quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

[Review] LOBBY - Fragrance


Fragrance | Solange Endormie Records | dezembro de 2018
9.0/10

Os LOBBY estrearam-se no último mês do ano com um dos mais brilhantes discos de post-punk de 2018, Fragrance. Chegaram tarde mas ainda a tempo de conquistar o pódio para o melhor disco de estreia dentro das estéticas mais sonhadoras e nostálgicas. O quarteto francês, nascido em Pessac e atualmente sediado entre Lyon e Paris, formou-se em maio de 2017 e desde então tem trabalhado num objetivo simples: sintetizar o rock dos anos 2000 - que os acompanhou no ensino médio - com as sonoridades marcantes dos anos 80, que eles descobriram no ensino secundário. O resultado é um disco que reflete a melancolia de uma era que a banda não viveu, mas que ainda assim idealiza e muito bem. 

O primeiro tema de avanço "Collapse" surgiu em fevereiro de 2018 e é entre o ritmo marcado do baixo de Tom Déjeans, a potência dos sintetizadores de Nabil Bourdareau, a guitarra estridente de Lino Etchegaray e a voz doce, carinhosa e reverberada de Timothée Roze Des Ordons, que a fórmula de sucesso deste novo Fragrance começa a ganhar forma. É impossível não ficar colado e surpreendentemente entusiasmado com o poder que os LOBBY emanam. 


Nove meses depois surge cá para fora o segundo tema de avanço, "Violence In You Eyes" e a notícia de que vamos poder finalmente ver a obra dos LOBBY materializada em formato CD e vinil pelo novo selo do movimento underground, a Solange Endormie Records. Se em "Collapse" o resultado era uma faixa altamente aditiva e dançável, em "Violence In Your Eyes" os LOBBY mostram que conseguem ir mais além, explorando sonoridades que rejuvenescem a aura de quem as ouve. 

A 17 de dezembro de 2018 é editado para todo o mundo o disco de estreia da banda, um conjunto de 10 canções altamente mágicas, belas, profundas e deliciosas. A abrir com a faixa homónima "Fragrance", os franceses mostram uma emotividade intangível mas altamente experienciada e sentida. É como se voltássemos atrás no tempo e todas aquelas sensações da adolescência e as borboletas na barriga fossem reais. Além disso, a constante "I need someone to move it in", volta a renovar a visão utópica e altamente apaixonada sobre o amor. Destaque logo à primeira vista para o tema "Your Jail" - a fazer lembrar as paisagens de bandas como The Strokes - e claro está, para o grande hino do disco, "Chimeras". "Chimeras" é definitivamente uma das melhores malhas a ser descoberta neste trabalho. Há um poder absoluto neste tema, uma hipnotização do ouvinte, uma angústia contida pelos sintetizadores cintilantes, mas rebuscada nas guitarras frutíferas. Há a mudança de ritmos, sons e sensações e toda uma confusão que se instala de início ao fim. (Ao tempo que um single não se entranhava tão bem como este!) 



Antes de rodar o disco, tempo ainda para conhecer uma faceta mais melancólica dos LOBBY com "Heat", tema que também se destaca pela mudança de génio que acontece por volta dos três minutos de avanço. Os LOBBY até podem ser novitos de idade mas não são uns meninos a fazer música. 

O Lado B do disco, que explora uma atmosfera de sintetizadores mais densos, é inaugurado pelo tema "Taking Down" que, juntamente com "1881" e "Somewhere", se apresentam como as faixas de ritmo mais lento e prolongado do disco, a explorarem diversos elementos da synth-wave, dream-pop e shoegaze e a mostrarem que os LOBBY também sabem fazer baladas. Integram ainda o alinhamento a já referida "Violence In Your Eyes" e "Upside Down", tema que encerra o disco. 

Com as audições repetidas de Fragrance algo que se torna evidente é que são claras as influências que contribuem para a sonoridade resultante desta estreia, mas também é óbvio que as experimentações de áudio deste grandioso disco são muito próprias e exclusivas, além de juntarem uma aura mais fofinha e colorida às tendências monocromáticas a que o post-punk, coldwave e a darkwave estão associadas. Os LOBBY foram definitivamente uma das melhores descobertas do ano de 2018: uma banda jovem, ambiciosa, apaixonada, muito madura e cheia de potencial para conquistar o mundo. Fragrance é um disco de excelência para inaugurar a discografia de uma banda que tem tudo para se tornar um ícone dos atos post-punk da nova geração.


0 comentários:

Enviar um comentário