quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Quinta edição do Peles – International Drum Fest decorre de 1 a 4 de outubro

O Peles – International Drum Fest é neste momento um dos festivais temáticos mais emblemáticos do país e considerado ao nível europeu um dos mais promissores do género. Foca-se em projetos que se distinguem essencialmente pelo cruzamento de linguagens musicais percutivas.

Nesta quinta edição foram convidados projetos nacionais de relevo, da área da percussão, sempre com o intuito de incluir novos projetos com expressões artísticas diferentes que garantam uma maior diversidade e dinâmica, contando assim com bandas experientes e de qualidade reconhecida. Para tal, a sua programação foi desenhada para trazer ao público um conjunto de quatro concertos, que se realizam de 1 a 4 de outubro em Vila Nova de Famalicão e Guimarães. Concertos estes que se caraterizam pela capacidade de aglutinar nesta edição o que de melhor se tem feito em Portugal na área da percussão.

A situação pandémica que assola o país não foi esquecida e, com um objetivo social, o festival cria este ano um concerto que vai permitir que uma grande parte dos solistas portugueses possam passar pelo Festival. Ronda dos Mafarricos é um concerto com a duração de oito horas, que será transmitido em streaming e vai acolher 16 dos mais conceituados percussionistas portugueses, em que cada um irá dispor de cerca de 30 minutos de performance a solo.

Considerando a evolução da pandemia por COVID-19, a direção artística do Peles e a direção da CAISA, optaram pela realização desta edição totalmente em streaming, na página do facebook do Peles e do Comunidade Cultura e Arte, o que permite a realização do Festival, mantendo todas as regras de segurança e cumprindo as normas estabelecidas pela DGS.



A programação completa e a informação sobre os projetos convidados pode ser consultada em baixo.

1 de Outubro -  Atlantic Percussion Group

Atlantic Percussion Group é um projecto interativo, onde o cruzamento das várias linguagens percutivas é uma constante, fazendo com que as suas produções nos transportem em viagens sonoras pelo imaginário humano. Exibem assim, um novo mundo que respira e está repleto de cores, sons e sensações que ecoam por toda a matéria.
José Afonso Sousa e Tomás Rosa convidam Ricardo Coelho e Zé Stark e apresentam-se como quarteto. O seu elo unificador transparece num enriquecedor diálogo musical que engloba a tentativa de reprodução do arquétipo dos mundos do clássico, do jazz e da música do mundo.  
Será um concerto desafiador, tanto para o público como para os intérpretes, que apresentam uma narrativa enfasada por um notável dialeto musical inerente aos seus instrumentos e individualidades, realçando o estupendo e inovador universo sonoro de notáveis mundos e paisagens sonoras. 

Local: CLAV - Centro e Laboratório de Vermil
Horas: 21h30


2 de Outubro  - Ronda dos Mafarricos

É um concerto com oito horas de duração, que será transmitido em streaming. Este mega concerto irá acolher 16 dos mais conceituados percussionistas portugueses (Tomás Rosa, Ricardo Coelho, Vítor Castro, Paulo Pontes, Jorge Lima, André Dias, André Nadais, Alexandre Silva, Tiago Ferreira, João Pedro Lourenço, Fábio Mota, Daniel Araújo, Zé Stark, Jonathan Silva, Beatriz Martinho, Riques Ramos) e cada um irá dispor de cerca de 30 minutos de performance a solo.

Local: CLAV - Centro e Laboratório Artístico de Vermil


3 de Outubro - RePercussion Trio

RePercussion Trio é um grupo de percussão, que surgiu em 2016, composto por Alexandre Silva, Daniel Araújo e Jorge PereiraO grupo tem vindo a demonstrar versatilidade a nível artístico e performativo, abordando diversos tipos de repertório, desde o mais emblemático e tradicional ao cénico. Os seus objetivos passam por alargar o repertório para esta formação e colaborar com outros tipos de artes performativas, tais como, teatro, dança, desenho de luz e som e sonoplastia.
Durante o seu percurso artístico participou em festivais como o Cistermúsica, Harmos Festival e Festival SET. Além disso, esteve presente no 5.º Encontro Internacional sobre Educação Artística e na International Chamber Music Conference 2018.

