segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

STREAM: Post Lovers - Post Lovers


Post Lovers - o projeto a solo da cantautora Eleni Karageorgou atualmente sediada em Atenas, Grécia - que se foca na exploração de músicas folk, com backing vocals emotivos e atmosfera musical envolvente aos anos 90, edita no início desta semana o seu primeiro disco de estúdio homónimo. Composto por um total de 13 músicas que se sucedem naturalmente sem revelor todo o seu potencial de uma vez só, o disco fornece uma resposta feminina ressonante para a composição contemporânea dominada pelos homens. 

O disco foi gravado durante a primavera deste ano no estúdio Suono. De Post Lovers já tinham sido anteriormente reveladas as faixas "Look Around" e "Tiger" e o resultado deste trabalho pode ser escutado na íntegra, abaixo. Além destes temas recomenda-se ainda a audição de "On Sundays" e "Kick Off", com guitarras a relembrar Thurston Moore, "Healing" - nas tonalidades Bob Dylan - e ainda "Dream Session".

Post Lovers foi editado esta segunda-feira (10 de dezembro) em formato vinil pelo selo Inner Ear Records


+

Oiçam: ADW


ADW é composto pelos produtores portugueses João Rochinha (UNITEDSTATESOF, PURGA e Monkey Flag) e David Ferreira (Stury B. e ex-Monkey Flag). Com génese em julho de 2018, o duo tem uma abordagem única ao beatmaking hip-hop combinando sampling inventivo, paletes de som loucamente variadas, bass que não perdoa e um sentido de ritmo a roçar o esquizofrénico. A junção destes elementos com o enorme leque de influências de ambos, levam à criação de bangers energéticos, imprevisiveis e com poucos similares em Portugal.

Mixtape I é a "mixtape que mais sampla avant-garde dos anos 80 de sempre. Pelo menos vinda do Seixal". É assim que os ADW descrevem o seu trabalho de estreia em entrevista ao Rimas e Batidas. Recorrem ao DAW (Digital audio workstation) para compor tudo apenas com instrumentos virtuais, usando também samples do Rochinha a tocar guitarra e de alguns amigos a cantar. Sentem que em Portugal há pouco espaço para o hip hop de vertentes mais experimentais, pretendendo suprimir essa lacuna.

Mixtape I foi editado a 28 de novembro e é composto por sete faixas. "DYEF" foi o primeiro single e até teve direito a um videoclip, o qual pode ser visualizado em baixo.


Se gostam de Jpegmafia, Death Grips, Earl Sweatshirt, Kendrick Lamar, Machine Girl, Danny Brown, Skepta, DJ Rashad, MF DOOM e Sporting Life, oiçam então Mixtape I, disponível para audição gratuita no bandcamp dos ADW.

+

Roly Porter na terceira edição do OCUPA, em Braga

A terceira edição do OCUPA, mostra de arte digital e música eletrónica de Braga, abre portas a um convidado internacional, o músico britânico Roly Porter, e apresenta um concerto encomendado a artistas locais


A cidade de Braga tem vindo a assumir uma posição dianteira no domínio das media arts em Portugal, cimentada pela atribuição do título de Cidade Criativa da UNESCO e legitimada, entre outros, pelo sucesso internacional do festival SEMIBREVE, pelos já históricos Encontros da Imagem, pela oferta artística e formativa do gnration e pelo crescente número de artistas a operar nesta área. 

O OCUPA, evento promovido pela cooperativa AUAUFEIOMAU com apoio da Câmara Municipal de Braga e gnration, visa promover uma perspetiva sobre a produção artística nos domínios da música eletrónica e arte digital por artistas oriundos ou residentes em Braga. 

Para a sua terceira edição o OCUPA abre a porta a um convidado internacional, o músico e produtor britânico Roly Porter. Outrora parte integrante do seminal duo Vex’d, Porter cimentaria a sua posição nos campos da eletrónica mais arrojada com o lançamento de Third Law, o mais recente disco do produtor editado pela Tri Angle em 2016, que lhe valeu as melhores críticas da imprensa especializada. O músico junta-se, assim, a dois espetáculos baseados na participação de artistas locais: uma encomenda conjunta a David Machado, Dora Vieira e Tundra Fault, com visuais por Distorted Vision, e a apresentação final do Clube de Inverno, este ano liderado pela editora portuense Crónica. Também novidade será um programa de conversas sobre a relação entre tecnologia, arte e performance, com a participação de artistas e académicos. 



