segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

HYSTERIA: um ciclo de residências para ver a criação de perto


Arranca em Março o primeiro momento de contacto da Hysteria. A ter lugar entre 3 a 6 de Março, no ACE Teatro do Bolhão, o encontro promoverá o diálogo entre os trabalhos que Ana Deus e Heloise Tunstall-Behrens. De um lado, a abordagem singular de uma voz que marca a história da música nacional dos últimos 20 anos, dooutro a exploração dos potencialidades da música coral, enquanto mimetização de problemáticas entre a relação do indivíduo e das estruturas colectivas que o rodeiam. A encerrar o ciclo de trabalho, a dupla de artistas realizará uma sessão aberta ao público, onde apresentará o resultado do ciclo de trabalho. O formato desta sessão, dedicada à partilha com o público, será definido por ambas no decurso da residência. 

Estruturada em quatro tempo, a Hysteria irá ainda colocar em contexto de trabalho comum, Marlene Ribeiro e Valentina Magaletti (Maio, na Sonoscopia), Natalie Sharp e Marta Ângela (Julho, no ACE Teatro do Bolhão); e Adriana Sá e Anna Homler (Outubro, na Sonoscopia). Tendo por base a ideia de que a criação cultural se enriquece pela troca de conhecimentos e o cruzamento de ideias, o projecto pretende criar um espaço de discussão entre as artistas envolvidas, num primeiro plano, e entre estas e o público. Para tal todos os momentos de contacto serão acompanhados e habitados por um grupo de artistas e curiosos que, através da candidatura, mostraram a vontade de contribuir e observar o processo de criação. Os participantes terão, assim, a oportunidade de ver de perto os detalhes com que as artistas em residência moldam o objecto final e de compreenderem as estratégias utilizadas para estabelecerem um diálogo criativo.

A par da criação de um espaço de contacto entre o criador e o público, a Hysteria propõe um olhar sobre a produção e criação feminina no universo musical de hoje, em quatro eixos fundamentais, da interpretação à criação.

1 comentário: