sábado, 23 de junho de 2018

Zanibar Aliens e Solar Corona em Torres Vedras


Os portugueses Zanibar Aliens e Solar Corona vão a Torres Vedras no próximo dia 7 de julho, para um concerto na Bang Venue. Os primeiros irão apresentar músicas antigas e músicas novas, como "I am the USA" e "As Long As I Get To See You", enquanto que os segundos vão levar uma dose de rock instrumental que também tiveram a oportunidade de tocar no NOS Primavera Sound

Os bilhetes estão à venda por 7€, mas o custo sobe para 10€ à porta.

+

Psych Out: o rock psicadélico engole o A.C. Mercado Negro


Na senda dos concertos produzidos entre a Tago Mago e a Covil, o A.C. Mercado Negro volta a receber uma noite de rock com a pestana aberta ao 'underground'. Em noite de S. João, Aveiro troca as sardinhas pelos riffs que os Kyuss nos ensinaram, com a estreia dos Fuzzil na cidade dos canais. Na estrada a apresentar o seu 2º EP, a banda de Alcobaça chega a Aveiro numa 'vibe' assumidamente 'stoner' com traços de 'desert-rock' e psicadelia ali pelo meio. 


Um concerto potente, equilibrado pela estreia dos Razzmatazz. Invocando o nome da mítica sala de concertos de Barcelona, o quinteto de Águeda estreia-se na capital de distrito depois de lançar um EP que deve ser dos segredos mais bem guardados da Beira Litoral. Numa onda que navega entre as cordas de Carlos Santana e o psicadelismo europeu (Colour Haze ou Causa Sui), os Razzmatazz apresentam uma viagem instrumental bastante versátil sem deixar de ter o rock como base. 



Uma noite de descobertas, em dia de São João. Os bilhetes têm um preço de 6€ à porta. Todas as informações podem ser encontradas aqui.


+

sexta-feira, 22 de junho de 2018

STREAM: Lumerians - Call Of The Void


Nos seus doze anos de carreira os Lumerians tornaram-se uma força prodigiosa nos reinos extra-terrestres da música rock experimental. Desde sua formação em São Francisco em 2006, a banda percorreu vários géneros diferentes - oferecendo aventuras alucinantes desde o space-rock, kraut, noise, zamrock, free jazz, drone e dub. A partir de uma gama de influências, tanto familiares quanto esotéricas, do passado e do presente, os Lumerians evocam sons de longe no futuro. Agora a banda da Califórnia regressa com o novo Call Of The Void, disco eclético e multifacetado que volta a mostrar a sua diversidade na exploração de diversas paisagen sonoras. 

Nas palavras do vocalista Jason Miller "Call of the Void é uma exploração penetrante da Terra através de um olhar alienígena e nativo - o peso da gravidade, a acumulação de poluição e sedimentos, experiências de folia extática e tragédia." Do disco já tinham anteriormente sido divugados os temas "Silver Trash" e "Space Curse". Recomendam-se ainda a audição de temas como  "Masters Call" e "Clock Spell".

Call Of The Void é editado esta sexta-feira pelo selo Fuzz Club Records.


+

Deer - "Alive" (video) [Threshold Premiere]


Deer continue to promote their latest EP, Portraits, and today they are releasing a new music video for the single "Alive" that is a story about how alive one can really feel. Through the synthesizers of Miguel Bastida and the chameleon voice of Adriana Falcón - that starts with a really melancholic and also cute beginning, then suddenly it becomes really powerful - Deer question us about thematics such as suicide, depression and the constant circle of thoughts about existence itself. The director Holly James wonders "Can an inanimate object, such as a rock, feel alive?" through the video for "Alive", which can now be seen below. 

The sound of Portraits glides from nostalgic to dramatic moments, all dressed with the strident electronic layers and the glimpse of string sections. The record is a series of imaginary stories that emerge from the Mexican duo experience as Hong Kong residents. 

Portraits was released on March 9th, in self-release format and you can stream/buy the album here.


