sábado, 27 de julho de 2019

Oiçam: Førest Fires


Førest Fires é o novo projeto criativo de Pedro Barceló - um nome que se tem destacado no panorama musical underground em Portugal essencialmente pelo seu papel como guitarrista na banda de sludge/doom metal de Lisboa, Löbo e ainda como engenheiro de som. Num caminho fomentado desde cedo nos mais divergentes ramos da produção musical, Pedro Barceló identificaria mais tarde a necessidade de esculpir elementos e efeitos sonoros que funcionassem dentro do contexto de filme e/ou publicidade. Para responder ao problema criou Førest Fires e um conceito musical que é capaz de vos intrigar às primeiras audições.

Os problemas climáticos posicionam-se cada vez mais no epicentro de potenciais ameaçadores à sobrevivência e Pedro Barceló percebeu que conseguiria intercalar estas questões ambientais entre as unidades eletrónicas que tecem os primeiros dois EP's do produtor, I e II. Focado neste fenómeno e nas suas consequências para o meio ambiente, Førest Fires emerge para aludir a este flagelo em forma de som e, pontualmente, vídeo (como é o caso do tema "Climate Change" que tem direito a um trabalho audiovisual disponível aqui).

Neste âmbito surgem então os primeiros EP's do produtor lançados em maio passado. Assim, em I - disco que de uma forma geral aborda as causas da mudança climática - Førest Fires inclui uma experiência sonora que compreende os emaranhados e crescendos da música eletrónica num som ambiente profundamente denso e imune de voz. Com recurso a uma comunicação tão simples como o título das canções e um desenvolvimento, tipicamente lento com algumas mudanças de rotina é em temas como "Wildfires", "Climate Changes" ou "Strog Winds" (o vento mais poderoso deste primeiro EP) que Førest Fires nos começa por cativar a entrar nesta viagem bastante hipnótica.


Como nem só de causas se faz um fenómeno climático, Førest Fires não deixa, portanto, inertes as consequências nefastas que advêm deste problema ambiental. Numa segunda visão com II, o produtor sediado em Lisboa inflama a emergência de uma mudança, não de atitude mas de comportamento. Temas como "Radiation" - um atentado de monotonia industrial e sinistra - "Air Quality" - a incutir a dificuldade na respiração de um oxigénio puro - ou o tema de encerramento "Ozone Depletion" - a sintetizar o efeito das tempestades e a destruição do nosso escudo protetor - mostram o incrível potencial imagético da eletrónica confrontativa de Førest Fires.


Ambas as edições estão disponíveis em formato digital na plataforma Bandcamp do artista. Podem comprá-las aqui e já sabem, podendo é ouvir.

0 comentários:

Enviar um comentário