quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

7 ao mês com Icy Cold Records


Foi no final de 2018 que a francesa Icy Cold Records começou a dar os primeiros passos na indústria da música underground. Desde então até à data conta já com um catálogo composto por 32 edições onde ganham destaque nomes como Blood Blush, Sydney Valette, Bring Her, Je T'Aime, DEAD, Les Tétines Noires, entre outros. Para 2020 antecipa-se mais um ano em grande, com foco nas novas edições dos franceses Tisiphone e dos italianos Talk To Her, entre outros anúncios que chegarão a seu tempo. 

Intrigados em saber mais sobre a prolífica editora francesa que se está a tornar num hub para as novas bandas da onda dark, convidámos um dos membros fundadores - Jean Louis Martel - a escolher sete nomes que influenciaram o trabalho que tem feito como label manager ao longo dos últimos anos e que, acima de tudo, o marcaram como pessoa. Aproveitem para conhecer mais de perto a Icy Cold Records através do novo 7 ao mês:


"É hora de enfrentar uma seleção muito complicada! Mesmo que o pedido seja sobre sete álbuns, vamos começar pela minha música favorita de sempre, eu acho. "Original Sin" dos INXS é a tal, porque se trata da minha primeira emoção musical ao ouvir rádio num camião de gado :-) ... sozinho numa fazenda da Normandia durante uma noite fria do inverno em 1983... fuga, sonhos, espera ... A minha escolha não está relacionada à qualidade da música em si, mas é uma seleção de "sentimentos" que me traz algumas lembranças, pessoas e escolhas de vida."


DEPECHE MODE - The Singles 81-85 (1985)

A primeira é a compilação The Singles 81-85 dos Depeche Mode. Foi a minha primeira cassete. Não tenho muitas coisas a dizer exceto as intermináveis tardes de verão (com cervejas, etc) no nosso pequeno estádio de futebol. Mais de 20 anos depois ainda é um prazer dançar ao som da música deles nos clubes de Paris.





FIELDS OF THE NEPHILIM - Earth Inferno (1991)

Depois veio o primeiro concerto que me marcou mesmo a sério, no dia 31 de janeiro na Salle Georges Brassens em Caen, por causa de uma rapariga estranha de preto que eu conheci alguns dias antes... Fields Of The Nephilim e The Oposition durante a sua tour "Rock En France". Então, a minha segunda escolha é o Earth Inferno dos Fields Of The Nephilim (e os 3 álbuns anteriores). Uma explosão para os meus ouvidos, uma revelação, T-Shirts, novo visual (sem chapéu :-)), um novo objetivo, uma mudança real para um rapaz de 18 anos de idade... os primeiros passos na cena gótica. E se eu falar de qualidade ao vivo, os gajos eram brilhantes nesse período. Eu nunca ouvi um concerto tão perfeito desde o Earth Inferno





NEW MODEL ARMY - Thunder And Consolation (1989) 

A minha verdadeira etapa de descoberta de música aconteceu em Caen durante os meus anos na faculdade. É difícil escolher um álbum, mas vou mencionar o Thunder And Consolation dos New Model Army. (Poderia também ter sido: o Rise dos Nosferatu pelas garrafas de Zubrowka que proporcionou à beira mar ao final do dia e em apartamentos, o Swamp Thing dos The Chameleons, o But What Ends dos Death In June pelos sentimentos, ou ainda o Sargonid Seals dos Garden Of Delight que acompanhou a minha primeira viagem a Paris até à sala La Locomotive). Passei tantas horas a ouvir a Radio 666 com os programas "Gray Light In Darkness" (David) e "Darkside" (Guillaume): uma real educação musical graças a estas duas grandes pessoas que conheci mais tarde em Paris. 





PINK TURNS BLUE - Ghost (2007)

Paris e uma "vida profissional" em 1998: um período de calma até os meus primeiros passos na Manic Depression Records, no final de 2005. A verdadeira explosão foi a fase da Strobelight Records: algo novo e fresco. Estes gajos fizeram muita coisa e quero mesmo agradecer-lhes. O lançamento deles, Ghost dos Pink Turns Blue está gravado no meu cérebro por razões pessoais. O último "Judgement Day festival" em Dornbirn deu início a uma viagem de carro (o PT Cruiser queimou alguns anos depois) com um passageiro de "alma perdida" ao meu lado. 





BLACKLIST - Midnight Of The Century (2009)

Esse foi o meu novo começo para os próximos 10 anos (para coisas boas e ruins) e o Midnight Of The Century dos Blacklist (que vi no Judgement Day) é o símbolo. Eles vão tocar novamente no WGT este ano. 





WINTER SEVERITY INDEX - Slanting Ray (2014) 

Depois disso entrei no meu período Post-Punk/Coldwave. Era a altura de fazer a Manic Depression Records crescer. O Slanting Ray dos Winter Severity Index (poderia ter sido o People Of Nothing dos People Of Nothing) e o lindo som de guitarra de Simona foi a chave para isso acontecer. Ainda passo o tema "A Sudden Cold" em quase todos os meus DJ Sets. Um novo álbum surpreendente está a vir a caminho. 





