terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Goldie passa pelo Lux Frágil em fevereiro


É uma das figuras incontornáveis da música jungle e drum & bass e passa pelo Lux Frágil no dia 20 de fevereiro. Clifford Joseph Price, isto é Goldie, tem o seu nome escrito nos manuais da música de dança e regressa ao clube lisboeta depois de lá ter atuado pela última vez em 1999.

Seja como produtor, DJ, ator ou artista plástico, Goldie conquistou o coração dos ingleses (foi condecorado Membro da Ordem do Império em 2016) e, enquanto cabecilha da Metalheadz, uma das editoras charneira da música jungle, definiu importantes coordenadas para o desenvolvimento do género.

Strictly Jungle Mix, um mix concedido à rádio americana WNUR em 1995, é talvez a melhor introdução ao universo de Goldie e um dos documentos que melhor comprova a capacidade seletiva do britânico. 

Os bilhetes encontram-se apenas disponíveis à porta do evento.

+

O Capote Fest regressa em março para a sua quinta edição


A 5ª edição do Capote Fest acontece de 5 a 7 de março de 2020 em Évora, integrando o Mês da Juventude da cidade.

O festival pretende ser uma montra de oferta artística musical com propostas de programação diferenciadoras que proporcionem descobertas musicais em território alentejano, com alto potencial de atracção e desenvolvimento de públicos, incentivando o surgimento de mais projectos, ao mesmo tempo que coloca Évora no roteiro dos festivais de música nacional. São nove bandas que marcam presença (cinco das quais são de Évora e região do Alentejo) nesta quinta edição do Capote Fest e a transportar as sonoridades da nova música portuguesa até Évora.

O Capote Fest arranca a 5 de março na Sociedade Harmonia Eborense com Cachapa X Dj Sims. A 6 e 7 de março as portas da SOIR abrem às 22h com concertos de Marvel Lima, Miss Lava, Uaninauei, Baleia Baleia Baleia, Pedaço Mau, Cancro, Thrashwall e semiCirco. No Sábado, 7 de março, após os concertos na SOIR, o festival continua no Pós-Capote, com o Dj Fatinch na discoteca Praxis Club.

O bilhete geral tem o preço de 10 € e o diário é de 7 €, sendo que os estudantes têm um desconto mediante a apresentação do cartão de estudante. Para consultar mais informações sobre o festival aqui.

+

A inocência dos Isolated Youth volta a contagiar Portugal no MONITOR


Menos de um ano após terem feito a sua estreia em Portugal na abertura para os concertos de ACTORS, os suecos Isolated Youth regressam para mostrar o seu poder emancipado e sensibilidade de excelência. A banda que se estreou nos EP's o ano passado com Warfare - uma das mais bonitas obras de arte que o post-punk contemporâneo se pode orgulhado de ter recebido nas últimas décadas - volta ao país para contagiar as almas apaixonadas e, quem sabe, conquistar novos corações.

A banda formada por William Mårdberg (guitarra), Axel Mårdberg (voz, guitarra), Egon Westberg Larsson (baixo) e Andreas Geidemark (bateria) toca em Portugal a 25 de abril na celebração do terceiro aniversário como banda. No novo concerto poderão ser ouvidas as músicas novas que já tivemos oportunidade de escutar em agosto e, possivelmente, novos temas a incorporar o disco de estreia, como é o caso de "Voodoo". Um concerto absolutamente imperdível.


Os suecos ISOLATED YOUTH encerram assim o cartaz da quinta edição do festival MONITOR 2020 juntando-se aos franceses BRACCO, os norte-americanos HIDE, o suíço PYRIT, os belgas SKEMER e aos alemães RUE OBERKAMPF. Os referidos projetos atuarão a 25 de abril na Stereogun em Leiria. Os bilhetes já estão disponíveis para venda por um preço promocional de 30€ até à próxima sexta-feira 31 de janeiro, data a partir do qual passam a custar 35€. Todas as informações adicionais podem encontrar-se aqui.

+

Jethro Tull no South Sound Arts Festival

jethro-tull-south-sound-arts-festival

A banda de culto britânica Jethro Tull, no contexto da tour a celebrar os 50 anos da banda, foi recentemente anunciada como parte integrante do cartaz do South Sound Arts Festival, um festival direcionado para um ambiente mais familiar e que conta com intervenções em várias áreas artísticas interligadas que irá tomar lugar dos dias 9 a 14 de junho no Algarve.

