terça-feira, 22 de janeiro de 2019

David Allred atua no Centro de Artes Visuais de Coimbra no próximo sábado


Nils Frahm, Ólafur Arnalds, Peter Broderick ou Douglas Dare são alguns dos nomes que, ao longo dos últimos anos, definiram o perfil da editora Erased Tapes. Tendo o piano como âncora, num constante diálogo com os diversos segmentos da electrónica, o trabalho destes e de outros compositores pertencentes aos quadros da label britânica confunde-se com a identidade desta, conferindo-lhe a consistência e coerência artística que raros projectos alcançaram. 

O californiano David Allred, engenheiro de som e músico de sessão, que tendo trabalhado, entre outros, com Chantal Acda e Heather Woods Broderick, foi desafiado por Peter Broderick a acompanhá-lo em algumas datas europeias e, posteriormente, a participar da colectânea 1+1=X, aquando da celebração do décimo aniversário da Erased TapesO passo seguinte, contando sempre com a curadoria de Broderick, acabaria por resultar na gravação de um primeiro disco, editado em Novembro de 2018 pela label britânica. Intitulado The Transition, tem como pano de fundo as experiências vividas pelo norte-americano quando trabalhava num lar de idosos, confrontado com a efemeridade da vida e o desconhecimento do que se encontra para além dela. 

No começo do ano de 2019, a Lugar Comum apresenta em estreia nacional e data única David Allred e o seu novo registo The Transition. O concerto será na sala do Centro de Artes Visuais, Coimbra, no dia 26 de janeiro, próximo sábado. Os bilhetes têm o custo de 8€ (7€ para sócios da Lugar Comum).

0 comentários:

Enviar um comentário