domingo, 17 de março de 2019

Os Zeros estreiam-se em Portugal esta semana

© Ruby Ray

Os Zeros formaram-se em Chula Vista nos meados dos anos 70 e são umas das bandas que ajudaram a consolidar o movimento punk da costa oeste dos EUA, lado a lado com os Germs, os Agent Orange, os Vandals, os Dead Kennedys, os Descendents (etc …).
 

Muitas vezes apelidados dos “Ramones Mexicanos”, a música dos Zeros é — como todo o punk o deveria ser — marcada pela sua faceta activista e "anti-gabacho", promovendo a integração e a defesa das comunidades latinas a viver nos EUA. 

A dissolução dos Zeros aconteceu no ano de 1981, cinco anos após a sua formação. Durante esse período, partilharam palcos com Grandes tais como os Black Flag e os X e devido à sua curta mas sólida discografia (a qual é composta maioritariamente por singles) angariaram para si mesmos uma extensa lista de fãs na qual podemos encontrar o Tom Waits e a Patti Smith, deixando dessa forma uma marca indelével na história do punk rock californiano dos meados dos anos 70 — um milieu que pariu um número tão elevado de bandas relevantes ainda nos dias de hoje que para nos darmos ao luxo de fazer uma leitura pormenorizada, teríamos que dedicar a essa resenha um artigo próprio. 

Desde a sua separação, os Zeros têm-se reunido esporadicamente para interpretar ao vivo os seus hits (não lançam material novo desde a década de 90). Actualmente, a banda actua em formato trio, preservando dois membros do seu alinhamento original: Javier Escovedo e Baba Chenelle (contando ainda com Victor Penalosa no baixo). E finalmente, em 2019, estes pioneiros do punk visitam o nosso país pela primeira vez. No dia 20 de março tocam no Porto — mais precisamente no Barracuda - Clube de Roque (bilhetes a 10€ com direito a aquecimento por conta dos portuenses Dumbowax) — e no dia seguinte descem até Lisboa para um concerto no Sabotage Club (bilhetes 12€ pré-venda / 15€ no dia).


0 comentários:

Enviar um comentário