sexta-feira, 19 de abril de 2019

O cinema e a música unem-se pela causa LGBT no Mercado Negro

cinema-musica-unem-se-causa-lgbt-mercado-negro

Este Sábado, a cidade dos canais recebe a data final da tournée de Maria Beraldo, mais recente fenómeno da MBP – Música Popular Brasileira – de passagem em Portugal com actuações no Festival Tremor (Ponta Delgada), Musicbox (Lisboa), Maus Hábitos (Porto) e Teatro Gil Vicente (Barcelos).






Conhecida como clarinetista de “monstros” da música brasileira – como Arrigo Barnabé ou Elza SoaresMaria Beraldo estreou-se a solo com Cavala no final de 2018 com um disco que tem dado cartas em 2019. Entre canções curtas mas atrevidas, o álbum da compositora renova os pergaminhos da musica popular com rasgos de pop e experimentalismo ‘sexy’, abusando do léxico emancipador que define a sua obra enquanto mulher homossexual.

Depois da estreia na Europa através do nosso país Maria Beraldo prepara o regresso ao Brasil, mas não sem antes encantar o auditório do Mercado Negro numa co-produção com o Porto Femme – Festival Internacional de Cinema que transforma o serão numa verdadeira ode LGBT.




Antes do concerto, desligam-se as luzes e ergue-se a tele com duas curtas-metragens com espaço para debate e reflexão, com Calamity (Maxime Feyers, 2017) e (Judith Westermann, 2018), LGBT. Em Calamity – obra que esteve presente no festival Queer Lisboa – France recebe a namorada trans do filho, num jantar que não teve o enredo esperado.



Também em Celebrate Eileen, o foco prende-se na discriminação vã a que os transexuais estão sujeitos, mesmo nos círculos mais próximos. Aqui, Judith Westermann conta-nos a história de Ailine, rapariga que nasceu num corpo masculino e que prepara uma festa de despedida para assumir a sua real sexualidade no dia seguinte.

As sessões de cinema começam pelas 22:00 (entrada livre), antecedendo o concerto de Maria Beraldo, cujo valor de entrada varia entre os 5€ (com reserva) e os 6€ (na bilheteira). Mais info no evento.

0 comentários:

Enviar um comentário