segunda-feira, 18 de março de 2019

Os OtrotortO e os Paisiel encontram-se já esta sexta-feira no CCOP


A segunda encarnação da banda anteriormente conhecida como TORTO assume uma nova identidade, chamando-se agora OtrotortO. Esta entidade, apesar de composta por três elementos bem definidos — Jorge CoelhoJorge Queijo e Miguel Ramos —  é amorfa no que diz respeito à estrutura da sua sonoridade. A sua base é puramente instrumental, mas todo o restante território sonoro desenhado pelo trio é pautado pela permanente indefinição, estando ora de acordo com estéticas do slowcore, ora voltados para arranjos mais próprios do math rock. E a julgar pela faixa "Letargia em Ré Menor" — tema que dá nome ao novo disco lançado hoje via Lovers & Lollipops — este novo trabalho dos OtrotortO promete ser menos explosivo do que o output produzido anteriormente sob o pseudómino TORTO. Porém, com base também nesta primeira audição, é também de destacar que o trio não perdeu competências. Dificilmente isso poderia acontecer. O trio actua junto há quase 10 anos, e convém relembrar que os membros que compõem os OtrotortO provêm de diferentes escolas desta vida: Jorge Coelho na guitarra, foi membro dos Zen e assinou as bandas sonoras de filmes como Coisa Ruim Entre os DedosMiguel Ramos no baixo, foi membro dos Insert CoinMosh e dos SupernadaJorge Queijo é um percussionista com formação académica em composição musical, tendo-se destacado não só pelo seu percurso a solo, como também pelas diversas colaborações que levou a cabo ao longo da sua carreira.

Esta sexta-feira, os OtrotortO apresentam ao vivo no CCOP Letargia em Ré Menor, sendo esta uma oportunidade privilegiada para escutar o trabalho que marca o antes e o depois da vida deste trio (a própria capa que ilustra este tema indicia um desvio/evolução em relação ao percurso discográfico iniciado em Torto), tornando-se assim este concerto numa marca indelével nesse percurso. Morte aos TORTO. Longa vida aos OtrotortO



A abrir as hostilidades desta noite teremos os Paisiel, a dupla composta pelo percussionista João Pais Filipe e pelo saxofonista Julius Gabriel cuja sonoridade se configura entre os universos do free jazz e respectivas intersecções com os universos mais experimentais do rock. A noite é também de celebração para os Paisiel, que comemoram nesta data a reedição em vinil pela Rocket Recordings do seu primeiro disco, o homónimo Paisiel. O certame é organizado pela Lovers & Lollipops e tem início às 21h30, esta sexta-feira, dia 22 de março, no Círculo Católico dos Operários do Porto — AKA CCOP (link para o evento aqui).

0 comentários:

Enviar um comentário