+

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Motorama anunciam novo álbum, Many Nights


Os Motorama vão regressar aos discos em setembro com o sucessor de Dialogues (2016), disco que terá o nome de Many Nights e que segue, para já, sem nenhum tema de avanço. O anúncio foi dado pela banda através de um post na sua página de Facebook onde se encontra divulgado o teaser do novo disco com filmagens dos elementos da banda  ora em paisagens colossalmente belas da natureza ora em viagens aborrecidas em meio urbano, ora em estúdio. Por trás, uma música minimalista ainda com pouco por dizer sobre o que se esperar deste novo registo.

Desde o seu primeiro EP autoproduzido Horse (2008) os russos Motorama têm construído a sua própria maneira melodiosa de produzir músicas com as texturas do post-punk, mas foi a partir de Alps (2010) que a banda alcançou renome internacional com temas como "Wind In Her Hair", "Empty Bed"  ou "One Moment" a tornarem-se hits de carreira. Seguiu-se Calendar (2012), o primeiro disco dos Motorama a ser lançado por uma editora e, mais tarde, Poverty (2015) e Dialogues (2016) que os trouxeram inúmeras vezes a Portugal.

Many Nights tem data de lançamento prevista para 21 de setembro pelo selo Talitres Records.


+

Reportagem: Conan Osiris [Maus Hábitos, Porto]


Faltavam poucos dias para o iniciar de 2018 quando Conan Osiris surpreendeu tudo e todos com uma receita inesperada de pastelaria. Adoro Bolos, o terceiro álbum do músico e produtor lisboeta pela AVNL Records, tornou-se no disco mais badalado e infame dos últimos meses, dividindo crítica e público num debate interminável sobre a legitimidade ou não de um disco que soa tão alienígena como familiar. Desde então multiplicam-se as entrevistas, concertos e performances em canais televisivos. 

O autor de “Borrego” marcou a sua estreia na Invicta no dia 14 de junho, quinta-feira, no quarto andar mais famoso da cidade. Foi com o supracitado tema que Osiris iniciou a noite, antecedido apenas por um breve momento a capella ao estilo de “Beija-Flor”. A partir daí o concerto desenrolaria pelos restantes temas que marcam o intrigante Adoro Bolos (de fora ficou apenas “Obrigado”). O ambiente era claramente festivo, com um público em êxtase para receber um dos fenómenos mais urgentes que a música portuguesa assistiu nos últimos tempos. “Eu não vos mereço” dizia o músico lisboeta, surpreso pela recepção calorosa com que foi recebido nesta segunda atuação exclusivamente sua (a primeira decorreu em maio, no Theatro Circo, até lá tinha aberto para outros artistas como Linn da Quebrada). Ao lado de João Reis Moreira, que o acompanhou com os seus paços de dança sui generis, Conan Osiris explorou o lado risível e descomprometido dos temas do seu mais recente disco, equilibrando-os com a melancolia e comoção de “Barcos (Barcos)” e “Ein Engel”, que tem vindo a receber um tratamento mais angelical e lunar nas suas últimas performances. 




A restante discografia de Conan Osiris não escaparia ao alinhamento da noite, com “Coruja” e “1ovni” a representarem os únicos temas de Música, Normal, que ouviríamos durante a noite. A recepção foi, mais uma vez, calorosa, com boa parte da plateia a acompanhar os temas de uma ponta à outra. A segunda, pelo seu instrumental caótico e efusivo, transportou-nos para a euforia de uma noite de verão bem passada ao volante de um carrinho de choque. O ritmo frenético aumentaria com a chegada das icónicas “Celulitite” e da faixa que dá título ao seu mais recente disco, culminando o alinhamento com “59 Estrelas”, tema de Sreya e do seu álbum Emocional, produzido pelo próprio Osiris. Instrumental pujante e lírica descomprometida remetem-nos para as imagens de um teledisco dos Santamaria, ou de um João Baião hiperativo no saudoso 'Big Show Sic'. Por fim, pedia-se o regresso de Conan Osiris para o tão aguardado momento que foi “Amália”, 90 segundos de puro deleite e tristeza em homenagem à figura que melhor soube cantar o choro e a o fado português. 