Local: Espaço Fauna – V.N. de Famalicão
Hora: 21h30
 

4 de Outubro - Pulsat Percussion Group

Pulsat Percussion Group, fundado em março de 2012, procura promover a música contemporânea para percussão, com recurso a novas abordagens da experimentação. Foi desde logo premiado com o 2.º lugar no Prémio Jovens Músicos, na categoria de Música de Câmara, nível superior, seguindo-se o 2.º prémio no III Concurso Internacional de Música de Câmara Cidade de Alcobaça (CIMCA), em 2013. O grupo já participou em diversos eventos dos quais se podem destacar o International Percussion Competition Luxembourg (2015) onde alcançaram a semifinal, as atuações no Harmos Festival na Casa da Música, no Teatro Helena Sá e Costa, no âmbito do Euroclassical, no Auditório de Espinho, num concerto de apresentação de várias obras originais para percussão, de autores portugueses, entre muitos outros. 
Entre os diversos compositores do reportório do Pulsat Percussion Group elegem-se obras de Aurél Holló, John Cage, Christopher Deane, Lukas Ligeti, Michael Laurello, Steve Reich, João Pacheco, Jorge Prendas, Igor Silva, Daniel Bernardes, Paulo Perfeito e Daniel Martinho. A qualidade musical da sua performance surpreende todos os presentes, elevando a música contemporânea nacional e internacional ao mais alto nível.

Local: Espaço Fauna – V.N. de Famalicão
Hora: 18h00

+

terça-feira, 29 de setembro de 2020

O disco de estreia dos topographies chega em dezembro

 

O disco de estreia dos topographies chega em dezembro

Os topographies são um nome em ascensão na cena alternativa californiana ao reviverem algum do experimentalismo shoegaze fortemente associado às camadas texturais da dream-pop. O grupo que começou por chamar a atenção com o primeiro lançamento da carreira, o EP topographies (2018), tem construído desde então a sua sonoridade ao redor de guitarras profundamente sentimentalistas, desequilibradas e envoltas entre o reverb e os loops infindáveis. Depois de uma série de lançamentos no formato curta-duração o trio prepara-se agora para consolidar a experiência adquirida nos últimos dois anos num longa-duração que sintetiza e esclarece a estética da banda ao longo de oito faixas profundamente intensas.

Desde o trabalho de guitarra etéreo assinado por Jérémie Rüest, às linhas de baixo ágeis de Justin Oronos e às letras poéticas de Gray Tolhurst, os topographies criam um ambiente de imersão desfocado que se arrasta no tempo em composições de essência doce. O novo disco, segundo nota de imprensa, "diz respeito às projeções que os seres humanos colocam relativamente à experiência e à impossibilidade de uma existência perfeitamente realizada". Em antecipação do novo disco a banda avançou recentemente com a balada "Rose of Sharon" que pode assimilar-se na íntegra abaixo.

Ideal Form tem data de lançamento prevista para o dia 4 de dezembro em formato vinil e digital pelos selos Funeral Party Records (US) e Medication Time Records (FR). Podem fazer a pre-order do disco aqui.


Ideal Form Tracklist:

01. Mirror 
02. False Desire
03. This Evening Also
04. Image
05. See You As You Fall
06. Lonely Figure
07. Rose of Sharon
08. A Wine Dark Sea

+

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

STREAM: Panther Modern - READY

 

STREAM: Panther Modern - READY

Alguns meses após ter abraçado uma vertente puramente instrumental no tema "The Ups, The Downs" - o seu registo mais ambient de sempre - Panther Modern regressa às edições com novo tema efervescente. Intitulada "READY" a nova malha volta a colocar no posto de escuta os sintetizadores abrasivos e a voz militar de Brady Keen junto com um trabalho de produção altamente estimulante e inspirado pelas vertentes da música techno. O novo tema encontra-se integrado no lançamento do 7'' single READY que inclui também o já referido "The Ups, The Downs" - faixa composta em forma de homenagem e, ao mesmo tempo, reflexão face aos acontecimentos que revoltaram o mundo na luta contra o racismo.