Programa de conversas 

16:30 - Inteligência Artificial e Arte
Miguel Carvalhais (FBAUP), Rui Penha (ESMAE) 
moderador: Alberto Simões (IPCA) 

18:00 - Performance em música eletrónica 
Roly Porter, Pedro Tudela (FBAUP) 
moderador: Filipe Lopes (ESMAD) 

Programa de performances 

22:00 - David Machado + Distorted Vision + Dora Vieira + Tundra Fault 
22:50 - Clube de Inverno, por Crónica 
23:40 - Roly Porter 

A terceira edição do OCUPA acontece este sábado, dia 15, no gnration. Os bilhetes para o programa de performances custam 5 euros e podem ser adquiridos em gnration.bol.pt, balcão gnration e locais habituais. O programa de conversas é de acesso livre e gratuito.

+

STREAM: GHOSTLAND - Dances on Walls


Os Ghostland formaram-se em 2015, em Athenas, na Grécia e trabalham dentro de espetros musicais como o post-punk e new-wave. A banda é composta por Makrina (voz), Nikos (baixo) e Argyris (guitarra, percussão e sintetizadores) e lança hoje o seu disco de estreia Dances On Walls, uma coleção nove músicas que explora os vocais femininos saudosistas de Makrina em conjugação com ritmos monocromáticos e camadas sintetizadas de sons profundamente embelezadas.

Nos últimos dois anos a banda tem ainda contado com a ajuda do enginheiro Stravos nos concertos ao vivo. Deste novo Dances On Walls recomenda-se a audição de temas como "Leave Behind (Hollow Moon)", "Wind Of Knives", "Ice Song" - a fazer lembrar a voz sonhadora de Zanias - e ainda o já apresentado "Lifeblood" . O equilíbrio perfeito entre músicas melancólicas e temas prontos para arrasar as pistas de dança.

Dances on Walls foi editado esta segunda-feira (10 de dezembro) em formato vinil pelo selo Manic Depression Records.


+

STREAM: NONN - XVII


Christian Eldefors juntou-se ao seu irmão Alexander Eldefors e a Hannes Nyling para formar uma banda completa sob o epíteto NONN naquele que vem a ser o segundo disco longa-duração do projeto e onde é explorado um som mais refinado, completo e minimalista. Intitulado de XVII, neste novo disco on NONN optam por peças de eletrónica industrial, EBM e synth-punk com uma percussão rítmica e sombria, inspirada nas paisagens dos anos 80.

Do disco já tinham anteriormente sido apresentadas as faixas "Clear" e "Believe", a mostraram o seu lado darkwave influenciado pelas veias post-punk e o novo registo, composto por um total de nove faixas, pode agora ser reproduzido na íntegra abaixo. Além das mencionadas recomenda-se ainda a audição de "When", "Reach" e "Beyond".

XVII foi editado esta sexta-feira (7 de dezembro) pelo selo Fuzz Club Records.


+

domingo, 9 de dezembro de 2018

Os melhores concertos de 2018


É tempo de voltar atrás… às cidades, às ruas e aos festivais onde fomos ver os melhores espetáculos deste quase posto 2018. O ano promoveu uma série de estreias em território nacional, os regressos aguardados de artistas como Nick Cave, Slowdive, Anna Von Hausswolf e ainda a presença sempre bem-vinda dos nossos portugueses HHY & The Macumbas, que se projetam a passos largos, à conquista dos palcos internacionais. Além dos palcos portugueses também viajámos fora até Milão, Paris e a Colónia para marcar presença em concertos que de outra forma não marcariam a lista dos nossos preferidos. 