Numa noite onde o riso e o choro coabitaram em união, sobressaiu acima de tudo o amor nutrido por um culto em ascensão. Alguns apontam a sua música como inovadora, alienígena ou produto do futuro, mas o seu trabalho é, na verdade, um reflexo do presente. Viver cada dia como se não existisse amanhã é um dos seus lemas, onde o trágico e o apocalipse são uma constante. A sua música é para ser sentida, e foi isso mesmo que pudemos comprovar nesta noite memorável de junho. 


Conan Osiris [Maus Hábitos, Porto]

+

Kælan Mikla reeditam Mánadans em vinil e CD


As Kælan Mikla começaram em 2013, quando ganharam um concurso de poesia da biblioteca de Reykjavik. Desde então o trio islandês viajou pelo mundo depois da edição do disco homónimo Kælan Mikla (Fabrika Records, 2016) que as trouxe até Portugal na abertura do concerto de Drab Majesty. Contudo antes do lançamento deste disco homónimo que levou as Kælan Mikla às bocas do mundo, no verão de 2014, antes dos sintetizadores, de qualquer instrumento eletrónico externo,  do baixo, da bateria e do punk, Alison MacNeil gravou o primeiro disco da banda Mánadans, que foi lançado oficialmente em 2017, em formato cassete.

Um ano depois, e com uma tour colaborativa com King Dude agendada para os meses de setembro e outubro, o trio islandês de darkwave/post-punk/synth-punk reedita agora o primeiro LP da carreira Mánadans para os formatos vinil e CD, podendo ser adquirido em pre-order através deste link. Esta reedição traz também dois novos temas, "Reykjavík til staðar" e a demo da famosa "Kalt".


A nova reedição de Mánadans tem data de lançamento agendada para 3 de agosto.

Mánadans Tracklist:

01. Lítil Dýr 
02. Næturdætur 
03. Mánadans 
04. Umskiptingur 
05. Yndisdráttur 
06. Ekkert nema ég 
07. Ástarljóð 
08. Ætli það sé óhollt að láta sig dreyma 
09. Reykjavík til staðar 
10. Kalt (Demo)

+

Milhões de Festa regressa agora em setembro


Este ano o Milhões de Festa é em setembro. Dez edições depois de se ter assumido como espaço essencial para a descoberta da mais interessante produção contemporânea dos quatro cantos do globo, o Milhões de Festa vai reinventar-se. 

Deslocando-se para fora do período tradicional dos festivais de Verão portugueses e depois de alguma dúvida sobre a existência da edição deste ano, o evento experimentará novas formas configurar o programa, abraçando a cidade que o acolhe de um modo diferente. Haverá novas propostas programáticas que, no fim-de-semana do festival, procurarão criar uma maior proximidade entre o público e os artistas, testando conceitos como a participação e a criação de experiências. 

O festival acontece entre 6 e 9 de setembro em Barcelos. A programação será anunciada nas próximas semanas, juntamente com os bilhetes.


+

Mogwai anunciam lançamento de KIN: Original Motion Picture Soundtrack


Os Mogwai anunciaram hoje o lançamento de KIN: Original Motion Picture Soundtrack, que será lançado em CD, vinil e digitalmente a 31 de Agosto. Já antes os Mogwai tinham apresentado a faixa "Donuts" e hoje apresentam "We're Not Done (End Title)", a faixa final da banda sonora.

KIN é um filme realizado por Jonathan e Josh Baker que conta com atores como James Franco, Jack Reynor, Zoë Kravitz, Carrie Coon e Dennis Quaid.





