delineados onde o improviso característico do jazz tem apenas fôlego suficiente para desenhar pequenas flutuações que não escondem as estruturas de fácil audição de onde surgem. 

É difícil oferecer destaque a qualquer um dos temas - o disco mantém um nível geralmente alto, sendo a coesão um dos fatores que torna a sua audição numa experiência que não requer qualquer esforço. Contudo, há sempre momentos que sobressaem: Strid, um dos momentos de maior liberdade do álbum, assenta sobre um groove viciante e pouco ortodoxo que Nick Blacka, contrabaixista da banda, carrega até a um momento de maior expansão - um crescendo típico de post-rock sem se afirmar como isso. Transient State é um constante diálogo entre bateria e piano, protagonizados por Rob Turner e Chris Illingworth, sobre um tópico proclamado por um metrónomo-feito-contrabaixo - um ensaio sobre a democracia, uma "discussão" brilhante em que nenhuma voz se sobrepõe à outra.

Ainda no tópico dos destaques, é impossível não mencionar Raven - segunda faixa do disco, que começa por seguir a melancolia e inocuidade do tema de abertura, Prayer, para logo as deixar para trás numa inquietação e caos controlado que acaba por estar presente no resto de A Humdrum Star - ou Bardo, uma música que começa estranhamente próxima daquilo que pode ser considerado EDM mas que rapidamente se desprende desse rótulo, abrindo alas para um dos finais mais bem conseguidos do disco. 

Apesar dos GoGo Penguin não serem caras novas - levam quase 10 anos de carreira - continuam a soar a novo, não esquecendo o jazz de onde vêm nem o nu jazz onde estão. A Humdrum Star é um disco que pode ser ouvido em primeiro plano ou como personagem secundária (apesar de ser difícil de ignorar), mantendo-se interessante e chamativo desde o primeiro instante.

+

Jé é conhecida a programação completa do MIL: Os artistas


O MIL - Lisbon International Music Network volta a invadir Lisboa para a sua segunda edição num alinhamento que contempla mais de 60 artistas a tocarem na capital entre os dias 4, 5 e 6 de abril. Em fevereiro já tinham sido avançados nomes como Boogarins, Best Youth, Bruno Pernadas, ErmoChapelier Le Fou, Corine ou Elbi e esta semana ficou conhecido o alinhamento para os três dias bem como as restantes bandas. Nomes como Névoa, Process Of Guilt, Dark Times, Killimanjaro, MOKRI, ou Zulu Zulu são algumas da novidades no MIL deste ano.

No que toca aos concertos, estes acontecem em oito clubes e salas de espectáculo espalhadas pelo bairro do Cais do Sodré: B'Leza, Musicbox, Sabotage, Rive Rouge, Viking, Lounge, Tokyo e Europa. A programação das bandas por dia pode ser consultada abaixo.


PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA MIL 2018

4 de abril 
Espectáculo de abertura - Boogarins convidam The Legendary Tigerman, Capitão Fausto e PAUS.

5 de abril 
Best Youth (PT) | Black Snake Moan (IT) | Boogarins (BR) | Candeleros (ES) | Captain Casablanca (DK) | Chapelier Fou (FR) | Chinaskee e os Camponeses (PT) | Corine (FR) | Diron Animal (AO) | El Señor (PT) | Ermo (PT) | Hypersex by Moullinex (PT) | Iguana Garcia (PT) | Joon Moon (FR) | Le Motel (BE) | Maurício Takara (BR) | Mr. Gallini (PT) | MOKRI (NO) | Núria Graham (ES) | NERVE (PT) | O Gringo Sou Eu (BR/PT) | Paraguaii (PT) | Phoenician Drive (BE) | P.L.I.N.T. (BR/AR) | Ricardo Dias Gomes (BR) | Sampladélicos (PT) | Témé Tan (BE) | The Legendary Tigerman (PT) | The Poppers (PT) | The Zephyr Bones (ES) | Voicello (ES) | Zulu Zulu (ES) 

6 de abril 
Aeromoças e Tenistas Russas (BR) | Banda B.Leza (CPV) | Bruno Pernadas (PT) | Cary or not Cary (BR) | Dark Times (NO) | Elbi (FR) | Fugly (PT) | Futuro Pelo (FR) | Galo Cant’Às Duas (PT) | Gonçalo (PT) | HHY & The Macumbas (PT) | Jay Moreira (CPV) | Joana Guerra (PT) | Keep Razors Sharp (PT) | Killimanjaro (PT) | KO KO MO (FR) | LaBaq (BR) | Luís Severo (PT) | L. Teez & Aeon Seven (CAN) | Mighty Sands (PT) | MONDAY (PT) | Naïve New Beaters (FR) | Névoa (PT) | Ops (BR) | Passo Largo (BR) | Process of Guilt (PT) | Sean Riley (PT) | Toft (NO) | Whales (PT) | When 'Airy Met Fairy (LU/IS)



