sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Marc Ribot, Rafael Toral e Eli Keszler no primeiro trimestre de 2019 do gnration

Programa de música para o primeiro trimestre do novo ano apresenta o guitarrista norte-americano Marc Ribot, a nova banda de Moor Mother, a percussão única de Eli Keszler e uma revisita ao icónico disco de Rafael Toral. Ryoichi Kurokawa e Maotik apresentam novos trabalhos audiovisuais e Lucas Paris marca o regresso do ciclo de performance audiovisual Binário. 



O gnration deu ontem as boas-vindas ao novo ano com a divulgação da programação do primeiro trimestre de 2019. O certame para os primeiros meses do ano do centro cultural bracarense arranca já a 18 de janeiro com o aclamado músico português Rafael Toral, que revisitará um dos mais importantes discos da sua carreira e da música ambiental das últimas décadas, Wave Field. A propósito da reedição pela editora britânica Drag City, o disco, editado inicialmente em 1995, é o mote para uma apresentação especial ao vivo, composta por uma componente visual e som surround 6:1

A 6 de fevereiro, Camae Ayewa (Moor Mother) estreia-se em Portugal com um dos seus mais recentes projetos, Irreversible Entanglements. Liderado pela poeta e voz da presente geração negra da América, o coletivo free-jazz apresentará o aclamado disco de estreia, homónimo, em Braga. O mês de fevereiro trará ainda o nome de maior destaque do programa cultural janeiro-março. O guitarrista e compositor norte-americano Marc Ribot estará em Braga para um concerto com Marc Ribot’s Ceramic Dog, projeto mais recente do músico de culto que o junta em palco ao baterista Ches Smith e ao multi-instrumentista Shazad Ismaily. YRU Still Here?, o terceiro e mais recente disco do trio, é a razão que motiva a digressão nacional que passará por Braga a 17 de fevereiro. 

Março marcará o regresso do Binário, ciclo que apresenta algumas das mais importantes performances audiovisuais a que é possível assistir na atualidade. Depois de Alex Augier, Myriam Bleau e Nicolas Bernier em 2018, o artista digital canadiano Lucas Paris abrirá a edição de 2019 do ciclo. A 8 de março, Paris apresentará o espetáculo audiovisual AntiVolume In/Ext. Um dia depois, dia 9, Lucas Paris apresentará um workshop sobre criação de música em tempo real recorrendo ao software SuperCollider. Março contará também com o retorno do ciclo Trabalho da Casa, programa que promove a criação e apresentação de novos trabalhos por artistas locais. A 16 de março, o bracarense Ângela Polícia apresentará o sucessor do disco de estreia, Pruridades. No encerramento do mês, o percussionista norte-americano Eli Keszler (na foto), colaborador frequente nos mais recentes trabalhos de Laurel Halo e Oneohtrix Point Never apresentará Stadium, considerado pela revista Wire como um dos 50 melhores discos de 2018. O disco será apresentado a 29 de março. 

No programa de instalações, o artista digital japonês Ryoichi Kurokawa voltará a Braga, um ano após ter apresentação uma nova instalação em estreia mundial na galeria INL, para dar a conhecer Mono, um conjunto de trabalhos audiovisuais e de mixed media concebidos na última década. A exposição estará patente na galeria gnration, de 18 de janeiro a 7 de abril. A entrada é gratuita. Já na galeria INL, o reputado artista francês Maotik apresentará um novo trabalho resultante do programa Scale Travels, projeto que alia arte e nanotecnologia através de trabalhos audiovisuais fruto de residência artística no Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia. A nova instalação poderá ser visitada, gratuitamente, a partir de 17 de fevereiro e até 1 de junho.



Os bilhetes para os espetáculos do novo trimestre podem já ser adquiridos em https://gnration.bol.pt, balcão gnration e locais habituais.

0 comentários:

Enviar um comentário