Em matéria de festivais, para o grande público, o NOS Primavera Sound foi aquele que, em média, mais encheu as medidas dos colaboradores da Threshold, seguindo-se ainda o Vodafone Paredes de Coura e o NOS Alive. Na categoria dos festivais de nicho, destaque para o renovado Extramuralhas que se voltou a evidenciar pelos atos irrepreensíveis, o novo Elétrico que se afirmou como um dos festivais a ter em atenção nos próximos anos e ainda o mini festival de post-punk e minimal wave de Leiria, o Monitor. Foi um ano digno em memórias que agora recordamos em lista:


David Madeira 
1. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
2. Slowdive - Hard Club, Porto
3. Anna von Hausswolff - Casa da Música, Porto
4. Emma Ruth Rundle - Passos Manuel, Porto
5. Circle - Milhões de Festa
6. Zeal & Ardor - NOS Primavera Sound
7. Nils Frahm - NOS Primavera Sound
8. Gazelle Twin - Milhões de Festa
9. Author & Punisher - Maus Hábitos, Porto
10. HHY & The Macumbas - Understage, Teatro Municipal do Porto - Rivoli

Edu Silva 
1. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
2. Idles - Hard Club, Porto
3. HHY & The Macumbas - Understage, Teatro Municipal do Porto - Rivoli
4. Circuit des Yeux - Auditório de Espinho
5. The Cosmic Dead -Woodstock 69 Rock bar, Porto
6. METZ - Hard Club, Porto
7. Soft Moon - Hard Club, Porto
8. Mr. Fingers - Elétrico
9. Fire! - Serralves em Festa
10. The Jesus and Mary Chain - Casa da Música, Porto

Filipe Costa 
1. Bad Gyal - NOS Primavera Sound
2. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
3. Big Thief - Vodafone Paredes de Coura
4. Khalil - ZDB, Lisboa
5. Sky H1 - Mucho Flow
6. Grouper - Semibreve
7. Mr. Fingers - Elétrico
8. Jasss - Jardins Efémeros
9. Gazelle Twin - Milhões de Festa
10. HHY & The Macumbas - Understage, Teatro Municipal do Porto - Rivoli

Francisco Lobo de Ávila
1. John Carpenter - Salle Playel,Paris
2. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
3. The Flaming Lips - Alcatraz, Milão
4. Zeal & Ardor - NOS Primavera Sound
5. Peter Murphy - Fabrique, Milão
6. Oshun - Queima Das Fitas de Coimbra
7. Superorganism - Circolo Magnolia, Milão
8. Slowdive - Hard Club, Porto
9. Nine Inch Nails - NOS Alive
10. Donny Benet - GrETUA, Aveiro

Gil Simão 
1. Slowdive - LAV, Lisboa
2. Peter Murphy & David J - Ruby Tour, 40 anos de Bauhaus - LX Factory, Lisboa
3. Bizarra Locomotiva - Festa do Avante
4. The Soft Moon - RCA, Lisboa
5. Human League - Vilar de Mouros
6. Editors - Vilar de Mouros
7. King Dude -Sabotage Club, Lisboa
8. Sextile - Sabotage Club, Lisboa
9. Paulo Bragança - Festa do Avante
10. Autobahn - Monitor

Hugo Geada 
1. Earthless - Sonic Blast Moledo
2. Causa Sui - Sonic Blast Moledo
3. Mercury Rev - Lux Frágil, Lisboa
4. St. Germain - Neopop
5. Confidence Man - Vodafone Paredes de Coura
6. David Bruno - GrETUA, Aveiro
7. Arcade Fire - Vodafone Paredes de Coura
8. Jungle - Vodafone Paredes de Coura
9. King Gizzard and the Lizard Wizard - Vodafone Paredes de Coura
10. Spectrum - Musicbox, Lisboa

João Barata 
1. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
2. Deafheaven - Essigfabrik, Colónia
3. Nine Inch Nails - NOS Alive
4. Fever Ray - NOS Primavera Sound
5. Voivod - Luxor, Colónia
6. Colour Haze - Hard Club, Porto
7. YOB - Gebäude 9, Colónia
8. Tyler, The Creator - NOS Primavera Sound
9. Between the Buried and Me - Live Music Hall, Colónia
10. Ulver - Extramuralhas