Além das bandas, a programação deste ano do MIL conta com três dezenas de debates, masterclasses, apresentações e encontros profissionais, podendo ser consultada em millisboa.com. Os bilhetes PRO TICKET (acesso à convenção, base de dados de profissionais e entrada prioritária nos concertos), têm um custo de 60€ e podem ser adquiridos aqui. Os GOLD FESTIVAL TICKET (acesso ao espectáculo de abertura + concertos e oferta de totebag MIL) e FESTIVAL TICKET (acesso aos concertos), custam 35€ e 25€ respectivamente, e podem ser comprados em bol.pt ou nos locais habituais.

+

quinta-feira, 8 de março de 2018

Os Minami Deutsch regressam a Portugal


Os Minami Deutsch vão editar este ano With Dim Light, o sucessor do seu homónimo LP. Nesse sentido, os nipónicos iniciam em abril uma extensa digressão europeia que passará por Portugal. No dia 12 de maio, os Minami Deutsch darão um concerto no Sabotage Club em Lisboa. No dia seguinte, subirão até ao Porto para dar um concerto em sala ainda incerta.

Em baixo, deixamo-vos o poster da digressão europeia da banda e "Tangled Yarn", o single de avanço de With Dim Light.


+

Grouper regressa aos discos com Grid of Points, partilha primeiro single

Tanja Engelberts

Liz Harris anunciou o regresso às edições sob o acarinhado moniker de Grouper. A 27 de abril, as melodias e murmúrios aconchegantes de Liz recebem um novo tomo com Grid Of Points, o novo registo da artista norte-americana que volta a receber o selo de confiança Kranky

Grid Of Points sucede assim o disco de estreia dos Helen, banda que Liz Harris integrou em 2015, e ainda o aclamado Ruins, de 2014, cujos temas resultaram de uma residência artística em Aljezur, no Algarve, promovida pela Zé dos Bois. Desde então, o percurso de Grouper seguiu-se apenas em dois curtos lançamentos, primeiro com Paradise Valley,  7'' editado no ano de 2016, e ainda "Children", canção que data do ano transacto.

"Parking Lot", uma bonita peça de piano e voz, é o primeiro avanço de Grid Of Points. Esta poderá ser escutada no link em baixo, onde encontrarão também a capa e tracklist do respetivo disco.






Grid of Points 


The Races
Parking Lot
Driving
Thanksgiving Song
Birthday Song
Blouse
Breathing
Coal Train

+

Dreamweapon, Ecstatic Vision e Igwana confirmados no Woodrock


Há mais três nomes no cartaz do Woodrock Festival: os portugueses Dreamweapon -  que apresentam o seu novo disco Sol, editado este ano pela Fuzz Club - os norte americanos Ecstatic Vision - que se apresentam em Portugal em concerto único, integrado na tour europeia, e por fim, Igwana - banda de Lisboa que explora paisagens sonoras de outros pontos do globo. 

Estes três nomes que juntam-se assim aos já confirmados Riding Pânico, Earth Drive, NU, Planet Of Jesus (Suécia), Fast Eddie Nelson (Portugal), Huanastone (Suécia) e Niña Coyote Eta Chico Tornado (Espanha). Num total serão 14 os artistas que se constituirão o line-up desta sexta edição de Festival Woodrock.


O Woodrock Festival acontece na Praia de Quiaios na Figuira da Foz  nos dias 19, 20 e 21 de julho. Os passes gerais têm até dia 31 de março, o valor de 21€00, data a partir da qual se fixam nos 24€ e podem ser adquiridos nos locais habituais e online em https://woodrock.bol.pt. Estes passes também garantem o acesso gratuito ao Parque de Campismo de Quiaios e a um desconto no acesso à Piscina de Quiaios.

+

FERE revelam detalhes de Montedor e nova música, Fundo


Após anunciarem o lançamento do seu primeiro disco, Montedor, os portugueses FERE desvendam agora a sua capa, tracklist e primeira amostra, "Fundo". Ao longo dos seus quase 7 minutos de duração, "Fundo" viaja por entre ambientes inicialmente serenos mas que rapidamente se revelam hostis, ao nos envolverem num abraço hipnótico e inescapável, devendo sem dúvida agradar a fãs de grupos do post-metal como Isis, Cult of Luna ou Pelican.