Em "READY" Panther Modern volta a conduzir-nos aos ambientes de ritmos epiléticos que têm pautado a sua (ainda curta) discografia, aprofundando cada vez mais a sua abordagem digital da música, com um forte cunho na introdução das tecnologias de inteligência artificial nos vídeos que a acompanham. Com uma duração mais encurtada que o single que o acompanha na tracklist do novo lançamento, "READY" é um tema desenhado para fazer vibrar as pistas de dança e consolidar cada vez mais Panther Modern como um dos nomes a considerar nos próximos tempos.

READY foi editado esta segunda-feira (28 de setembro) em formato digital e self-released. Podem comprar a vossa cópia aqui e escutar a edição na íntegra abaixo.

+

Há mais um tema na berra com rótulo Shortparis

Há mais um tema na berra com rótulo Shortparis 

O quinteto russo mais célebre e desafiador dos últimos anos voltou recentemente ao ataque com mais um tema de tirar o fôlego: criativo, iminente, artístico e de sonoridade extremamente pegajosa. Intitulado "КоКоКо / Cтруктуры не выходят на улицы" este é o primeiro single inédito dos Shortparis desde o lançamento que os consagrou o ano passado como um dos atos mais interessantes dos últimos anos, Так закалялась сталь. À semelhança do que já têm consolidado nos últimos trabalhos, a banda liderada por Nikolay Komyagin volta a apostar nas suas tendências avant-garde em prostração a uma abordagem eletrónica extremamente moderna.

Em "КоКоКо / Cтруктуры не выходят на улицы" os Shortparis voltam a mostrar-nos a sua excelência na produção de trabalhos de harmonias altamente atraentes e sedutoras, enquanto reafirmam o profissionalismo inerte numa imagem que é tão controversa quanto estimulante. Num trabalho visual influenciado pelo absurdo, com a sua crítica política sempre tão mordaz e subjacente os Shortparis continuam a manter sempre alta a sua fasquia de produção. Impossível não ficar rendido.


O novo single segue como promoção da tour da banda que arranca já no próximo dia 9 de outubro e que contará com um total de 17 performances ao vivo por territórios russos. Para quem estiver pela Rússia com saudades de concertos ao vivo pode consultar as datas dos respetivos eventos aqui.

+

Lina e Raül Refree | Há Fado no Cais | CCB

Lina e Raül Refree | Há Fado no Cais | CCB

 "Quando uma fadista se junta a um produtor e músico catalão isso pode resultar numa das mais belas estranhezas a que o fado foi sujeito nos últimos anos."

Gonçalo Frota, in Público


É já quinta-feira, 1 de outubro, pelas 21:00, que o projeto Lina_Raül Refree sobe ao palco do grande auditório do Centro Cultural de Belém, para um espetáculo promovido pelo CCB, EGEAC, Museu do Fado e a UGURU.

Lina, artista multidisciplinar, cantora e estudante atenta da obra de Amália Rodrigues, fez uma seleção do seu repertório mais emblemático, que interpreta de forma admirável. Raül Refree, músico catalão e um dos produtores mais inovadores da atualidade, que deu ao flamenco uma nova roupagem, produzindo artistas como Sílvia Perez Cruz ou Rosalía, com a mais recente colaboração no rock experimental com Lee Renaldo (Sonic Youth), assina todos os arranjos e produção deste projeto. Nesta noite o público poderá deleitar-se com o som de «catedral» que criou e onde a voz de Lina, envolta de névoa analógica, soa arrepiante, verdadeira e profundamente emocionante.

Mudaram de pele. Um novo começo. Foi isso que a cantora e o produtor/multi-instrumentista deram ao fado português no Lina_Raül Refree, o primeiro disco desta dupla de músicos extraordinários que desenvolveram uma empatia musical intensa, comprovada neste trabalho editado pela premiada editora alemã Glitterbeat Records e na intensa digressão internacional, iniciada em julho de 2019 (em Cartagena). Lina e Refree têm passado por várias cidades europeias, arrebatando aplausos do público e da critica, com um espetáculo pensado ao pormenor, encenado por António Pires, com luz desenhada para sublinhar todo o drama nele contido. Depois das várias apresentações no estrangeiro,  foi apresentado em novembro passado no Misty Fest em quatro cidades do nosso país. 

Mas música não é geografia, mas emoção! Os bilhetes para este espectáculo podem ainda ser adquiridos através da Ticketline e oscilam entre os 10 e os 23 euros.