Miguel Silva 
1. Fields of the Nephilim - Hard Club, Porto
2. Heilung - Extramuralhas
3. Christian Death - Hard Club, Porto
4. Ulver - Extramuralhas
5. Bizarra Locomotiva - Extramuralhas
6. She Past Away - Stereogun, Leiria
7. Horskh - Extramuralhas
8. Shortparis - Extramuralhas
9. VNV Nation - Hard Club, Porto
10. L’An2000 - Stereogun, Leria

Rui Gameiro 
1. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
2. Anna von Hausswolff - Convento de São Francisco, Coimbra
3. Friendly Fires - NOS Alive
4. Protomartyr - Musicbox, Lisboa
5. Slowdive - Hard Club, Porto
6. Vince Staples, NOS Primavera Sound
7. Yo La Tengo - NOS Alive
8. Nine Inch Nails - NOS Alive
9. Scúru Fitchadú - ZigurFest
10. Mercury Rev - Lux Frágil, Lisboa

Rui Santos
1. Nick Cave & The Bad Seeds - NOS Primavera Sound
2. Fleet Foxes - Vodafone Paredes de Coura
3. Confidence Man - Vodafone Paredes de Coura
4. Idles - Hard Club, Porto
5. Slowdive - Hard Club, Porto
6. Fever Ray - NOS Primavera Sound
7. Roger Waters - MEO Arena, Lisboa
8. Dead Combo/Mark Lanegan - Vodafone Paredes de Coura
9. Arcade Fire - Vodafone Paredes de Coura
10. Father John Misty - NOS Primavera Sound

Sónia Felizardo 
1. Shortparis - Extramuralhas
2. Fields Of The Nephilim - Hard Club, Porto
3. Rïcïnn - Extramuralhas
4. Ulver - Extramuralhas
5. Circuit des Yeux - Auditório de Espinho
6. Sextile - Hard Club, Porto
7. Slowdive - Hard Club, Porto
8. She Past Away - Stereogun, Leiria
9. Autobahn - Monitor
10. Second Still - Hard Club, Porto

Tiago Farinha
1. Animal Collective - Capitólio, Lisboa
2. Slowdive - Hard Club, Porto
3. Kikagaku Moyo - ZDB, Lisboa
4. Queens of the Stone Age - NOS Alive
5. Metz - Musicbox, Lisboa
6. Idles - LAV, Lisboa
7. Angel Olsen - Teatro da Trindade, Lisboa
8. Yo La Tengo - NOS Alive
9. Spectrum - Musicbox, Lisboa
10. A Place to Bury Strangers - RCA Club, Lisboa

+

sábado, 8 de dezembro de 2018

Spoiler Room leva Olan Monk, Elvin Brandhi e Daniel Blumberg ao Porto


É já amanhã que o Spoiler Room recebe, pela primeira vez em nome próprio, o músico e compositor londrino Daniel Blumberg. Em associação com a CANVAS, o mais recente evento dedicado à promoção da cultura alternativa no Porto prepara-se para a uma muito especial nona edição, que contará ainda com a presença dos britânicos Olan Monk e Elvin Brandhi. "Anti-Tour(ism)" é o mote para esta nona edição do evento, que contou, entre outros, com a presença de Negra Branca, Joana Guerra e Pierre Pierre Pierre.

Olan Monk é um músico e produtor irlandês sediado no Porto. Cara conhecida do circuito independente portuense, Monk integra o coletivo, editora e promotora CANVAS, que lidera juntamente com Elvin BrandhiAcolytes, Ashley Paul, Flora Yin Wong e James K são alguns dos nomes que integraram as suas noites. Ao Porto, o músico vem apresentar o mais recente disco INIS.



Elvin Brahndi, para além do trabalho levado a cabo pelo CANVAS, integra ainda o núcleo duro dos excêntricos Yeah You, onde é vocalista. O seu trabalho a solo é demonstrativo do carácter eclético e imprevisível da música e produtora galesa, onde explora produções de uma eletrónica tão orgânica quanto digital, sempre com a sua voz deformada em conta.