Gravado no Caos Armado EstúdioMontedor tem lançamento marcado para 20 de Março, pela Raging Planet, e a pre-order pode ser feita aqui. A artwork (do membro Jaime Manso) e a tracklist são as seguintes:




Montedor tracklist:
1. Bárbara
2. Fundo
3. Algae
4. Areia
5. Naufrágio
6. Pontus
7. Montedor

+

Numb.er anunciam disco de estreia


Depois de ter abandonado os Froth, Jeff Fribourg - conceituado fotógrafo e designer dentro da comunidade musical de Los Angeles - juntou-se a mais três companheiros para fazer florescer o seu amor pelos sintetizadores de camadas obscuras e dar à luz aos Numb.er. Com este novo projeto Fribourg explora completamente as suas inclinações musicais ecléticas, incutindo-lhes elementos do punk, shoegaze e post-punk, sem se comprometer com uma visão singular do mundo.

Agora, na casa Felte Records, o quarteto de Los Angeles anuncia aquele que será o registo de estreia da banda, intitulado de Goodbye e previsto para maio, que vê ser revelada a primeira faixa de avanço, "Again" - uma malha de post-punk rápido com uns tragos a garage-rock e muita energia à mistura, a ouvir abaixo.


Goodbye tem data de lançamento prevista para 25 de maio pelo selo Felte Records. Podem fazer pre-order do disco aqui.

Goodbye Tracklist:

01. Lude (I Need It) 
02. Father 
03. Numerical Depression 
04. State Lines 
05. A Memory Stained 
06. Hate 
07. The Black Bird 
08. Again 
09. We Hide

+

quarta-feira, 7 de março de 2018

Vodafone Paredes de Coura com mais quatro confirmações


Vodafone Paredes de Coura tem mais quatro novos nomes no seu cartaz: The Mystery Lights, Shame, Japanese Breakfast e  Confidence Man. Os britânicos Shame, de regresso ao nosso país após uma passagem pelo Milhões de Festa, lançaram este ano o álbum Songs of Praise, do qual nós fizemos uma review. O festival também conta com Big ThiefFleet Foxes…And You Will Know Us By The Trail of DeadCurtis Harding, SkeptaArcade Fire e The Blaze.

festival decorre de 15 a 18 de agosto na praia fluvial do Taboão. Os passes gerais estão à venda por 100 euros.

+

thisquietarmy em dose tripla por Portugal


thisquietarmy, o projecto do músico canadiano Eric Quach que já conta na bagagem com mais de 30 trabalhos, entre álbuns, EP’s e inúmeras colaborações, está de regresso ao nosso país para três datas que têm arranque já nesta sexta-feira (9 de março). O artista cuja música deambula entre o drone improvisado na sua guitarra e géneros como ambient/noise, electronic/shoegaze, post-punk/krautrock, black/doom metal, toca assim a 9 de março em Viana do Castelo no Cave Avenida, a 11 de março no Porto, Woodstock 69 Rock Bar e a 14 de março, no Sabotage Club, em Lisboa. 

Estes concertos estão incluídos na Eurasian Tour onde deverão ser apresentados os discos Democracy (2017) e Métamorphose (2017) e é prometida uma gama ampla de paisagens que oscilam da beleza do minimalismo sonhador e repetitivo ao sufocamento causado por ruidosas camadas sónicas e beats industriais. 


Datas thisquietarmy Portugal:

09 de março - Cave Avenida, Viana do Castelo | 22h00  
11 de março - Woodstock 69 Rock Bar, Porto | 17h30 | Entrada livre c/donativo
14 de março - Sabotage Club, Lisboa | 22h30 | 6€


+

A spoken-word de Lydia Lunch em data única no Sabotage


Lydia Lunch sempre foi uma autodidata e acima de tudo uma revolucionária. Considerada a rainha da no wave, movimento artístico underground que nasceu na década de 70 em Nova Iorque, Lydia Lunch não se deixa empacotar apenas no campo da música. A escrita, essencialmente na área da poesia, a fotografia, o cinema e a spoken-word são várias das artes que preenchem o currículo da artista que já colaborou com figuras e projetos de renome como Nick Cave, Sonic Youth, Einstürzende Neubauten e Michael Gira

Depois de ter passado em data única na edição de 2017 do Festival Forte, a artista estado-unidense atua agora no próximo dia 17 de março no Sabotage Club, acompanhada pelo produtor e percussionista Weasel Walter, para apresentar os discos Urge To Kill (2015) e Brutal Measures (2016), num concerto agendado para as 22h30.