A banda de Ian Anderson, que se tornou icónica por cruzar géneros como o rock progressivo, o folk, o blues e o hard rockdestacando-se no espectro musical com as passagens de flauta e letras cheias de alegorias presentes em álbuns clássicos como Aqualung e Thick as a Brick, irá tocar ao vivo na Marina de Albufeira no dia 12 de junho. Não se sabe ainda detalhes sobre horários e vendas de bilhetes.

+

Estreia de Chico Bernardes em Portugal acontece já esta semana


Chico Bernardes inicia a digressão de 10 datas em terras lusas já na próxima quinta-feira, dia 30 de janeiro. O primeiro concerto tem lugar na região centro de Portugal, em Leiria. Seguem-se Alcobaça, Sabrosa, Guimarães, Lisboa, Aveiro, Porto, Barcelos, Ovar e, a 9 de fevereiro, é em Coimbra que se despede de Portugal. Ao todo, o cantautor marca presença em 7 distritos do país. 

Conhecido pelas suas letras profundas e melodias de caráter sentimental e introspetivo, o cantautor brasileiro apresenta-se em palco apenas com a sua voz e uma guitarra. O seu registo folk é inspirado quer por nomes como Joni Mitchell e Bob Dylan, quer por referências da música tradicional brasileira. 

Irmão mais novo de Tim Bernardes (O Terno), e filho do célebre músico Maurício Pereira, Chico Bernardes promete não ficar atrás do sucesso que lhe corre no sangue. Com apenas 20 anos, lançou em 2019 o seu primeiro álbum intitulado Chico Bernardes, pela editora brasileira Risco - casa de artistas de renome como Maria Beraldo, O Terno, Ana Frango Eléctrico e Sessa.

De seguida encontram-se todas as datas da sua tour por terras lusas.

30 de janeiro || Leiria || Atlas Hostel
31 de janeiro || Alcobaça || Ossos do Ofício
1 de fevereiro || Sabrosa || Novas Canções da Montanha
2 de fevereiro || Guimarães || 20 Arautos
4 de fevereiro || Lisboa || MusicBox
5 de fevereiro || Aveiro || Avenida Café-Concerto
6 de fevereiro || Porto || Maus Hábitos
7 de fevereiro || Barcelos || Theatro Gil Vicente
8 de fevereiro || Ovar || Azulejo
9 de fevereiro || Coimbra || Galeria Santa Clara


+

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Explosions in the Sky em Portugal - 20th Anniversary Tour


Para celebrar 20 anos de carreira, a banda texana está em digressão desde setembro, passando pelo nosso país para um concerto exclusivo, na Aula Magna, já no próximo sábado, dia 1 de fevereiro, com chancela da Everything is New.

Formada em 1999, Explosions in the Sky é uma das bandas mais influentes de post-rock, um género de rock experimental, maioritariamente instrumental, com composições emocionais com grande enfoque na dinâmica e nos crescendos da música, como se de uma “supernova” se tratasse. A última vez que estiveram em Portugal foi em 2016, ano em que lançaram o seu último álbum de originais, The Wilderness, o sexto da sua discografia.

Com sala esgotada, espera-se do quarteto de Austin, formado por Mark Smith (guitarra), Chris Hrasky (bateria), Munaf Rayani (guitarra) e Michael James (baixo), um concerto intenso, poderoso, a oscilar entre o romance e a tragédia.

+

Há novo vídeo de HATARI para "ENGIN MISKUNN"


Cerca de uma semana após o lançamento de Neyslutrans - disco que está a combater o capitalismo a cada cópia vendida - os islandeses HATARI apresentam mais um tema altamente abrasivo, "ENGIN MISKUNN" ("NO MERCY"), lançado esta segunda-feira (27 de janeiro) em formato audiovisual. A força anticapitalista islandesa iniciou este domingo a Europe Will Crumble Tour e continua em promoção do surpreendente disco de estreia, longa-duração que superou quaisquer expectativas anteriormente criadas ao incorporar uma abordagem abrangente de géneros desde o rap à música clássica, sem preconceitos.

O projeto de multimédia anticapitalista revelou-se o ano passado com a apresentação altamente marcante de "HATRIÐ MUN SIGRA" no Festival Eurovisão da Canção, numa performance que saiu vangloriada mundo fora, essencialmente a nível político e social, onde a banda mostrou o seu verdadeiro carácter e propósito como artistas. No mesmo ano os HATARI lançaram ainda "SPILLIGARDANS" e os temas "KLEFI / SAMED (صامد)" com o artista palestiniano BASHAR MURAD e "KLÁMSTRÁKUR". Em 2020 e sem grandes anúncios surge em todas as plataformas Neyslutrans, o disco de estreia que é um dos marcos do ano. O novo tema, "ENGIN MISKUNN" ("NO MERCY"), pode agora assistir-se abaixo.


