Páginas

quarta-feira, 1 de maio de 2019

O último disco dos Detieti mistura uma mão cheia de estilos


Os Detieti formaram-se na cidade de Moscovo em 2004 e demoraram cerca de seis anos até terem disponibilizado para o mundo a sua primeira demo oficial, em 2010. Três anos depois lançavam Ne eP (2013), um conjunto de cinco faixas autênticas a explorar os campos do post-rock, da música funk, do metal e bem, uma cacofonia vagabunda que, como resultado geral, se enquadra muito bem. O disco de estreia, В общих чертях (2015), chegaria às prateleiras 11 anos depois do processo de formação inicial e com todas as experimentações que se poderiam esperar de uma banda tão camaleónica como os Detieti.

Com 14 anos de carreira na bagagem a banda russa - que explora as sonoridades mais progressivas do rock e punk e as interceta com influências do jazz fusion, muito funk e doses arrojadas de experimentação - edita Frogressive Punk (2018), o longa-duração que serve como um desafio aos ouvintes. Através de um conjunto de nove canções, onde logo em "Cacaintro" tão depressa estamos a experienciar paisagens carinhosas como a seguir nos encontramos, num cenário mais negro, depois numa pista de dança ritmada pelo funk e, por fim, nos extremos da música bruta e suja, os Detieti mostram-nos que a sua música não é feita para qualquer ouvido. No entanto há um espaço completo para a abordagem das mais diferentes representações da música e o resultado é completamente balanceado e coerente.



Frogressive Punk chegou às lojas em maio de 2018 e podem aproveitar para integrar esta viagem alucinante dos Detieti abaixo. Destaque para temas como "Rasta Fear", "Diemback" e o tema de encerramento, "Threeptile". Podem comprar o disco aqui.


Sem comentários:

Enviar um comentário