+

Aviaries lançam novo single, "Deaden Me"

© Rafal Wekiera
Os polacos Aviaries estão de regresso aos discos de estúdio com There Is Nothing To Defend, álbum que segue ainda sem data de lançamento anunciada e que vem dar sucessão ao homónimo Aviaries (Requiem Records, 2016). "Deaden Me" é a primeira extração deste novo trabalho e também a primeira música da banda em dois anos que aborda a temática dos vícios, a sensação da perda de amor e a consequente autodestruição. "Deaden Me" vem ainda acompanhada por um videoclip dirigido por Mark Magick e Rafał Wekiera que explica melhor esta temática e que pode ser visto abaixo.

Os Aviaries nasceram em 2014 como o berço de ideias de quatro mentes musicalmente diferentes - Marcin Cieślak, Krzysztof Młyńczak, Mark Magick e Bartłomiej KaliszO espectro do seu som é ampliado, intercalando camadas de sintetizador escuras e poderosas a guitarras fervorosas a arrastadas, numa sonoridade que oscila entre o post-rockshoegaze e post-punk. O novo tema "Deaden Me" é só uma pequena amostra do que este quarteto polaco nos reserva mas podem aproveitar para descobrir a restante discografia aqui.



+

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Há festa de verão no Anjos70 esta sexta-feira


É na próxima sexta-feira que a Spring Toast, a Revolve e a Colado vão-se juntar para dar as boas vindas ao verão que tanto esperávamos. Sun Blossoms, Chinaskee & Os Camponeses e Co$tanza foram as "colheitas" escolhidas para este evento, e nada melhor para celebrar a chegada do sol do que o lançamento de novos registos destas bandas. Co$tanza vai apresentar o seu EP de estreia 1 Ano de Celibato, 100 Kali Uchis, e podem ouvir a primeira faixa deste projecto aqui. Chinaskee & Os Camponeses vão editar e apresentar o EP Metro e Meio também neste dia, estando depois disponível para audição nas plataformas habituais. E por fim (mas não por último), Alexandre Fernandes alem de actuar como BRONZE nessa tarde, vai também apresentar o seu novo EP como Sun Blossoms intitulado Cruising, que podem ouvir em baixo.

 

Este evento batizado com o nome Colheita de Verão irá acontecer no dia 22 de junho pelas 17 horas no Anjos70, com o preço dos bilhetes a custar 4 euros. Podem ver os horários das actuações aqui.


+

Dreamweapon de regresso aos concertos


Depois de uma tour europeia que durou cerca de 3 meses, o duo portuense dreamweapon vai dar o seu primeiro concerto em solos nacionais no centro histórico de Guimarães.
Apresentando-se agora como um duo, dreamweapon é constituído por André Couto (baixo, voz, loops) e Edgar Moreira (guitarra, voz, synth, loops). 

A sua presença no panorama alternativo português teve inicio em 2013 e desde então já pisaram palcos nacionais e internacionais como o Milhões de Festa, Lisbon Psych Fest, Sonic Blast Moledo, Serralves em Festa, Zigurfest, Reverence Valada e Liverpool Psych FestEste ano lançaram o seu mais recente disco "SOL", gravado pela conceituada editora Fuzz Club Records apenas num take.

O concerto irá decorrer no pub Oub'Lá no dia 30 de junho e irá ter entrada livre. Todas as informações adicionais podem ser encontradas aqui.

+

RENDEZ-VOUS lançam disco de estreia em outubro


Os parisienses RENDEZ-VOUS vão editar este ano o seu muito aguardado disco de estreia que se deverá chamar Double Zero e tem data de lançamento prevista para o mês de outubro. Este novo disco vem dar sucessão aos bastantes aclamados EP's Rendez-Vous (2014) e Distance (2016) e já podem ouvir o primeiro single de avanço, o homónimo "Double Zero", que foi disponibilizado esta quarta-feira (20 de junho) juntamente com um trabalho audiovisual a consultar abaixo.