Neyslutrans foi editado a 17 de janeiro pelo selo Svikamylla Ehf. Podem fazer pre-order da vossa cópia aqui. Se quiserem apanhar os HATARI numa cidade próxima aproveitem para consultar as datas da tour europeia abaixo.


+

Norton partilham novo tema do próximo álbum


Os Norton estão de volta. Depois de em Outubro terem apresentado “Changes”, a banda partilhou mais um tema do próximo álbum, Heavy Light“Passengers”.

Heavy Light, com edição marcada para o dia 27 de março, marca o regresso dos Norton aos discos com uma nova dose de indie rock. No quinto álbum de originais, a banda de Castelo Branco decidiu abrandar e olhar em volta com mais atenção naquele que é o seu registo mais honesto e ecléctico. O disco já está disponível para pré-compra no site oficial da banda, nos formatos vinil, CD, cassete e digital.

Para já ficamos com o single e o vídeo que o acompanha, composto por imagens de arquivo da digressão dos Norton pelo Japão.


+

BRACCO confirmados no MONITOR


Os franceses BRACCO são a mais recente luz no cartaz do iminente rendez-vous de minimal-wave & post-punk que acontece em Leiria na celebração do dia da Liberdade, a 25 de abril na StereogunCom uma sonoridade que incorpora influências que vão de Sigue Sigue Sputnik a Suicide é, através da percussão contagiante e poderosa que, em certos tons, os BRACCO nos relembram os tão saudosos Shortparis (que magnífico concerto proporcionaram no Extramuralhas, em 2018) e por vezes os Primal Scream, deixando na expectativa um concerto que tem tudo para marcar em força a quinta edição do festival MONITOR.

Os BRACCO apresentam em Leiria o disco de estreia Grave (2019, Le Turc Mecanique) - trabalho que faz fervilhar o synth-punk, através de um som rápido de nuances obscuras e pensado para aquecer os clubes de música mais dark mundo fora. A dupla sobe ao palco do MONITOR, certamente durante a segunda parte do festival, para desafiar todos os presentes a entrarem nos suas curvas e contra-curvas sonoras altamente perigosas. Um concerto que se promete altamente incendiário. 



Os franceses BRACCO são o quinto nome a juntar-se ao cartaz do MONITOR 2020 tocando conjuntamente com os norte-americanos HIDE, o suíço PYRIT, os belgas SKEMER e aos alemães RUE OBERKAMPF. Os referidos projetos atuarão a 25 de abril na Stereogun em Leiria. Os bilhetes já estão disponíveis para venda por um preço promocional de 30€ até à próxima sexta-feira 31 de janeiro, data a partir do qual passam a custar 35€. Todas as informações adicionais podem encontrar-se aqui.

+

Evols lançam "COPS", single para o próximo disco


Está aí o primeiro single para III, o novo disco dos Evols, com data de edição para dia 20 de março. "COPS" antecipa o terceiro disco da banda do Porto e já pode ser ouvido no bandcamp da banda. 

Formados em 2008 por França Gomes, Carlos Lobo e Vitor Santos, os Evols editaram dois álbuns, o primeiro homônimo em 2010 ainda na formação original e o segundo II, em 2015, com Jorge Queijo na bateria (TortoOs PríncipesEnsemble Gamelão) e João Santos (Wasser Bassin) no baixo. Já com Rafael Ferreira (Glockenwise) na formação base, preparam-se para lançar III, disco que teve a participação de Pedro Oliveira (KrakePeixe:Avião) na bateria e Sérgio Bastos (S. PedroSpace Ensemble) nos teclados. Para a nova fase de concertos juntam-se à banda André Simão (Dear Telephone, Sensible Soccers) na bateria e Sergio Bastos (S. Pedro e Space Ensemble) nos sintetizadores.

A acompanhar "COPS" também saiu um vídeo (em baixo) realizado por Hugo Amaral, onde também participaram Gonçalo Santiago, António Pinheiro e Rafaela Abreu.