VISIONS IN CLOUDS - What If There Is No Way Out (2018) 

A última escolha é What If There Is No Way Out dos Visions In Clouds. Por causa desta banda suiça, a Icy Cold Records foi criada e agradeço muito a eles, mesmo que eu tenha menos tempo livre agora do que antes!!! Também adoro o som deles e a festa de lançamento deste disco em Luzern proporcionou aos membros da Icy Cold Records uma nova viagem iniciática de carro pela Suíça, com uma pausa no Museu Giger, em Gruyères. 

Definitivamente, estes sete álbuns são as minhas sete chaves ... como o conceito original dos Garden Of Delight :-)




Se quiserem saber mais sobre a Icy Cold Records aproveitem para a seguir através do Facebook, ou pela plataforma Bandcamp, onde podem comprar as suas edições.



--------------- ENGLISH VERSION ---------------


It was in late 2018 that French Icy Cold Records began to take its first steps in the underground music industry. Since then until the date, its catalog is already composed of 32 editions which include names such as Blood Blush, Sydney Valette, Bring Her, Je T'Aime, DEAD, Les Tétines Noires, among others. By 2020, another big year is anticipated, with a focus on new editions of the French Tisiphone and Italians Talk To Her, among other announcements that will arrive in the meantime. 

Intrigued to learn more about the prolific French label that is becoming a hub for new dark bands, we invited one of the founding members - Jean Louis Martel - to pick seven names that have influenced the work he has been doing as a label manager over the last few years and, above all, that have marked him as a person. Take a closer look at Icy Cold Records by reading the first 2020 edition of "7 ao mês" right below.


"It's time to face a very complicated selection! Even if the request of Sonia is 7 albums, let's start by my favorite song, forever I guess. INXS "Original Sin" is the one because it's my real first music emotion while listening to the radio in a cattle truck... :-) alone in a farm of Normandy during a cold winter evening in 1983... escape, dreams, hopes... My choice is not related to the quality of the music itself, but it is rather a "feeling" selection that brings me some memories, people and life choices."


DEPECHE MODE - The Singles 81-85 (1985)

The first one is Depeche Mode - The Singles 81-85. My first Tape... not a lot of things to say except endless summer evenings (with beers, etc) in our small football stadium :-) More than 20 years later it’s still a pleasure to dance on their music in Paris clubs.





FIELDS OF THE NEPHILIM - Earth Inferno (1991)

Then came my first significant gig on the 31st of January at the venue Salle Georges Brassens in Caen because of a strange girl in black met a few days before… Fields Of The Nephilim and The Opposition during their "Rock En France" tour. So my second choice is Fields Of The Nephilim - Earth Inferno (& the first 3 albums). A blast for my ears, a revelation, T-Shirts, new look (without a hat :-) ), a new goal, a real change for a young 18-year old boy… first steps in the Goth scene. And if I speak of a live quality, these guys were brilliant at this period. I’ve never heard such a perfect live since Earth Inferno.





NEW MODEL ARMY - Thunder And Consolation (1989)

So my real music discovery music step was launched in Caen during my graduate studies. It’s hard to pick one album, but let’s say New Model Army - Thunder And Consolation (it could have been: Nosferatu's Rise for Zubrowka bottles at the evening seashores and in flats, The Chameleons' Swamp Thing, Death In June's But What Ends... for feelings, and Garden Of Delight's Sargonid Seals for my first trip to Paris, to La Locomotive). I've spent so many hours listening to listen to Radio 666 with their "Grey Light In Darkness" (David) and "Darkside" (Guillaume) radio programs: a real music education by these two great guys that I've met later in Paris.





PINK TURNS BLUE - Ghost (2007)

Paris and a "job life" in 1998: a period of calm until my first small steps in Manic Depression Records in late 2005. The real blast was the Strobelight Records phase: something new and fresh. These guys have done so much and I want to thank them. Their release Pink Turns Blue - Ghost is written in my brain for personal reasons. Their last "Judgement Day festival" in Dornbirn has been an initiatory trip by car (PT Cruiser that burned a few years later) with a "lost soul" passenger at my side. 





BLACKLIST - Midnight Of the Century (2009)

That was my new start for the next 10 years (for good and bad things) and Blacklist's Midnight Of The Century (seen there at ) is the symbol. They gonna play again at WGT this year. 





WINTER SEVERITY INDEX - Slanting Ray (2014)

Then I entered my Post-Punk/Coldwave period. It was the time to make Manic Depression Records grow. Winter Severity Index's Slanting Ray (it could have been People Of Nothing - People Of Nothing) and the beautiful guitar sound of Simona has been the key to that. I still play "A Sudden Cold" at almost each of my DJ Sets. A new surprising album is coming very soon. 





VISIONS IN CLOUDS - What If There Is No Way Out (2018)


The last one is Visions in Clouds - What If There Is No Way Out. Because of these Swiss guys, Icy Cold Records has been created and I thank them for this even if I have less free time than before!!! I love their sound too of course. And their Release Party in Luzern has been a new initiatory "Icy Cold's members" trip by car around Switzerland with a step at Giger's Museum in Gruyeres. 

Definitely, these 7 albums are my 7 keys … like the original Garden Of Delight concept :-)




If you want to know more about Icy Cold Records make sure you follow them on Facebook or at the Bandcamp page where you can buy their releases.

0 comentários:

Publicar um comentário