Os RENDEZ-VOUS formaram-se em 2012 e são atualmente um quarteto constituído por Francis Mallari, Elliot Berthault, Maxime Gendre e Simon Dubourgque. A banda francesa tem ganho destaque internacional maioritariamente devido à sua comunicação agressiva e violenta. O novo vídeo para "Double Zero" mantem essa tendência e musicalmente apresenta uma sonoridade que será do agrado dos fãs de The Soft Moon.




+

Helena Hauff anuncia novo álbum, Qualm

Vitali Gelwich
Helena Hauff vai voltar às edições em 2018. Qualm é o segundo álbum da produtora alemã que vem dar sucessão a Discreet Music, que marcou a sua estreia nos longa-duração em 2015, pela Werkdiscs de Actress. Segundo a própria alemã, Qualm promete ser cru e sem tréguas, tentando criar algo poderoso sem o auxílio de muitos instrumentos e camadas. "Qualm" e "No Qualm", os dois temas de avanço do álbum, trazem uma abordagem mais synth em relação ao minimalismo electro dos seus anteriores trabalhos, e podem ser encontrados em baixo juntamente com a capa e tracklist do respetivo álbum.



Qualm sai dia 3 de agosto via Ninja Tune.


Tracklist:

01. Barrow Boot Boys
02. Lifestyle Guru 
03. btdr-revisited
04. Entropy Created You And Me 05. Fag Butts In The Fire Bucket
06. Hyper-Intelligent Genetically Enriched Cyborg
07. The Smell Of Suds And Steel 08. Primordial Sludge
09. Qualm
10. No Qualms
11. Panegyric
12. It Was All Fields Around Here When I Was A Kid

+

terça-feira, 19 de junho de 2018

Paredes de Coura com cartaz fechado


Foram anunciados os últimos nomes para o cartaz do Vodafone Paredes de CouraLauer, Young Marco e os DIIV de Zachary Cole Smith, que finalmente regressam a Portugal.

O cartaz conta também com artistas como Arcade FireSlowdiveKing Gizzard & the Lizard WizardFrankie CosmosFleet Foxes e Big Thief. A 26ª edição do festival decorre de 15 a 18 de agosto na Praia Fluvial do Taboão e bilhetes gerais encontram-se à venda por 100 euros. Os bilhetes diários começam a ser vendidos amanhã às 10h.

+

O ZigurFest tem cinco novas confirmações


O sol já vai alto, o calor já aperta e o ZigurFest está de volta a Lamego de 29 de Agosto a 1 de Setembro. As primeiras grandes novidades são que pela primeira vez em oito anos de história do festival, o festival será totalmente gratuito e com parque de campismo ​providenciado pela Câmara Municipal e ​disponível para todos os que quiserem vir descobrir a nova música portuguesa em Lamego.​ No entanto, a lotação do parque de campismo 
oficial do ZigurFest é limitada. Por isso,​ é necessária uma inscrição prévia aqui.​

Porém, as novidades não ficam por aqui, e ao line-up já anunciado que incluía David BrunoMoon Preachers e Bardino, junta​m​-se agora: o pop-punk de Vaiapraia e as Rainhas do Baile; a "música de pancada" de Scúru Fitchádu; a motrik incessante das Savage Ohms; a house onírica dos Terra Chã; e a ferocidade noise-rock deste empreendimento portuense que dá pelo nome Sereias.

O restante line-up e todas novidades sobre a edição de 2018 serão anunciadas nos início de Julho em conferência de imprensa no Porto e a Threshold Magazine vai marcar presença.






+

STREAM: Marble Slave - Surveillance EP


Marble Slave, projeto a solo de synthwave / minimal wave sediado em Paris, está de regresso às edições de estúdio com um novo EP, intitulado de Surveillance, o primeiro registo do produtor sob o selo Synth Religion (que já lançou trabalhos de artistas como Hante., Box and The Twins, Dark Door, entre outros) e que nasce de várias noites sem dormir e sentimentos nunca ditos. Marble Slave projeta agora essas sensações nas suas músicas e o resultado são quatro canções eletrónicas que exploram narrativas que vão da synthpop nostálgica à nova onda sonhadora.