O concerto de Lydia Lunch terá abertura do duo franco-italiano pUTAN cLUB, uma unidade de resistência, distinguida por uma forma de ação próxima às primeiras conspirações dos partidários europeus, durante a última guerra mundial. As entradas têm um preço de 15€ em pré-venda e de 18€ no próprio dia. Todas as informações adicionais podem ser encontradas aqui.


+

STREAM: Ruby My Dear - Brame (Piano Version)


O novo disco de Ruby My Dear, Brame, está-se a tornar cada vez mais num dos discos relevantes do ano 2018, além de representar definitivamente um marco na carreira do produtor francês, a chegar cinco anos depois de Form (2013) e quatro depois do EP colaborativo com Igorrr, Maigre (2014). Ao trabalhar com conceituados artistas como Gautier Serre (Igorrr, Corpo-Mente), Laure Le Prunenec (Igorrr, Corpo-Mente, Rïcïnn, Öxxö Xööx), Anthony Miranda (Corpo-Mente, Pryapisme), Jules Ribis (Sec), MC Noia e Emilie Chick, Ruby My Dear posiciona-se num lugar muito especial da música onde se mistura o breakcore com barroco, música clássica, ópera e outros elementos divergentes.

Agora, cerca de um mês depois da edição de Brame, Ruby My Dear vem partilhar o amor com o mundo através da versão em piano de cinco das músicas originais que compõem o disco, "Croque Monsieur A Disneyland", "Gaviscon", "Histoires Naturelles", "Clinpf Eepfwoof" e "Charade", que podem ser descarregadas gratuitamente através da plataforma bandcamp, acedendo aqui

Se Brame era um álbum belo de composições caóticas, Brame (Piano Version) inclui as melodias mais tímidas, conjugadas numa beleza e amor muito especialis, a que Ruby My Dear ainda não nos tinha habituado. Se ainda havia dúvidas, Brame (Piano Version) vem tirar todas e colocar Ruby My Dear num lugar de destque na música alternativa. Um daqueles álbuns de composições simples, mas enormes, para ouvir vezes sem conta.


+

Cartaz do Festival Tremor fechado


Está fechado o cartaz para a quinta edição do Tremor. Mais de 40 concertos, cerca de dez residências artísticas, diversas actividades paralelas e um ciclo de conversas orientadas pela plataforma The Creative Independent farão da ilha de São Miguel o epicentro para uma experiência que, partindo da música, desafia visitantes e locais a descobrirem algumas das mais recentes tendências criativas, em relação directa e próxima com a comunidade e o território. 

No que toca a concertos, nomes como Mykki Blanco, Boogarins, Liima, Aisha Devi, Mdou Moctar ou 10 000 Russos irão dar vida à ilha açoriana. No trabalho desenvolvido com a comunidade, o fotógrafo Daniel Blaufuks apresenta o filme Levantados do Chão, musicado pela Banda Lira Sete Cidades

Os músicos Rafael Carvalho e FLiP redescobrem novos espaços para a viola da terra; o colectivo ondamarela une-se à Associação de Surdos da Ilha de São Miguel e a músicos locais para criar Som Sim Zero. A fotógrafa Pauliana Valente Pimentel inaugura a exposição O Narcisismo das Pequenas Diferenças; Renato Cruz Santos e Duarte Ferreira, durante o festival, documentam a experiência através de som e imagem para dar vida ao trabalho multimédia O Lugar da Paisagem; e O Gringo Sou EU junta-se, num espectáculo ínédito, à Escola de Música de Rabo de Peixe, como em edições antigas bandas que passaram pelo festival tiveram oportunidade de o fazer. 

Para os mais novos, estreia Acalanto, do colectivo PELE, uma performance intergeracional com grávidas, séniores e crianças; e Impromptu, um jogo que envolve todos os presentes numa orquestra, sem ensaios e com músicos de todos os cantos da sala. 


Entre os dias 20 e 24 de março, serão várias as razões para percorrer São Miguel e descobrir a singularidade criativa da maior ilha dos Açores. Os bilhetes para o festival açoriano estão disponíveis por 35 euros na Bilheteira Online, FNAC, Worten, CTT, El Corte Inglés, La Bamba, A Tasca, Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas e nos restantes pontos de venda aderentes.

