quinta-feira, 18 de julho de 2019

Paulo Vicente leva-nos de viagem com Nepaulo


A combustão lenta records apresentou em junho a sua segunda edição. Trata-se de Nepaulo, primeiro trabalho em nome próprio de Paulo Vicente, uma viagem (literal) ao coração do Nepal. Apesar de se ter estreado a solo apenas em 2019, Paulo acumulou anos de sabedoria atrás dos pratos como Claxon, e tem desenvolvido uma linguagem muito própria, algures entre o ambient, o jazz e as suas ramificações electrónicas.

Num exercício de antropologia sonora, Nepaulo abre-nos um mundo que parece ter tanto de busca interior como de compreensão e absorção do mundo que o rodeia. Evocativo, espiritual e com uma matriz espectral que nos coloca diretamente no centro da ação, Nepaulo é um mergulho no manto bucólico e urbano do Nepal criada através da colagem de vários field recordings - uma técnica essencial para criar a palete sónica que nos rodeia ao longo destes 36 minutos.

Coadjuvado por Vítor Rua na produção e masterização, Paulo Vicente consegue captar um retrato em tempo (quase) real de uma viagem que, na realidade, se estendeu ao longo de 600 quilómetros.

Nepaulo está disponível para escuta no Bandcamp, YouTube, Spotify e restantes plataformas digitais.

0 comentários:

Enviar um comentário