Além das quatro canções este EP conta ainda com remixes para as faixas "Where Sad Boys Go Dancing", com carimbo do produtor Fragrance. e "Surveillance" com assinatura de Hante.  Em Surveillance encontramos canções que nos levam aos territórios de artistas como TWINS (ouvir por exemplo "Where Sad Boys Go Dancing" e "Surveillance"), She Past Away ("Poison") ou Black Nail Cabaret e Fragrance., como é o caso do tema "Falling". O EP pode ser ouvido na íntegra abaixo.

Surveillance é editado esta terça-feira (19 de junho) pelo selo Synth Religion, estando disponível nos formatos cassete e CD aqui.




+

Fuzzil anunciam live session e tour de verão


A banda de Alcobaça, Fuzzil, irá lançar um album de gravações ao vivo no dia 1 de julho intitulado "Holy Woods Balcony". Este álbum é referente ao concerto que a banda realizou no dia 26 de abril do presente ano na varanda da Escola Superior de Artes e Design, nas Caldas da Rainha.

Depois de dois EP's, "Boiling Pot" e "Molten (PI)", a banda de stoner que está a preparar a estreia do seu primeiro álbum de longa duração, aproveitou também para anunciar uma tour de verão com concertos que vão cobrir um pouco de todo o território nacional e, inclusive, duas datas em Espanha.

O concerto que irá marcar a estreia desta tour vai ser realizado dia 22 de junho no Carpe Diem em Santo Tirso. As restantes datas podem ser consultadas abaixo.

+

STREAM: LUMER - Blood on Suits EP

Os post-punkers LUMER estão de regresso às edições com o novíssimo EP Blood On Suits que  marca a estreia da banda na casa Hidden Bay Records e que vem dar sucessão ao EP de estreia homónimo LUMER (Warren Records, 2016). Se ainda não tiveram a oportunidade de ouvir o primeiro tema de avanço "Burn/Bleed", ou ainda não passaram os ouvidos pelo EP anterior aproveitamos para vos dar agora a conhecer a sonoridade intrigante dos LUMER que conjuga elementos da música punk, kraut e ainda algum shoegaze, como já tinha sido notório com o primeiro tema deste Blood on Suits, que certamente agradará aos fãs de bandas como Idles, Autobahn, Numb.er, ex-Viet Cong, entre outros. 

Neste novo curta duração e, mais que nunca, os LUMER apresentam-se como uma banda a ter em conta nos próximos tempos pela sua sonoridade essencialmente contagiante e pronta para ser ouvida bem suja e agressiva no formato ao vivo. Além do já lançado "Burn/Bleed" recomendamos fortemente a audição das restantes três faixas. O disco pode ser ouvido e comprado abaixo.

Blood On Suits EP foi editado na passada sexta-feira (15 de junho) pelo selo Hidden Bay Records.


+

A Last Day On Earth no Sabotage


Os A Last Day on Earth são uma banda de Leiria com 10 anos de existência com uma sonoridade com elementos de rock e metal. No próximo dia 22 de junho, sexta-feira, vão tocar no Sabotage Club, num evento que contará com abertura dos My Master the SunOs bilhetes estão disponíveis por 6€.

Podem ouvir o trabalho dos ALDoE aqui.


+

Conheçam a OTOOPO, a nova label de música eletrónica experimental


A OTOOPO é uma editora recém-nascida, sediada no Porto e que tem como objetivo principal a promoção de música eletrónica experimental. Criada por Tiago Tobias e Francisco Mendonça, nesta fase inicial a OTOOPO funciona como plataforma de lançamento e promoção para os trabalhos de FM Volt e Tiago Tobias - dois novos projetos musicais no panorama nacional que vos damos a conhecer pormenorizadamente em baixo - sendo que, num futuro próximo, a ambição passará por editar trabalhos de outros artistas nacionais e internacionais que se insiram na visão da editora.

O que está a OTOOPO a lançar?