+

Beach House regressam a Portugal com novo álbum, 7


Os americanos Beach House vão regressar a Portugal no próximo mês de setembro pelas mãos da RITMOS, atuando no dia 25 no Coliseu de Lisboa e no dia seguinte no Teatro Sá da Bandeira, no Porto. Os americanos trarão na bagagem o seu novo disco, intitulado 7, que contará com colaborações de Sonic Boom (Spacemen 3) e James Barone. Os bilhetes têm o custo de 28€ e estarão disponíveis a partir da próxima sexta-feira, dia 9, em bol.pt e nos restantes locais habituais (FNAC, Worten, CTT, El Corte Inglês, etc.).

Além da anteriormente revelada “Lemon Glow”, os Beach House lançaram também “Dive", que podem ouvir em baixo.


7 será lançado a 11 de maio pelas editoras Sub Pop, Bella Union e Mistletone (pre order aqui), e terá a seguinte artwork e tracklist:


7 tracklist:
1. Dark Spring
2. Pay No Mind
3. Lemon Glow
4. L’Inconnue
5. Drunk in LA
6. Dive
7. Black Car
8. Lose Your Smile
9. Woo
10. Girl of the Year
11. Last Ride​

+

Damien Jurado anuncia novo álbum, The Horizon Just Laughed

Photo by Lindsey Barnes
Damien Jurado vai editar um novo trabalho discográfico este ano, sucedendo a Visions of Us on the Land (2016), álbum que nos levou a vê-lo no Musicbox em 2016. The Horizon Just Laughed chega às lojas a 4 de maio com o selo da Secretly Canadian.  


Tal como em álbuns anteriores, The Horizon Just Laughed começou com um sonho. No entanto, este trabalho não segue o mesmo registo dos anteriores, tendo sido produzido pelo próprio pela primeira vez numa carreira que já conta com mais de 20 anos. Damien vai mais longe e arrisca-se a dizer que The Horizon Just Laughed é mais pessoal e enraizado que a sua trilogia Maraqopa, como se depois de tanto tempo na estrada ele estivesse preso a casa.

Gravado no Sonikwire Studio, Califórnia, entre fevereiro e abril de 2017, por Alex Bush, The Horizon Just Laughed conta com 11 faixas no seu alinhamento. “Over Rainbows and Rainier” é o primeiro single de The Horizon Just Laughed e tem direito a um trabalho audiovisual realizado por Jordan Halland. 

+

terça-feira, 6 de março de 2018

Jon Hopkins anuncia novo álbum, Singularity, partilha primeiro single

Steve Gullick
O músico e produtor britânico Jon Hopkins anunciou hoje o seu regresso às edições. Singularity é o título do aguardado sucessor de Immunity, de 2013, e volta a receber o selo da Domino Records. A data prevista para o lançamento deste novo trabalho de Hopkins está marcada para dia 4 de maio, e o primeiro avanço já é conhecido. "Emerald Rush" é o primeiro tema a ser revelado e vem acompanho de um clip animado de Robert Hunter e Elliot Dear que poderão averiguar em baixo, assim como a capa e respetiva tracklist do disco. 

No verão, Jon Hopkins embarca numa tour europeia, não constando ainda nenhuma data marcada para o nosso país.





Singularity


Singularity
Emerald Rush 
Neon Pattern Drum 
Everything Connected 
Feel First Life 
C O S M 
Echo Dissolve 
Luminous Beings 
Recovery

+

FAN, projeto de Meric Long dos The Dodos, com álbum de estreia, Barton’s Den



Conhecido pelo seu trabalho nos americanos The Dodos, Meric Long acaba de anunciar o lançamento do primeiro disco de FAN, o seu novo projeto que surgiu após uma pausa dos The Dodos, devido ao falecimento do pai de Meric e ao nascimento do seu primeiro filho.

Intitulado de Barton’s Den, derivado da garagem de Meric em Oakland onde algumas das sessões de gravação ocorreram, o álbum teve origem em dois sintetizadores herdados do seu pai, distanciando-se assim do seu estilo de composição habitual nos The Dodos, onde é guitarrista e vocalista. As paisagens eletrónicas de Barton’s Den foram influenciadas por bandas sonora da Nintendo, Devo, Prince e Brian Eno, e em baixo podem ouvir a composição de abertura do disco, “Bob1”.


Barton’s Den tem lançamento marcado para 4 de maio pela Polyvinyl (podendo fazer-se pre-order aqui) com a seguinte artwork e tracklist:


Barton’s Den tracklist:
1. Bob1
2. Fire
3. Intro of Light
4. What a Mistake
5. Gorgoroth
6. Since I Found You
7. Isn’t Love
8. Bob2
9. Velour
10. OMD

+