sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

[Review] Talk To Her - Love Will Come Again


Love Will Come Again | Icy Cold Records / Shyrec | fevereiro de 2020
8.0/10

Dois anos após a edição de HOME - o EP que colocou os Talk To Her na ribalta dos novos projetos dark-influenced com nuances do rock alternativo e independente - a banda italiana formada em 2015, na cidade de Veneto, regressa às paradas musiciais com Love Will Come Again, o registo que marca a sua estreia nos longa-duração. Com uma abordagem sonora e entusiasta facilmente situada entre os campos do electro-rock e do post-punk contemporâneo, a banda formada por Andrea Visaggio (voz, sintetizador) Riccardo Massaro (baixo), Stefano Murrone (guitarra) e Francesco Zambon (bateria) tem ganho a aprovação do público mais atento muito devido à intensidade poderosa que o seu som emana no formato ao vivo. Com o novo Love Will Come Again esta atitude obscura, incisiva e ritmada é explorada em maior detalhe e o resultado sonoro emana uma certa magnificência estrondosa que surpreende a quem ouve. 

No novo disco, que se baseia inicialmente no conceito do amor como um poder avassalador e toda uma experiência mística da vida, os Talk To Her brindam-nos com um decálogo que o descreve como a lei suprema que controla e regula tudo o que nos circunda. Esta história, quase dramática, da luta eterna que existe entre o ser humano frágil e uma sociedade que não vive o amor - porque as regras absolutas, estritas e sedutoras do amor a dominam - é abordada ao longo do álbum de forma pertinente e bem estruturada, através da mescla abrasiva entre adrenalina, traços melancólicos e alguns ritmos mais badalados que apresenta. 



Tudo tem início com "Innoncence", um tema onde os sintetizadores soam suaves e a voz de Andrea nos convida a integrar uma atmosfera sonora onde a inocência se situa no ponto cor da história, e sobre como o amor é doce nesta etapa. Apesar do tom adocicado de início, "Innocence" mostra-se tudo menos alegre e serena no seu desenvolvimento. Abrindo espaço para guitarra, baixo e percussão brilharem nos minutos finais, os Talk To Her vão-nos mostrando como, emocionalmente, o sentimento de inocência se pode refletir no ser humano. Avançando Love Wil Come Again na duração, em temas como "Truth" (que se inspira nas raízes criadas em HOME mas num poder aumentado) os Talk To Her continuam na exploração do amor, exibindo o quão desafiante é lidar com emoções como a dúvida dentro de um relacionamento, ou até mesmo com o sentimento de dor e luto -  abordado em maior pormenor na incendiária "Ibisco", que serviu de primeiro avanço a este LP. Ainda no campo das faixas abrasivas destaque para "Hollow" e as suas dimensões obtusas, na lírica, que se focam na sensação de sentir-se perdido. 



Musicalmente, em Love Will Come Again é notória uma maturação face ao EP HOME, à qual acresce uma forte aposta na componente eletrónica, na mensagem das letras e, postumamente, na produção e masterização do disco. Essa coesão e progresso musical, que são vivenciados na primeira parte do LP, voltam a ser constantes na segunda parte do disco com temas como "No Other View", "The Caller" ou o já anteriormente apresentado "Away//Afraid" a mostrarem o seu vigor instrumental e abordagem musical altamente aditiva, com aquele jeito tão peculiar que os Talk To Her têm de hipnotizar o ouvinte. 

Nos destaques de Love Will Come Again é de mencionar também "View (Reprise)" - faixa inteiramente instrumental, onde a banda italiana nos inflige o vazio emocional e o estado de pânico e angústia que advêm de experiências do foro amoroso, abordando ambiências sonoras que tão pouco sabíamos existir – e, ainda, o gigante tema de encerramento "Confessions" - malha texturizada entre a sensibilidade da música ambient e drone - onde o ouvinte é confrontado com uma veia altamente experimental e vívida que, no contexto do disco, se foca na exploração dos nossos fantasmas interiores e no facto de que perdermo-nos é o caminho para nos voltarmos a encontrar. E como nem só de sons psicologicamente densos e de emoções instáveis se faz um álbum, ou constrói uma história sobre o amor, os Talk To Her também incutem neste Love Will Come Again um som mais badalado com faixas como "Set Me Free". No geral o disco funciona também como mensagem e um call-to-action relativamente ao quão difícil está a tornar-se gerir e lidar com os mais variados tipos de emoção numa sociedade que corre a um ritmo tão acelerado. 




Há dois anos afirmámos que HOME, o EP de estreia dos Talk To Her era "Um bom pontapé de saída para uma banda que ainda virá a dar que falar" e a verdade é que tão pouco errados estávamos. Cerca de um ano depois a banda estava a confirmar o primeiro concerto de carreira a nível internacional (que tanta sorte tivemos ser por cá em Portugal no tão querido MONITOR) e, agora, com um poder ainda mais forte ao nível instrumental, em Love Will Come Again os Talk To Her posicionam-se cada vez mais como um dos novos atos a ter em atenção no panorama da música underground que junta darkwave, post-punk moderno e rock independente no mesmo espectro. Love Will Come Again é claramente um disco maduro, coeso e de qualidade aumentada que não deve ser deixado de lado nas edições que prometem marcar 2020.



0 comentários:

Enviar um comentário