domingo, 17 de fevereiro de 2019

Robert Foster leva-nos ao Inferno a 1 de março


Inferno é o primeiro disco a solo dos últimos 4 anos do aclamado australiano Robert Forster, o segundo disco dos últimos 11 anos. Nos últimos 4 anos, Forster tem andado ocupado. Trabalhou na histórica edição da Domino Records Anthology Volume 1 1978-1984 da sua antiga banda The Go-Betweens. O livro de memórias Grant & I foi eleito pela Mojo e pela Uncut como Livro do Ano. O artista continua a escrever sobre música, dar concertos e nunca pára de escrever bonitas canções, editando os seus discos apenas quando sente que tem as músicas – em Inferno tem 9 músicas nas quais acredita genuinamente.

Elas vão desde a emocionante pop “Inferno (Brisbane In Summer)”, ao groove de “Life Has Turned A Page”, à “Remain” com inspirações no New York Strut de 1977, para acabar duma forma concisa, brilhante e dramática como só um disco inteligente pode acabar, com o grande épico “One Bird In The Sky”.

Inferno foi gravado em Berlim em 2018, durante o verão mais quente das últimas décadas na Alemanha. Victor Van Vugt (PJ Harvey, Stories From The City, Stories From The Sea) gravou o disco; foi a primeira vez que ele e Forster trabalharam juntos após o seu disco de estreia a solo, Danger In The Past de 1990. Este disco é uma mistura perfeita do familiar e do novo. Também a trabalhar de novo com Forster, os multi-instrumentalistas Scott Bromley e Karin Bãumler de Songs To Play (2015), enquanto novas colaborações acontecem com o baterista Earl Havin (Tidersticks, Mary J. Blige) e o teclista Michael Muhlhaus (Blumfeld, Kante)

0 comentários:

Enviar um comentário