Daniel Blumberg integrou a formação original dos Yuck. Temas como "Georgia" e "Get Away" marcaram de forma indelével a música independente praticada no início da década, mas o percurso do vocalista tomaria outro rumo quando, em 2013, deixou o quarteto britânico para se dedicar a projetos mais íntimos e pessoais. Depois de se aventurar por projetos como Oupa e Hebronix, o londrino atreveu-se, no presente ano, numa carreira a solo e em nome próprio. Minus, editado este ano pelo respeitado selo da Mute, é um disco de canções simples mas arrojadas, equilibrando o carácter de cantautor com delicados arranjos de câmara, assim como momentos de esporâdica exploração libertária.


O Spoiler Room acontece no dia 9 de novembro, na Rua D. Manuel II, Porto. O preço dos bilhetes possui o custo simbólico de 3 euros. No dia seguinte, a tríade apresenta-se em Lisboa para uma noite na Galeria Zé dos Bois.

+

Father John Misty de regresso a Paredes de Coura


Father John Misty vai tocar dia 16 de agosto no Vodafone Paredes de Coura, festival onde tocou em 2015.  O cantautor lançou este ano o álbum God's Favorite Customer e tocou na mais recente edição do NOS Primavera Sound. Junta-se a um cartaz que já conta com nomes como The National, Car Seat Headrest e Kamaal Williams.

Os passes gerais podem ser adquiridos em bol.ptticketea e locais habituais(FNAC, CTT, El Corte Inglés,...) pelo preço de 90€. O Fã Pack FNAC Vodafone Paredes de Coura, que inclui o passe geral para o festival e uma t-shirt exclusiva, está também disponível, por 90€, nas lojas FNAC e em fnac.pt.

+

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Marc Ribot, Rafael Toral e Eli Keszler no primeiro trimestre de 2019 do gnration

Programa de música para o primeiro trimestre do novo ano apresenta o guitarrista norte-americano Marc Ribot, a nova banda de Moor Mother, a percussão única de Eli Keszler e uma revisita ao icónico disco de Rafael Toral. Ryoichi Kurokawa e Maotik apresentam novos trabalhos audiovisuais e Lucas Paris marca o regresso do ciclo de performance audiovisual Binário. 



O gnration deu ontem as boas-vindas ao novo ano com a divulgação da programação do primeiro trimestre de 2019. O certame para os primeiros meses do ano do centro cultural bracarense arranca já a 18 de janeiro com o aclamado músico português Rafael Toral, que revisitará um dos mais importantes discos da sua carreira e da música ambiental das últimas décadas, Wave Field. A propósito da reedição pela editora britânica Drag City, o disco, editado inicialmente em 1995, é o mote para uma apresentação especial ao vivo, composta por uma componente visual e som surround 6:1

A 6 de fevereiro, Camae Ayewa (Moor Mother) estreia-se em Portugal com um dos seus mais recentes projetos, Irreversible Entanglements. Liderado pela poeta e voz da presente geração negra da América, o coletivo free-jazz apresentará o aclamado disco de estreia, homónimo, em Braga. O mês de fevereiro trará ainda o nome de maior destaque do programa cultural janeiro-março. O guitarrista e compositor norte-americano Marc Ribot estará em Braga para um concerto com Marc Ribot’s Ceramic Dog, projeto mais recente do músico de culto que o junta em palco ao baterista Ches Smith e ao multi-instrumentista Shazad Ismaily. YRU Still Here?, o terceiro e mais recente disco do trio, é a razão que motiva a digressão nacional que passará por Braga a 17 de fevereiro. 