*Lina_Raül Refree recebeu o prémio da crítica alemã Preis der deutschen Schallplattenkritik, que o considerou o melhor disco do primeiro quarto de 2020. Está também nomeado para os prémios franceses Victoires du Jazz, na categoria de World Music, e é finalista do Music Moves Europe Awards, um prémio com a chancela da Comissão Europeia. 




+

Primeiro disco a solo de Cabrita aterra no Dia Internacional da Música

Cabrita primeiro disco a solo
 ©Vera Marmelo 

Após aventurar-se por grupos como Dead Combo, Cais Sodré Funk Connection ou Sitiados, o saxofonista João Cabrita dá início a uma jornada a solo.

O lançamento do seu primeiro álbum em nome próprio está previsto para a próxima quinta-feira, 1 de outubro, em pleno Dia Internacional da Música, sob o selo da Omnichord Records. É também esperada a vinda de um vinil duplo gatefold no mês seguinte, recheado de temas inéditos gravados por João Cabrita em casa, durante as suas Quarantine Sessions.

Artwork de Cabrita

Segundo o saxofonista lisboeta, em declarações à Lusa, o LP “gira à volta do saxofone e das colaborações todas” que teve ao longo dos seus 30 anos de carreira. Considera-o também “uma espécie de festa sintetizada num disco”, tendo convidado artistas como The Legendary Tigerman, Sam the Kid, Tó Trips e muitos outros para deixarem a sua impressão digital na obra. Todas as faixas serão instrumentais, excepto uma, visto que João Cabrita “tinha demasiados amigos de cantores para não aproveitar”.

Em 30 anos de carreira, João Cabrita trabalhou com imensos artistas e bandas e gravou dezenas de discos dos mais variados géneros. Colaborou com artistas como Sérgio Godinho, Orelha Negra, Caetano Veloso, Virgem Suta ou Despe e Siga. Foi também co.-compositor da canção “YouTuber”, que representou Portugal na edição de 2017 do Junior Eurovision Song Contest, interpretado por Mariana Venâncio.

O videoclip do single “Afronaut’s Lament”, com Hélio Morais, João Gomes e David Pessoa, já está disponível no YouTube:


Artigo escrito por João Pedro Antunes.

+

domingo, 27 de setembro de 2020

Os Structures voltam a roubar as atenções em "Robbery"


Os Structures voltam a roubar as atenções em "Robbery"

Cinco meses após terem colocado cá para fora o som que tornou a quarentena menos aborrecida a.k.a. "Sorry, I Know It's Too Late But...", os efervescentes Structures estão de regresso ao radar com mais um tema que serve de cartão de visita ao seu aguardado disco de estreia, How Does It Feel?. Agora num formato ainda mais incendiário, a banda de rough wave que está a assaltar o panorama da cena independente volta a consolidar numerosos elogios do público numa injeção de adrenalina intitulada "Robbery". Sem nunca perderem a sua essência de "estrelas do rock deprimidas" os Structures sobem os bpm's em mais um tema aditivo e confrontante que volta a provar o motivo de serem já intitulados do "fenómeno da nova cena francesa".

Oriundos do coração da Europa e prontos para se colocarem na boca do mundo, os Structures voltam a fazer subir a fasquia no novo "Robbery". Em tom de desafio na mensagem que nos trazem - "I've got my hands tied, Behind my back. I’ve got a nice rope, Around my neck. I’ve been swimming with sharks, For way too long. But I will survive that wreck, If you give me your help. (...) This is a robbery. Give me your money." - a banda volta a deixar bem subliminar o seu toque de crítica social enquanto desfaz frustrações na criação sonora. O novo tema chegou às plataformas esta sexta-feira (25 de setembro) com direito a um vídeo assinado por Julien Peultier (guitarrista dos Last Train) e disponível abaixo.