Nascida no início de junho de 2018, as primeiras edições da OTOOPO - OPO (001) e TRIM (002) - surgiram na passada sexta-feira (15 de junho), apresentando um espaço dedicado à exploração de diversos estilos musicais, com base na eletrónica experimental, que vão do drone ao minimal com algumas influências da música concreta na sua génese. 

Além das versões digitais a OTOOPO também disponibiliza as suas edições em formato cassete.

Quem são os artistas do catálogo OTOOPO?

Para já são dois, ambos membros fundadores da record label e ambos com a particularidade de terem criado estes projetos no âmbito de Projeto Final de Mestrado de Design de Som na Escola das Artes da Universidade Católica do Porto.



Tiago Tobias


Tiago Tobias apresenta-se em nome próprio com a edição de OPO, um testemunho sonoro que nasce de um processo de adaptação proveniente de uma mudança geográfica para a cidade do Porto pela terceira vez, tendo também como ponto de referência as duas anteriores passagens e as fases que um processo destes exige. 

A partir de uma escuta atenta, foi construída uma narrativa musical linear usando apenas sons captados na cidade, procurando-se na composição, uma sonoridade abstrata e difusa, ancorada em técnicas de edição e manipulação da música concreta. 

Nas palavras do produtor:


Na altura em que tive que definir o projeto, cheguei então à conclusão que me identificava como uma espécie de “anomalia urbana”, no entanto sabia que essa sensação seria temporária. (...) Enquanto a minha relação para com o meu meio laboral/académico/urbano/social não estava ainda estabelecida, existiu uma sensação de alienação que me fez sentir uma “anomalia” perante a cidade, resultando numa instabilidade provisória que convidou a uma redefinição da minha própria identidade de forma a encaixar nesta “urbe” que é o Porto e que para lá chegar, foi preciso passar por essas fases. (...) OPO significa Porto nos código internacionais dos Aeroportos, e uma das razões para a escolha deste nome passa pela possibilidade de numa próxima mudança para uma nova cidade, poder aplicar este mesmo método de criação que desenvolvi com este projeto e criar outro testemunho sonoro, sendo que o nome do álbum será o código dessa cidade.

O resultado final, é uma espécie de viajem à cidade do Porto - que testemunha este tal processo de adaptação, através uma narrativa musical quase cinematográfica - uma viagem ao mundo da música eletrónica experimental e uma consequente exploração às influências de Tiago Tobias, que destaca William Basinski, Tim Hecker, Amon Tobin, Murcof, Gas, Ametsub, Boards of Canada e Clark. Podem entrar este admirável Porto novo ali abaixo.






FM VOLT


Francisco Mendonça apresenta-se sob o alter-ego FM Volt, num projeto que traz como principais influências nomes como Steve Reich, Jan Jelinek, Tim Hecker e Brian Eno. Apesar de produzir há cerca de três anos mais focado na componente da música eletrónica mais convencional, o primeiro resultado sonoro deste novo projeto FM Volt surge com Trim, uma composição no género ambiental e experimental que utiliza o minimalismo como ferramenta de desbloqueio criativo, como resultado da sobrecarga de possibilidades técnicas que um artista tem disponíveis na atualidade (programa ou ferramentas para utilizar, estilos inseridos, sítios para gravar, etc.).

Nas palavras do produtor: 


Este projeto é uma resposta a essa sobrecarga ao me limitar no material de origem assim como nas técnicas a utilizar. Essa limitação permitiu-me concentrar na música o mais possível e o resultado é uma composição minimalista que se foca mais na ambiência de cada faixa e não necessariamente em estruturas mais convencionais da música popular como funções harmónicas, estrutura da música, etc.

Podem ouvir este Trim na íntegra, abaixo.



Como posso fazer parte da editora?

Caso tenham interesse em fazer parte desta "família experimental" deverão entrar em contacto com a OTOOPO através do email: otoopolabel@gmail.com ou pela página oficial de Facebook.



+