+

A 6ª edição do festival itinerante UM AO MOLHE está quase a começar


Ponta Delgada, Ponte de Lima, Funchal, Guarda, Viseu, Lisboa, Ilha (Pombal), Portalegre, Montemor-O-Novo, S. Luís (Odemira) e Aveiro são as localidades na rota da edição de 2020 do festival itinerante de músicos solitários UM AO MOLHE, que percorrerá o país entre 1 de fevereiro e 8 de março.

O objectivo principal continua a ser promover uma amostra do que de mais original se tem feito ao nível de bandas de um só em Portugal e ajudar a criar um circuito para o crescente número de músicos emergentes. Mas o UM AO MOLHE, na sua 6ª edição, tornou-se hoje também num festival com um manifesto ideológico que descentraliza, trabalha em rede (para torná-la mais forte), cria encontros nos meses mais frios e trabalha horizontalmente com projectos e expressões musicais emergentes.

Para além de 31 concertos de 16 artistas diferentes, a edição deste ano vai contar também com várias conversas informais sobre "Direitos e Deveres dos Autores".

Os elenco deste ano conta com várias estreias e será composto por: Acid AcidAna DeusAntónio CovaCalcutáCarincurEmanuel PaqueteFlorJoana GuerraLorr NoLúcido In The SkyMr. GalliniO ManipuladorRandom GodsRapaz ImprovisadoRaphael Soares Violeta Azevedo.

+

sábado, 25 de janeiro de 2020

O Manipulador e Conferência Inferno - Música de “salvação nacional”



Cais do Sodré 2020

“We're going downtown we don't want to be alone with ourselves 
We're going downtown to meet our other half 
We're going downtown cuz we're tired of masturbating 
We're going downtown to have a story to tell”

O roteiro escrito desta noite passa pelo Sabotage Club. O Manipulador veio ao Cais do Sodré apresentar Doppler. O cenário exterior parece uma recriação de Blade Runner: chuva miudinha néones publicitários, vendedores de substâncias ilícitas e colónias de turistas, a chamada globalização.

Esta noite atrai-nos o fetish pelas sonoridades obscuras e sombrias. As paisagens campestres já não nos movem. O estado de espírito está preso/congelado algures numa nave intergaláctica perdida num buraco negro. 



Manuel Molarinho é exímio em lançar-nos numa teia sem fuga possível. A subversão com que toca nas quatro cordas e o bate pé nos efeitos especiais são poesia sonora para o nosso sistema auditivo.

O que me prende naquilo que vejo é a alternativa que ainda nos vai surpreendendo com estes “astronautas”, que nos fazem ainda acreditar em Deus e nos extraterrestres. O paraíso ainda é possível!

O homem é músico sim, mas é também contador de estórias citadinas e noturnas, procurando encontrar, em cada esquina, uma satisfação para os seus desejos imediatos…. Afinal o presente/futuro estão mesmo aqui ao lado, o seu nome é Doppler.

A artwork do CD (editado pela Saliva Diva) de André Catarino é belíssimo; um mundo de fantasia sinistra em decadência, um ilustrador a acompanhar.



Setlist:

“The Sheep” | “Downtown” | “Baby I Don't Feel So Well” | “It's You” | “If You Ruled The World” | “Coward” | “Ground People” | “Voices In Your Head” | “Bloody Tongue” | “They Took It” |



Videodrome




Conferência Inferno, transmissão psíquica na televisão do eterno paraíso da estática, é o ID de apresentação na sua página do Facebook aos telespectadores...

O programa exibido em prime time é uma espécie de onirismo. Salvador Dali fazia uso da privação do sono para composição das suas obras. Raul Mendiratta e Francisco Lima no seu Bandcamp descrevem os seus delírios entre “pop náutico e militarizado que levou uma injeção de pica descontrolada e o kraut um supositório de tensão. Pastilhas coloridas de surrealismo foram dissolvidas na água da darkwave mais escura e o punk enfiado num colete de forças com fecho eletrónico”.

O que assistimos nesta noite no Sabotage faz-nos lembrar um pouco o canal memória da RTP. Traz-nos recordações disto e daquilo, a voz é o X, os synths são o P, o baixo é o T e tudo o resto é O de …. Onírico!

O meu desejo enquanto espectador é conhecer a nova temporada, que espero, acredito mesmo que seja, a saída de um álbum neste 2020, para além dos quatro temas que ouvi e que constam no EP de estreia Bazar Esotérico.



Setlist:

“Amanhã” | “Radiação” | “Não Quero Antes” | “Estática” | “Diabo” | “Sina” | “Ausente” | “Cetim” | “Apocalipse” | “Sol” |




Texto, fotografia e vídeo: Virgílio Santos

+