How Does It Feel? deverá contar com a edição física em vinil com edição da Deaf Rock Records

+

Offermose apazigua o caos no novo tema "Stilhedens Tårn"


Offermose apazigua o caos no novo tema Stilhedens Tårn

Fã assumido de soundtracks futuristas (como pudemos verificar na última edição do 7 ao mês), o produtor Offermose prepara-se para mais um lançamento de carácter imersivo e profundamente inspirador no novo Stilhedens Tårn. O álbum, que foi anunciado oficialmente em agosto está a tornar-se uma das edições mais aguardadas do ano muito à custa do seu packaging altamente inovador (numa edição em vinil azul limitada a 100 unidades e já esgotada que inclui um jogo de tabuleiro desenhado exclusivamente para o lançamento da obra). Ainda disponível noutros formatos como o vinil preto e o CD é não só pela edição em si, mas, claro está, pela abordagem eletrónica e minimal nos campos da dungeon synth que o produtor dinamarquês tem feito o seu nome difundir-se no panorama underground nos últimos anos e pretende levá-lo ainda mais longe com esta edição.

Depois de nos ter mostrado as dimensões profundas da música ambient difundidas por entre um cenário experimental em maio passado - no primeiro tema de avanço "Sjælens Ruin" -, Offermose retomou ação com "Korrupt Tradition", uns dias após o anúncio do novo lançamento. Mais nostálgico e emocionalmente contagiante, num toque de suspense iminente, "Korrupt Tradition" fez-nos viajar aos limites invisíveis entre diferentes estados de emoção. Agora de regresso com o tema homónimo "Stilhedens Tårn" Offermose oferece-nos um cocktail de ficção científica rodeado por sintetizadores em lento desenvolvimento.

Stilhedens Tårn tem data de lançamento previsto para 16 de outubro em formato vinil, CD e digital pelos selos Third Coming Records e Pomperipossa. Podem fazer a pre-order do disco aqui.


+

Kill Your Boyfriend anunciam novo álbum, 'Killadelica'


Kill Your Boyfriend anunciam novo álbum, 'Killadelica'

Quatro anos após a edição do psicologicamente denso EP Ghosts (2016) e três após o emergente Ulrich (2017), os italianos Kill Your Boyfriend estão de volta ao ativo. A dupla composta por Matteo Scarpa e Antonio Angeli regressa este ano às edições com o novo longa-duração Killadelica que sucede assim o último lançamento datado de 2015, The King Is Dead. A boa nova foi dada esta sexta-feira (25 de setembro) e - além dos detalhes do lançamento - veio acompanhada pelo primeiro tema de avanço do disco "Elizabeth". A faixa (que foi originalmente lançado o ano passado pela Depths Records) vem solidificar o trabalho da banda nos campos da eletrónica industrial, mostrando um ponto de equilíbrio entre o experimentalismo de Ghosts e o proto-punk industrial de Ulrich, o que se prevê ser uma excelente aposta para o resultado final de Killadelica.

Enquanto o disco não chega às prateleiras, em formato injeção de adrenalina resta-nos passar os ouvidos por "Elizabeth", mais uma malha embutida entre o ruído, distorção e a reverberação negra a que os Kill Your Boyfriend tão bem nos têm habituado ao longo dos últimos anos. O tema pode escutar-se abaixo e o teaser do novo álbum pode visualizar-se aqui.

Killadelica tem data de lançamento prevista para 6 de novembro em formato digital, CD e vinil pelos selos Shyrec (IT), Sister 9 Recordings (UK) e Little Cloud Records (US). Podem fazer a pre-order do disco aqui.


Kiladellica Tracklist
:

01. Anula 
02. Jean
03. Natasha
04. Nancy
05. Agave
06. Belle 
07. Marie
08. Elizabeth
09. Eve
10. Aileen
11. Kathy


+

STREAM: Fall Shock - Interior

STREAM: Fall Shock - Interior 


Dois anos após ter iniciado a conceção do que viria a ser Fall Shock o italiano Francesco Kay estreia-se agora nos disco a solo com um trabalho de ambiências negras influenciado pelas correntes da new-wave tão em voga nos anos 80. Num som bastante dinâmico que conduz tão depressa a um sentido de urgência como de moderação, Fall Shock aposta com força nos sintetizadores característicos da darkwave, maleando o som para que este se deixe envolver por atmosferas ora poderosas, ora envolvidas por uma personalidade celestial. Há espaço de manobra para uma viagem à evolução da darkwave que marcou os últimos 10 anos, bem como tempo para abraçar um percurso singular. 