Março marcará o regresso do Binário, ciclo que apresenta algumas das mais importantes performances audiovisuais a que é possível assistir na atualidade. Depois de Alex Augier, Myriam Bleau e Nicolas Bernier em 2018, o artista digital canadiano Lucas Paris abrirá a edição de 2019 do ciclo. A 8 de março, Paris apresentará o espetáculo audiovisual AntiVolume In/Ext. Um dia depois, dia 9, Lucas Paris apresentará um workshop sobre criação de música em tempo real recorrendo ao software SuperCollider. Março contará também com o retorno do ciclo Trabalho da Casa, programa que promove a criação e apresentação de novos trabalhos por artistas locais. A 16 de março, o bracarense Ângela Polícia apresentará o sucessor do disco de estreia, Pruridades. No encerramento do mês, o percussionista norte-americano Eli Keszler (na foto), colaborador frequente nos mais recentes trabalhos de Laurel Halo e Oneohtrix Point Never apresentará Stadium, considerado pela revista Wire como um dos 50 melhores discos de 2018. O disco será apresentado a 29 de março. 

No programa de instalações, o artista digital japonês Ryoichi Kurokawa voltará a Braga, um ano após ter apresentação uma nova instalação em estreia mundial na galeria INL, para dar a conhecer Mono, um conjunto de trabalhos audiovisuais e de mixed media concebidos na última década. A exposição estará patente na galeria gnration, de 18 de janeiro a 7 de abril. A entrada é gratuita. Já na galeria INL, o reputado artista francês Maotik apresentará um novo trabalho resultante do programa Scale Travels, projeto que alia arte e nanotecnologia através de trabalhos audiovisuais fruto de residência artística no Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia. A nova instalação poderá ser visitada, gratuitamente, a partir de 17 de fevereiro e até 1 de junho.



Os bilhetes para os espetáculos do novo trimestre podem já ser adquiridos em https://gnration.bol.pt, balcão gnration e locais habituais.

+

STREAM: L'Enfant De La Forêt - STRANGLED


James Kent, o produtor mais conhecido pelo seu trabalho sob o moniker Perturbator, editou no início desta semana o segundo disco de estúdio do seu outro projeto a solo, L'Enfant De La Forêt, que chega três anos depois de ABRAXAS (2015) e que continua a mostrar o seu exímio domínio dos sintetizadores, além da produção de excelência que o circunda. Intitulado de STRANGLED, o disco conta com um total de 14 faixas, onde participam ainda Joshua Strawn (voz) em "Anti-All" e Quentin Dubarry (saxofone), no tema "Noir-Etang". 

Num disco que explora essencialmente géneros dentro do dark ambient e experimental recomenda-se ainda a audição de singles como "The Cruel Sway", "Lamentations", "The Pleasure Of Self Destruction", "Katabasis" e "You Will Never Be Good Enough". STRANGLED pode ser reproduzido na íntegra abaixo.

STRANGLED foi editado no passado dia 4 de dezembro e encontra-se disponível apenas em formato digital. Podem comprar o disco aqui, através da modalidade name your own price.


+

STREAM: Deadpan - Fool Moon EP


Os dinamarqueses Deadpan (a banda ressurgida das cinzas dos Deadpan Interference) edita hoje o seu primeiro EP de estúdio, Fool Moon, um disco que chega já no final do ano mas não o impede de chegar aos primeiros lugares dos tops das melhores edições curta-duração do ano. É que este disco chegou tarde mas ele claramente suporta ritmos que deixam o ouvinte preso desde as primeiras audições. Definitivamente uma das bandas revelação do ano na cena dance punk.

Deste novo Fool Moon já tinham sido anteriormente apresentados os temas "Lovely Night" e "Fool Moon" e o disco já pode agora ser reproduzido na íntegra abaixo. Além dos já mencionados temas recomenda-se fortemente a exploração de "Beat Me Up", aquele single cru a fazer-nos viajar aos territórios experiementais de Alien Sex Fiend, numa vibe muito contemporânea.

Fool Moon foi editado esta sexta-feira (7 de dezembro) em formato vinil pela Third Coming Records. Podem comprar o disco aqui.


+

Primeiras confirmações do SonicBlast Moledo 2019


O SonicBlast Moledo traz boas novas nesta sexta-feira. OM, Orange Goblin, My Sleeping Karma, DopethroneThe Obsessed, Minami Deutsch e Zig Zags são as primeiras confirmações do festival minhoto.

O festival acontece de 8 a 10 de Agosto em Moledo (Viana do Castelo) e os bilhetes já se encontram à venda.


+