segunda-feira, 8 de abril de 2019

Estas foram as edições de março da Boring Machines


Depois de uma pausa de início de ano a editora italiana Boring Machines regressou às edições com três novidades que foram editadas no início do mês de março e que merecem uma audição cuidada para os fãs das sonoridades que envolvem as fórmulas da música ambiente, drone, experimental e derivados.

A primeira edição é Minus Plus Escapism, o terceiro disco dos Everest Magma, que vem dar sucessão a Modern / Antique (2015) e Gnosis (2016) - ambos editados pela chancela Boring Machines. Este disco, composto por um total de 10 experimentações sonoras e vocais com recurso a violão e alguns efeitos, soa como um registro eletrónico, apesar do seu teor fortemente acústico. Este é um registo extremamente interessante em termos criativos - especialmente por não apresentar nenhuma lírica - pela utilização da voz como instrumento principal e ainda pela incorporação de alguns field e tape recordings no desenvolvimento (ouvir por exemplo "A3" e "A5"). 


Juntamente com o terceiro disco dos Everest Magma, editado a 1 de março, também no primeiro dia do terceiro mês do ano a Boring Machines lançou cá para fora Il Vento Disperderà la Schiuma, o segundo disco de estúdio do produtor italiano Fabio Orsi. Este novo disco - que chega oito anos depois de Wo Ist Behle? (2011) - convida o ouvinte a uma viagem introspetiva entre as ambiências drone da música eletrónica e de cariz experimental. Em Il Vento Disperderà la Schiuma, Fabio Orsi apresenta o último conjunto das gravações que nasceram em Berlim antes do seu regresso à cidade natal, em Puglia. Um impacto entre o norte frio e um desvio dos reflexos mais quentes em três perspetivas sonoras que perduram por cerca de cinquenta minutos.


Para finalizar e, também no primeiro dia do mês de março, a Boring Machines lançou a terceira das três edições que marcaram o terceiro mês do ano no seu catálogo: Bloom Into Night, de BeMyDelay. Be MyDelay nasceu no inverno de 2010 como o projeto a solo de  Marcella R Wilson baseado em efeitos sonoros e loops. Com o tempo ela foi-se aproximando de um tipo de música folclórica lisérgica, entre o estilo britânico folk e west coast até chegar às paisagens psicadélicas que rodeiam Bloom Into Night. Além da instrumentação é também através da voz e das suas texturas irregulares que Marcella configura a marca abrangendo camadas ora macias ora onduladas. Definitivamente a edição de Março mais romântica da editora independente italiana.



Se chegaram até aqui neste artigo poderão estar interessados nisto: A Boring Machines está a disponibilizar um pack promocional, onde podem comprar estes três discos de vinil por apenas 36€. Podem fazê-lo em qualquer uma das páginas do Bandcamp dos referidos trabalhos, ou clicando aqui

Em maio haverá mais novidades. Até lá garantam que seguem a Boring Machines no Bandcamp, onde poderão acompanhar todas as novidades em primeira mão.

0 comentários:

Enviar um comentário