Num trabalho que é enriquecido por vozes angustiadas, sintetizadores oscilantes, guitarras de cariz hipnótico, Interior apresenta-se como um disco de carácter nostálgico e sensações distantes. Mesmo que não tenha passado essa ideia com o primeiro tema de avanço "Feels Eternal" - uma malha de certo modo incendiária nas pistas de dança -, ao longo de Interior Fall Shock apresenta essa característica bem vívida. Do novo disco, que com as audições consequentes se vai tornando cada vez mais querido, recomenda-se fortemente a audição de temas como os badalados "Illusion" ou "The Holly Rage" (a apelar a fãs de Drab Majesty) e as poderosas "Synthetica" e "Retouch".

Interior foi editado esta sexta-feira (25 de setembro) em formato CD e digital pelo selo Manic Depression Records. Podem comprar a vossa cópia aqui.


+

STREAM: Profligate - Too Numb to Know


STREAM: Profligate - Too Numb to Know

Há dois anos com a edição de Somewhere Else, Profligateconduziu a sua eletrónica às vertentes da dark pop ao adicionar instrumentações ao vivo, conduzindo o seu som a uma synth-pop de vertentes altamente aditivas. No novo disco, Too Numb To Know, o norte-americano Noah Anthony revigora ainda mais a sua efervescência obscura num disco de ambientes eletrónicos puxados, mas amplamente suavizados pela sua doce textura vocal. No disco - que aborda temas como o crescimento, reflexão e mudança - Profligate aposta em sintetizadores e caixas de ritmo atmosfericamente pulsantes de ritmos atraentes e melodias amplamente estimulantes. Além da dimensão mais pop Profligate afirma-se em Too Numb To Know por abraçar novas correntes estéticas que englobam desde o industrial-dungeon (presentes no início de "We Can Punish" ou no tema "Drink a Spider").

Too Numb To Know é um disco que aporta uma curiosa história por trás. Durante o processo de composição - iniciado em Los Angeles -, o computador pessoal de Noah Anthony foi roubado e juntamente com ele, algum do trabalho já executado para o novo álbum. Noah aproveitou a ocasião para se mudar para Cleveland no Ohio e produzir o produto final com a contribuição de nomes como Matchess, Lazy Magnet, Gel Set e Missions, entre outros. O disco, anunciado em junho, seguiu promovido por "Hang Up", uma malha adstringente de camadas pop e personalidade aditiva que cedo chamou as atenções do novo trabalho. O resultado final pode agora absorver-se na íntegra abaixo.

Too Numb To Know foi editado esta sexta-feira (25 de setembro) em formato CD, vinil e digital pelo selo Wharf Cat Records. Podem comprar a vossa cópia aqui.

+

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

STREAM: Anna von Hausswolff - All Thoughts Fly

STREAM: Anna von Hausswolff - All Thoughts Fly

All Thoughts Fly é o novo álbum de Anna von Hausswolff, lançado ontem pela Southern Lord Recordings. Este novo disco consiste em apenas um instrumento, o órgão de tubos, que representa a "libertação absoluta da imaginação". All Thoughts Fly irradia uma beleza melancólica e distingue-se por transições fluidas de elementos contrastantes; tranquilidade e drama, harmonia e dissonância, muito similar com o lugar que inspira este trabalho.

Sobre este álbum, a própria Anna von Hausswolff explica: “há uma tristeza e uma natureza selvagem que me inspiraram a escrever este álbum, além de uma certaatemporalidade. Acredito que este parque (Sacro Bosco, que dá nome a uma das músicas deste novo trabalho) sobreviveu não só pela beleza mas também pela iconografia, e libertado de ideias e ideais previsíveis. As pessoas que construíram este parque realmente libertaram as suas mentes e imaginação. All Thoughts Fly é uma homenagem a esta criação, e um esforço para articular a atmosfera e os sentimentos que este lugar invoca dentro de mim. É uma interpretação muito pessoal de um lugar que não tenho palavras para descrever. Eu gostava de acreditar que Orsini construiu este parque monumental por causa da tristeza da morte da sua mulher, e em "Sacro Bosco" usei essa história como um núcleo para minha própria inspiração: o amor como base para a criação”.

O vídeo que acompanha o primeiro single "Sacro Bosco" é, assim como a música, uma interpretação do parque com um toque imaginário. 


Em última análise, All Thoughts Fly incorpora a exploração de todas e quaisquer possibilidades, e o público é convidado a ouvir, libertar a mente e deixá-la divagar.

+